Comunicado RANDSTAD 3-2018

RANDSTAD 03A

A RANDSTAD VIOLA A LEI DA GREVE

E PROCURA COAGIR TRABALHADORES

Abre aqui a versão PDF deste comunicado » » » 2018-03 RANDSTAD

A RANDSTAD, após a Greve de 25 de Abril e 1 de Maio, informou os assistentes que nos dias de greve quem falta deve indicar o motivo pelo qual faltou, sob pena de ficar com falta injustifica.
A LEI 7/2009 DE 12 DE FEVEREIRO (CODIGO DE TRABALHO), É CLARA SOBRE ESTA MATÉRIA.
Os trabalhadores, sócios dos Sindicatos promotores da Greve ou não, assim como os não sindicalizados, estão cobertos pelo Pré-Aviso de Greve emitido dentro da Lei.
Esta medida, é uma “Grosseira” violação da Lei, e visa intimidar e limitar os trabalhadores para que de futuro abdiquem do direito á GREVE, direito que está na Constituição e na Lei.
Excerto da Lei 7/2009 Código de Trabalho:
Lei n.º 7/2009 de 12 de fevereiro
Aprova a revisão do Código do Trabalho
Artigo 530.º – Direito à greve
1 – A greve constitui, nos termos da Constituição, um direito dos trabalhadores. 2 – Compete aos trabalhadores definir o âmbito de interesses a defender através da greve. 3 – O direito à greve é irrenunciável.
Artigo 536.º – Efeitos da greve
1 – A greve suspende o contrato de trabalho de trabalhador aderente, incluindo o direito à retribuição e os deveres de subordinação e assiduidade. 2 – Durante a greve, mantêm-se, além dos direitos, deveres e garantias das partes que não pressuponham a efetiva prestação do trabalho, os direitos previstos em legislação de segurança social e as prestações devidas por acidente de trabalho ou doença profissional. 3 – O período de suspensão conta-se para efeitos de antiguidade e não prejudica os efeitos decorrentes desta.

Artigo 540.º – Proibição de coação, prejuízo ou discriminação de trabalhador
1 – É nulo o ato que implique coação, prejuízo ou discriminação de trabalhador por motivo de adesão ou não a greve. 2 – Constitui contra-ordenação muito grave o ato do empregador que implique coação do trabalhador no sentido de não aderir a greve, ou que o prejudique ou discrimine por aderir ou não a greve.
Artigo 543.º
Responsabilidade penal em matéria de greve A violação do disposto no n.º 1 ou 2 do artigo 535.º ou no n.º 1 do artigo 540.º é punida com pena de multa até 120 dias.
Iremos de imediato apresentar uma queixa junto da ACT.
Visita a página do SNTCT em www.sntct.pt
SINDICALIZA-TE NO SNTCT
SNTCT – a força de continuarmos juntos!

44º ANIVERSÁRIO DO SNTCT – O SINDICATO

CARTAZ SNTCT

44º ANIVERSÁRIO DO SNTCT

5 MAIO 1974 – 5 MAIO 2018

CARTAZ SNTCT

Abra aqui o cartaz em formato PDF » » » PDF CARTAZ SNTCT 44 ANOS

Tudo começou uns anos antes, em 1970, quando um grupo de trabalhadores convocado por Vitória Pinheiro, uma Telefonista dos CTT – Correios e Telecomunicações de Portugal-  EP (Empresa Pública), decidiu criar um Sindicato.

A Comissão Pró-Sindicato que ali foi eleita sabia que o regime Fascista de Salazar e Marcelo Caetano, o chamado Estado Novo, não permitia sindicatos de classe limitando à existência de alguns sindicatos corporativos controlados pelo regime.

A Comissão tudo tentou mas a acção do regime, chegando à intervenção da PIDE, a polícia política, acabou com esse sonho em 1972 quando já estava em funções a segunda Comissão, fechando as portas do local onde funcionava a Comissão, apreendendo o arquivo da mesma, perseguindo os seus elementos e prendendo mesmo um deles.

Foi necessário o advento da Revolução de 25 de Abril de 1974 para que finalmente os Trabalhadores dos CTT – Correios e Telecomunicações de Portugal – EP, pudessem dar corpo à criação do seu Sindicato.

Foi no dia 5 de Maio de 1974, pouquíssimos dias depois da Revolução dos Cravos que, no Pavilhão dos Desportos de Lisboa, hoje Pavilhão Carlos Lopes, numa Assembleia Magna com mais de 10.000 trabalhadores e trabalhadoras vindos de todos os pontos do País, decidiram criar o SNTCT, o SINDICATO.

44 anos depois ele aqui está, forte, combativo, de classe e a representar dignamente os trabalhadores dos Sector dos Correios, Telecomunicações e Actividades Afins.

SNTCT nós te saudamos e a todos(as) aqueles(as) que te construíram e reforçaram em cada um dos dias destes 44 anos.

Viva a luta dos trabalhadores.

Viva o SNTCT!

A FORÇA DE CONTINUARMOS JUNTOS

COMEMORAÇÕES 1º DE MAIO CGTP-IN – ONDE VAMOS ESTAR…

1 maio 2018

SNTCT NAS COMEMORAÇÕES
1º DE MAIO CGTP-IN

Participa. Encontramo-nos lá! 

Decorrendo as comemorações, organizadas pela nossa CGTP-IN, um pouco por todo o País, chamamos em especial a atenção de quem vive em:

LISBOA

   15h00 – Martim Moniz – Manifestação para a Alameda

COIMBRA

   15H00 – Pç. da República – Manif. p/ a Pç. 8 de Maio

PORTO

   15H00 – Avenida dos Aliados – Manifestação

Além da lista de localidades que a seguir enunciamos vê aqui os outros locais e horas das comemorações » » » comemoracoes-1maio-2018

1 maio 2018

Angra do Heroísmo
Arraiolos
Beja
Bragança
Casebres (Alcácer do Sal)
Castelo Branco
Coimbra
Covilhã
Ervidel
Évora
Faro
Figueira da Foz
Funchal, Aveiro
Grândola
Guarda
Guimarães
Horta
Lamego
Leiria
Lisboa
Mangualde
Minas da Panasqueira
Montemor-o-Novo
Pias
Ponta Delgada
Portalegre
Portimão
Porto
Santa Catarina (Alcácer do Sal)
Santarém
Setúbal
Sines
Torrão (Alcácer do Sal)
Torres Vedras
Tortosendo
Vendas Novas
Viana do Castelo
Vila Real
Viseu

COMEMORAÇÕES DO 1º DE MAIO DE 2018

LUTAR PELOS DIREITOS

VALORIZAR OS TRABALHADORES

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

25 de Abril

25 abril

25 de Abril, sempre!

Participa nas comemorações que decorrem um pouco por todo o País, com especial atenção para os desfiles/manifestações de:

Lisboa

Marquês de Pombal – 14h30

Porto
Largo Soares dos Reis – 14h30

Coimbra
Praça da República – 14h30

Faro
Mercado Municipal de Faro – 16h

Comunicado Assembleia Geral 1-2018 – Assembleia Geral SNTCT

AG00

ASSEMBLEIA GERAL DO SNTCT
5 de Maio de 2018
em
Figueira da Foz

CONVOCATÓRIA

Abre aqui o comunicado em formato PDF » » » 2018-01 ASSEMBLEIA GERAL SNTCT

Nos termos dos Artigos 54.º, 55.º alínea J, 56.º Ponto 1.º, 57.º e 58.º dos Estatutos do SNTCT, publicados no BTE, 1.ª S, nº 4 de 29 de Janeiro de 2007 e das alterações introduzidas e publicadas no BTE, 1ª Série, nº 21 de 8 de Junho de 2015, bem como do Regulamento da Assembleia Geral que lhe é anexo, convoco os associados do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações a reunir em Assembleia Geral, em primeira convocatória, no dia 5 de Maio de 2018, pelas 14 horas, no Auditório Municipal da Figueira da Foz, Rua Calouste Gulbenkian, na Figueira da Foz, com a seguinte ordem de trabalhos:

1. Discussão e deliberação sobre o Relatório de Actividades e as Contas de 2017;
2. Discussão e deliberação sobre o Plano de Actividades e o Orçamento para 2018;
3. Diversos.

Não estando presentes a maioria legal dos associados à hora indicada, ficam os associados convocados a reunir em Assembleia Geral meia hora depois, em segunda e última convocatória, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, funcionando a Assembleia Geral com qualquer número de associados presentes.
Lisboa, 5 de Abril de 2018
O Presidente da Mesa da Assembleia Geral
do SNTCT

Auditório Municipal da Figueira da Foz
(Edifício do Museu Municipal da Figueira da Foz)
Rua Calouste Gulbenkian – Figueira da Foz

PARTICIPA!

Iremos organizar transportes em autocarro de aluguer (de que comparticiparemos 80% do custo) a partir das diversas regiões onde o número de interessados o justifique. As Secções Regionais do SNTCT abrirão antecipadamente as inscrições para o efeito.

Atenção: Onde pelo número de inscritos não se justificar o aluguer de um autocarro qualquer outro tipo de comparticipação nas despesas de deslocação será analisada caso a caso mas, sempre, tratado antecipadamente sem o que não haverá comparticipação.

Contacta já a Secção Regional do SNTCT da tua área para que possamos dar início à organização dos transportes.

www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

FALECEU O CAMARADA PACHECO VIEIRA, EX-PRESIDENTE DA MESA DO PLENÁRIO DO SNTCT

20180219_115901

20180219_115901

Manuel Ernesto PACHECO VIEIRA

28-06-1940 – 18-02-2018

Associado 13948 do SNTCT

Ex-Presidente da Mesa do Plenário Nacional do SNTCT

Faleceu ontem Manuel Ernesto Pacheco Vieira que, no princípio dos anos 90 foi Presidente da Mesa do Plenário Nacional do SNTCT.

Aposentado desde 1992, o camarada Pacheco Vieira era Engenheiro de Telecomunicações de profissão e foi o último responsável pelo serviço de Telégrafo, DST, dos CTT- Correios e Telecomunicações de Portugal, Empresa Pública.

Com a partida deste camarada ficamos mais pobres mas, conhecendo-o como o conhecíamos, continuarmos a nossa luta é a melhor forma de o homenagearmos.

À família do camarada Pacheco Vieira a Direcção Nacional do SNTCT apresentou já condolências e far-se-á representar no funeral.

Até sempre camarada Pacheco!

Nota: O corpo encontra-se em câmara ardente na Igreja do Santo Condestável (Campo de Ourique) em Lisboa, donde sairá hoje às 14H00 para o Cemitério dos Olivais onde será cremado.

Comunicado SNTCT Correios 19-2017

03 correios 19

GREVE GERAL CTT
CTT, CTT EXPRESSO, MAILTEC, CTT CONTACTO
21 E 22 DE DEZEMBRO 2017

Abra aqui a versão PDF deste comunicado » » » 2017_19 CTT CORREIOS

PORQUÊ MARCAR A GREVE NOS DIAS 21 E 22?
Porque é nesta altura que a Adm./CTT sentem mais os efeitos da greve. É nesta data que os CTT não querem lutas nem greves. É quando se vai falar mais na greve, na situação da degradação do serviço e nos postos de trabalho em perigo.

VALE A PENA FAZER GREVE?
VALE! Estão em causa os nossos postos de trabalho. Pela má gestão da Adm./CTT estão em causa os aumentos salariais. Está em causa o serviço público correios. Se os CTT continuarem a promover a degradação do serviço universal pode inclusivamente estar em risco o futuro dos CTT e dos seus trabalhadores.

A LUTA VAI IMPEDIR A ADM DE DESTRUIR OS CTT?
Irá, de certeza, contribuir para isso!

24862355_1460019667380012_1628279236594882770_nbbbb
As iniciativas que foram já tomadas e o anúncio da luta já contribuíram para que a Assembleia da República discutisse a situação nos CTT e a prestação do Serviço Postal Universal. O Governo e a ANACOM já foram obrigados a tomar posição, no entanto não é ainda o que pretendemos – a reversão da privatização dos CTT – porque só assim, estamos convictos, poderemos manter os nossos direitos, postos de trabalho e a continuação da prestação de um serviço de qualidade.

 

ESTA GREVE VAI RESOLVER OS PROBLEMAS DOS TRABALHADORES NOS LOCAIS DE TRABALHO?

Certamente que vai obrigar quem gere os CTT a pensar pelo menos 2 vezes antes de continuar com este modelo de gestão.
Desde a pré-privatização dos CTT foram encerradas centenas de Estações de Correio e foram eliminados muitas centenas de postos de trabalho. Agora querem “ver-se livres” de mais de 300 trabalhadores, ao mesmo tempo que anunciam a possível entrega de mais Estações de Correio a terceiros.
Por esta razão o correio é distribuído muitas vezes apenas 1 vez por semana, as filas de espera nas estações atingem muitas vezes mais de 1 hora e no tratamento de correio há muitos postos de trabalho por ocupar.
Nos transportes alteraram as escalas e os circuitos, provocando atrasos nas chegadas aos CDP´s e prejudicando os trabalhadores no seu descanso diário e na sua vida familiar.
A DETERMINAÇÃO DOS TRABALHADORES SERÁ DECISIVA
PARA A RESOLUÇÃO DESTES PROBLEMAS.

CTT PRIVADOS VERSUS PRESTAÇÃO DO SERVIÇO UNIVERSAL
A privatização dos CTT teve como “cereja no topo do bolo” uma licença bancária. Era isso que os accionistas queriam.
A prestação do serviço universal de correios era um mal menor, ou seja, era para efectuar abaixo da qualidade convencionada.
O modelo adoptado para a criação do banco CTT prejudicou os trabalhadores do atendimento e os utentes/clientes, sobretudo por falta de trabalhadores, prova disso são as enormes filas de espera, as constantes deslocações e o estado de exaustão a que muitos TNG estão a chegar.
Para continuarem o investimento no banco eles precisam cortar despesas e por isso não admitem trabalhadores em número suficiente para a distribuição do correio, daí os atrasos na distribuição que podem ir até mais 15 dias.
Também no tratamento faltam trabalhadores, prova disso é o número de horas extra efectuadas, muitas delas por trabalhadores vindos de outros locais de trabalho.

MANTER OS NOSSOS POSTOS DE TRABALHO, DIREITOS, E ORDENADOS JUSTOS. PARA ISSO É PRECISO GARANTIR O SERVIÇO PÚBLICO DE CORREIOS COM QUALIDADE!
REVERTER A PRIVATIZAÇÃO DOS CTT, JÁ!

SNTCT – A força de continuarmos juntos!
www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

Comunicado SNTCT Correios 18-2017

greve

GREVE GERAL NOS CTT

DIAS 21 E 22 DE DEZEMBRO 2017

Veja aqui a versão PDF » » » 2017_18 CTT CORREIOS

  • CONTRA A DESTRUIÇÃO DOS CTT
  • CONTRA A DETERIORAÇÃO DO SERVIÇO UNIVERSAL DE CORREIO
  • CONTRA OS DESPEDIMENTOS ENCAPOTADOS
  • CONTRA O ASSÉDIO MORAL E PROFISSIONAL
  • CONTRA DESTRUIÇÃO DOS POSTOS DE TRABALHO
  • CONTRA A ENTREGA DE ESTAÇÕES A TERCEIROS
  • CONTRA A DESTRUIÇÃO DO PATRIMÓNIO DOS CTT
  • CONTRA A GESTÃO APENAS PARA FAVOR DOS ACCIONISTAS
  • CONTRA O TRABALHO EXTRAORDINÁRIO NÃO PAGO
  • CONTRA O ABUSO EXERCIDO SOBRE OS CONTRATADOS A PRAZO EM RELAÇÃO AO PROLONGAMENTO ILEGAL DO HORÁRIO

EXIGIMOS:

  • PRESTAÇÃO DO SERVIÇO UNIVERSAL COM QUALIDADE
  • TRABALHADORES SUFICIENTES (EC´S, CDP´S E TRATAMENTO)
  • INTEGRAÇÃO DOS CONTRATADOS E AGENCIADOS
  • ADMISSÃO DE MAIS 300 TRABALHADORES
  • MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO

PELA REVERSÃO DA PRIVATIZAÇÃO DOS CTT.

SNCT – A força de continuarmos juntos!

Comunicado SNTCT Correios 17-2017

17 01

9 Outubro 2017
DIA MUNDIAL DOS CORREIOS
Comemorar o quê? Que correios?

Clique aqui para abrir a versão PDF deste comunicado » » » SNTCT CORREIOS 17-2017

Comemora-se hoje o Dia Mundial dos Correios. Foi como tal declarado pelo Congresso da UPU – União Postal Universal realizado em Tóquio, no Japão, no ano de 1969. O dia escolhido, o 9 de Outubro, é o da criação da UPU, em Berna, no ano de 1874.

Decidiu o Congresso da UPU criar este Dia Mundial dos Correios como forma de consciencializar pessoas e instituições sobre o papel dos correios na vida dos povos. Consciencializar portanto os homens e mulheres sobre a importância do Sector Postal na sua vida diária e o seu papel no desenvolvimento e coesão social e económica dos Países.
Estava-se em 1969, os Serviços Postais pertenciam aos Estados, implementava-se e estudava-se uma maior qualidade na sua prestação e tinham como fim a satisfação das necessidades dos cidadãos no que respeitava à comunicação.
Em Portugal os Serviços Postais eram então prestados pela Direcção Geral dos Correios Telégrafos e Telefones que, no final desse ano, foi transformada na primeira Empresa Pública portuguesa, os CTT – Correios e Telecomunicações de Portugal, E.P..
Os CTT, ou os “CORREIOS”, como sempre foram designados portugueses, eram então um dos melhores Serviços Postais do Mundo e assim se mantiveram até à primeira década do Século XXI.
Começavam então a implementar-se as decisões tomadas em Bruxelas sobre a liberalização total dos Serviços Postais, decisões transpostas para a Legislação Nacional por Governos da República Portuguesa que não souberam, nem quiseram, defender os interesses nacionais e sobretudo os dos Cidadãos.
Foi então que os Utentes começaram a ser designados por “Clientes” e, começou a acção de destruição da qualidade dos serviços prestados, o encerramento de Estações de Correios, a tentativa de supressão de direitos e regalias dos trabalhadores e a redução do número dos mesmos. Hoje os factos não deixam lugar a quaisquer dúvidas, com vista à Privatização dos CTT. Privatização primeiro proposta por um Governo de José Sócrates/PS e criminosamente concretizada pelo Governo PSD/CDS liderado por Passos Coelho que, criminosamente, privatizou os CTT.

OS TRABALHADORES E OS UTENTES DOS CTT TÊM RAZÕES PARA FESTEJAR? VEJAMOS… 

TRABALHADORES CTT – FESTEJAREM O QUÊ?
• A supressão contínua de postos de trabalho e venda de património construído dos CTT (assim continuamente empobrecidos) para crescerem os dividendos pagos aos accionistas?
• O desgaste físico e psíquico provocado pelo excesso de trabalho e prolongamentos abusivos (sem pagamentos e sob coacção e ameaça) dos tempos de trabalho?
• A Gestão da Empresa a chorar míseros aumentos salariais nas mesas de negociação e a distribuir lucros crescentes aos accionistas?
• Os alegados “prémios” e progressões profissionais que ninguém vê?
• A gestão irracional da reduzida força de trabalho, ordens contraditórias ao minuto e serem responsabilizados por erros cuja responsabilidade é da má gestão?
• Os trabalhadores dos balcões a serem tratados como carne para canhão, depois de terem contribuído para a criação do Banco CTT a custo zero, para os CTT encherem os bolsos dos seus proprietários, os accionistas?
• Os trabalhadores dos balcões que executam serviço do Banco CTT a ganharem menos que recém-contratados que vieram de fora com formação bancária feita à pressa?
• Chefes de loja com provas dadas que de repente são exonerados e substituídos por gente que veio da banca e que percebe tanto de correios como de astronomia?
• Carteiros e que são obrigados a prolongarem os seus horários de trabalho sob ameaça de processo se trouxerem correio para trás?
• Carteiros e TNG’s a quem hoje obrigam a fazer (mal) o seu trabalho? Os mesmos que têm que dar a cara todos os dias pelos problemas sistemáticos no atendimento e na distribuição de correio? Chefias de Estações de Correio e de CDP’s sem meios humanos que lhes permitam fazer melhor?
• Trabalhadores que vêem denegados acidentes de trabalho/serviço? Não terem Serviços de Saúde e Segurança no Trabalho fiáveis? Serem tratados como criminosos quando, levados a isso por uma gestão negreira do trabalho, são obrigados a não trabalharem e ficarem na situação de ausência por doença?

E OS UTENTES/CLIENTES, VÃO FESTEJAR O QUÊ?
• Receberem o seu correio sistematicamente atrasado? Verem-se prejudicados nas suas vidas pessoais e profissionais por tais atrasos?
• Verem reduzidos os pontos de acesso à Rede Postal Pública obrigando-os assim a calcorrearem quilómetros para encontrarem uma Estação de Correios ou Marco Postal?
• Passarem horas em filas dos serviços postais nas Estações de Correios porque o pouco pessoal é desviado para os balcões dos serviços bancários?
• Serem destratados porque reclamam da qualidade dos serviços e obterem respostas ínvias às suas reclamações quando as recebem?
• Sentirem-se coagidos a comprarem lotarias e quejandos só para serem simpáticos aos trabalhadores que por sua vez são coagidos a pressioná-los paras comprarem tais produtos?

  • EM SUMA, TRABALHADORES E UTENTES/CLIENTES A FESTEJAREM O QUÊ?
  • O DESRESPEITO PARA COM ELES?
  • A DESTRUIÇÃO DA QUALIDADE E DA ESTRUTURA DOS CTT?
  • O FUTURO DOS CTT QUE ESTÁ A SER COMPROMETIDO, SÓ PARA QUE OS ACCIONISTAS ENCHAM OS BOLSOS?

Na certeza de que havemos de recuperar o orgulho nos CTT e vermos resposta a qualidade do serviço prestado e o bem-estar e resposta às legítimas aspirações e direitos dos trabalhadores e utentes/clientes,

VIVAM OS TRABALHADORES E OS UTENTES/CLIENTES DOS CTT!
SNTCT – A força de continuarmos juntos!

www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

Comunicado SNTCT Cultura/Tempos Livres 1-2017

2017_01 CULTURA_TEMPOS LIVRES imagem 01

PROTOCOLO 2017 PARA AQUISIÇÃO DE LIVROS ESCOLARES
PARA OS FILHOS DOS ASSOCIADOS DO SNTCT

Abra aqui a versão PDF deste comunicado » » » 2017_01 CULTURA_TEMPOS LIVRES

No seguimento do sucesso do Protocolo celebrado nos anos anteriores entre o SNTCT e a Livraria Tio Papel – especialista em livros escolares – a mesma irá continuar a realizar 10% de desconto sobre o preço de capa dos livros escolares (1º ao 12º Ano) encomendados até dia 31 de Agosto de 2017.
A encomenda deverá ser feita para o email encomendas@tiopapel.com através do preenchimento da ficha em anexo (digitalizando-a depois de preenchida ou escrevendo no email de encomenda todos os dados solicitados bem como as indicações a colocar no campo observações).
A Livraria Tio Papel comunicará ao associado(a) do SNTCT o valor total da factura, valor que o mesmo pagará de acordo com forma estabelecida; transferência bancária, cheque ou cobrança postal (ª).
Após bom pagamento, quando a encomenda estiver pronta, a livraria entregará a mesma, junto com a factura, nas instalações sede do SNTCT, que por sua vez irá fazê-la chegar ao associado. No caso de optar pela Cobrança Postal a mesma será enviada pela Livraria Tio Papel directamente para casa do Associado ficando os portes e prémio de cobrança a cargo do mesmo.
Para além dos 10% de desconto, poderá ainda solicitar a plastificação dos seus livros por mais 1 euros por exemplar.

(ª) O valor total da factura poderá ainda ser pago em 3 vezes por via do envio de cheques pré-datados sendo o primeiro descontado pela Livraria Tio Papel antes do envio da encomenda.

PARA ESCLARECIMENTOS CONTACTAR SNTCT SEDE: 218428900 ou sntct@sntct.pt

SNTCT – A força de continuarmos juntos!
www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct
A Direcção Nacional do SNTCT
Encomendas do SNTCT
SINDICATO NACIONAL DOS TRABALHADORES DOS CORREIOS E TELECOMUNICAÇÕES

Enviar por email para: encomendas@tiopapel.com

Nome do(a) Associado(a):

Nº de Associado(a):

Contacto Telefónico:

Morada do(a) Associado(a):

Empresa:

Local de Trabalho:

Nome da Escola da Criança:

Localidade da Escola:

Concelho da Escola:

Ano escolar a frequentar:

Os livros vêm normalmente no chamado “Pack Pedagógico”, com os cadernos de atividades e o CD. Assinale em “Observações” se não quiser o CD ou mesmo o Caderno de Atividades.
Assinale em “Observações” caso não deseje algum livro adotado pela escola.
Assinale em “Observações” se pretende algum livro plastificado.
ATENÇÃO
OS LIVROS TÊM QUE SER ENCOMENDADOS ATÉ 31 DE AGOSTO

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

1 2 3