CTT – COMUNICADO CONJUNTO SOBRE SERVIÇOS MÍNIMOS

oooooo

GREVE GERAL CTT
23 FEVEREIRO
NÃO FORAM DECLARADOS SERVIÇOS MÍNIMOS
PELOS MINISTÉRIOS

Abre aqui o comunicado em formato PDF  » » » COMUNICADO CONJUNTO SERVIÇOS MÍNIMOS 

Assim, ficam como Serviços Mínimos, exclusivamente os declarados nos Pré-Avisos de Greve entregues pelos Sindicatos aos CTT e aos Ministérios.

“Para efeitos do cumprimento dos disposto no nº 3 do Art.º 534 do Código de Trabalho, informamos que:
1. Os serviços necessários à segurança e manutenção de equipamento e instalações serão assegurados por Delegados Sindicais, Dirigentes Sindicais e trabalhadores não aderentes;
2. Nos termos e para efeitos do nº 1 do Art.º 537 do referido Diploma Legal, (…a direcção de cada sindicato…) vem propor os seguintes serviços mínimos, a assegurar por Delegados Sindicais, Dirigentes Sindicais e trabalhadores não aderentes:
• Garantia da segurança e manutenção das instalações e do equipamento;
• Distribuição de Telegramas e Vales Telegráficos;
• Distribuição de Vales Postais da Segurança Social bem como da correspondência que titule prestações por encargos familiares ou substitutivas de rendimentos de trabalho emitida por entidade bancária contratada pela Segurança Social que, pelo seu formato específico, permita, sem equívocos concluir pela natureza de tais prestações;
• Recolha, tratamento, expedição e distribuição de correio e encomendas postais que contenham medicamentos ou produtos perecíveis, desde que devidamente identificados no exterior.”
DAÍ:
• SE QUALQUER TRABALHADOR(A) FOR “ESCALADO(A)” OU “REQUISITADO(A)” , DEVE DE IMEDIATO CONTACTAR O SEU SINDICATO.
• SE ALGUM(A) TRABALHADOR(A) FOR INSTADO A ASSINAR QUALQUER DOCUMENTO NÃO O DEVE FAZER E DEVE, TAMBÉM, DENUNCIAR IMEDIATAMENTE A SITUAÇÃO AO SEU SINDICATO.
• SE ALGUM(A) TRABALHADOR(A) FOR CONFRONTADO COM A INFORMAÇÃO – ILEGAL E MENTIROSA – DE QUE LHE VAO DESCONTAR 3 DIAS PELA GREVE, O(A) TRABALHADOR(A) DEVE PEDIR UMA DECLARAÇÃO ESCRITA À PESSOA QUE FIZER TAL AFIRMAÇÃO.

 

CT-CTT – SNTCT – SINDETELCO – SINCOR – SINTTAV

COMUNICADO CONJUNTO SOBRE GREVE/MANIF. CTT 23 FEVEREIRO

XPTO 01

DIA 23 FEVEREIRO
GREVE GERAL NOS CTT E EMPRESAS DO GRUPO CTT
MANIFESTAÇÃO NACIONAL EM LISBOA
ÀS 14H30 NO MARQUÊS DE POMBAL

Abra este link para aceder À versão PDF do comunicado: COMUNICADO CONJUNTO CTT 23 FEV

O futuro do serviço público e universal de correios prestado às populações e empresas, o futuro da Empresa CTT e dos seus trabalhadores, ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS. UMA GRANDE ADESÃO À GREVE GERAL E UMA GRANDE MANIFESTAÇÃO EM LISBOA serão um passo decisivo para obrigar o Governo a reverter a privatização dos CTT. Os trabalhadores dos CTT – Atendimento, Distribuição, Tratamento e Serviços Centrais – e os trabalhadores das empresas do grupo CTT, TÊM OBRIGATORIAMENTE QUE PENSAR NO SEU FUTURO E DAS SUAS FAMÍLIAS. Trabalhamos, por isso não queremos perder direitos. Trabalhamos, por isso temos que ter melhores salários. Queremos continuar a ter orgulho em trabalhar nos CTT-Correios de Portugal e prestar um serviço de qualidade aos utentes/clientes. QUEREMOS SER RESPEITADOS e não queremos ser assediados, ameaçados e castigados com alterações de horários, mudanças de giro e deslocações. Está na hora de despertar e de sair da nossa zona de conforto, é hora de decidirmos o nosso presente e futuro, sem comodismos e sem arranjarmos desculpas. JUNTOS SOMOS SUFICIENTEMENTE FORTES PARA ATINGIR OS NOSSOS OBJECTIVOS. Alguns pensam que não vale a pena lutar porque eles são muito fortes ou porque não conseguimos dar a volta à situação, mas a história recente ensinou-nos que não há impossíveis. Também os trabalhadores da PT que durante anos acharam que não valia a pena lutar, confrontados com os problemas graves que os atingiam, “acordaram” e fizeram uma greve muito grande e uma manifestação em Lisboa com mais de 5.000 pessoas. A partir desse dia os órgãos de poder foram obrigados a tomar posição e decidiram a favor dos trabalhadores. A luta foi ganha! TODOS PARA LISBOA
HÁ TRANSPORTES ORGANIZADOS, CONTACTA O TEU SINDICATO

CT-CTT – SNTCT – SINDETELCO – SINCOR – SINTTAV

FALECEU O CAMARADA PACHECO VIEIRA, EX-PRESIDENTE DA MESA DO PLENÁRIO DO SNTCT

20180219_115901

20180219_115901

Manuel Ernesto PACHECO VIEIRA

28-06-1940 – 18-02-2018

Associado 13948 do SNTCT

Ex-Presidente da Mesa do Plenário Nacional do SNTCT

Faleceu ontem Manuel Ernesto Pacheco Vieira que, no princípio dos anos 90 foi Presidente da Mesa do Plenário Nacional do SNTCT.

Aposentado desde 1992, o camarada Pacheco Vieira era Engenheiro de Telecomunicações de profissão e foi o último responsável pelo serviço de Telégrafo, DST, dos CTT- Correios e Telecomunicações de Portugal, Empresa Pública.

Com a partida deste camarada ficamos mais pobres mas, conhecendo-o como o conhecíamos, continuarmos a nossa luta é a melhor forma de o homenagearmos.

À família do camarada Pacheco Vieira a Direcção Nacional do SNTCT apresentou já condolências e far-se-á representar no funeral.

Até sempre camarada Pacheco!

Nota: O corpo encontra-se em câmara ardente na Igreja do Santo Condestável (Campo de Ourique) em Lisboa, donde sairá hoje às 14H00 para o Cemitério dos Olivais onde será cremado.

Comunicado SNTCT Correios 3-2018

PPPP

CRT
DEFENDER O FUTURO DA TUA EMPRESA É, TAMBÉM, RESPONSABILIDADE TUA.
Constatares os problemas e as injustiças não chega.
TENS DE AGIR!

23 Fevereiro 2018
GREVE GERAL + MANIFESTAÇÃO EM LISBOA

Abre este link para acederes à versão PDF deste comunicado »»» 2018_3 CTT CORREIOS

• Andas há meses a dobrar giros por falta de pessoal;
• Trabalhas para além do teu horário prejudicando a tua vida;
• Vais para a rua dar a cara pelo mau serviço a que te obrigam;
• Sofres ameaças na rua por não levares o serviço que até está no CDP;
• Ao sol ou à chuva dás sempre o teu melhor;
• Falta-te equipamento adequado para transportares grandes volumes;
• Nas promoções por mais que faças e te superes, só vês outros subir;
• És exemplar no trabalho mas há sempre quem te diga que não chega.
Nunca lhes chega!
E tu sempre a seres prejudicado. BASTA!

Nos últimos anos a gestão dos CTT fez desaparecer quase metade dos CDP’s, centralizando muitos e provocando com isso ainda maiores problemas no serviço, além de ter reduzido grandemente o número de Carteiros. É visível, para quem o queira ver, que faltam trabalhadores e que a sobrecarga é enorme sobre os que restam. E ainda querem ver-se livres de mais 800 trabalhadores? Só se for para fecharem as portas e acabarem definitivamente com o serviço de correios dentro dos CTT.

Na generalidade dos serviços é flagrante a “poupança” principalmente no número de trabalhadores, mas não só. Procuram assim esconder a realidade; que o que tem desequilibrado as contas dos CTT são as assessorias, contratações com chorudos ordenados e investimentos no Banco CTT.
ENTRETANTO, NOS CDP’S, NINGUÉM O PODE IGNORAR:
• Faltam trabalhadores em número suficiente para uma correcta execução do serviço. As dobras de giros são constantes, com o desgaste que tal traz para os CRT’s. Os “Giros agenciados” proliferam com tudo aquilo que de mau trazem, incluindo a redução de pessoal dos CTT , em muitos casos, uma má prestação do serviço;
• As alterações de horários, sempre para pouparem em alguns subsídios, com acréscimos desmedidos dos intervalos de descanso, são maus para o normal andamento do serviço e para a vida pessoal dos CRT’s;
• As pressões, de toda a espécie, sobre os trabalhadores da Distribuição raia o assédio moral. Nunca chega mesmo que se cumpram os objectivos. O crescimento do número de casos de estafa física e psicológica bem como de acidentes de trabalho tem vindo a ser uma constante;
• A falta de respeito para com os cidadãos no tocante ao atraso verificado na distribuição das correspondências fez aumentar o número de ameaças de agressão física fundamentalmente nas zonas de maior problemática social;
• A enormidade de valores transportados pelos CRT’s, por exemplo para pagamento de vales ao domicílio (muitas da vezes em resultado do encerramento de estações de Correio na proximidade das populações), faz perigar também a segurança dos CRT’s;
Estas são apenas algumas das situações que nos são relatadas todos os dias. Mas muitas mais existem e tu, que trabalhas na Distribuição sabes bem quais são. Nada do que te acontece é inocente. Faz tudo parte da descapitalização da empresa até na sua imagem junto das populações, faz tudo parte da destruição dos CTT Correios para que possam ficar com a marca CTT a servir de escudo ao Banco.
Os CTT continuam a dar lucro, porque é também o teu trabalho, muitas vezes sem condições, a criar esse lucro. Mas, como deves saber, é muito mais que o lucro que vai parar ao bolso dos accionistas enquanto para ti, NADA. Isto não pode continuar.
A gestão dos CTT está descontrolada e urge pôr cobro ao desnorte antes que nada sobre da Empresa que também tu ajudaste a construir.
É POR ISSO QUE EXIGIMOS DO PODER POLÍTICO
A REVERSÃO TOTAL DA PRIVATIZAÇÃO.
É por tudo isto que, dia 23 de Fevereiro, vamos estar em Greve e nos vamos manifestar em Lisboa.
Motivos não nos faltam, verdade?
Então junta-te à luta porque juntos, somos mais fortes.
SNTCT – A força de continuarmos juntos!
www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

Comunicado SNTCT Correios 2-2018

Sem Título

TNG
DEFENDER O FUTURO DA TUA EMPRESA É, TAMBÉM, RESPONSABILIDADE TUA.
Constatares os problemas e as injustiças não chega.
TENS DE AGIR!
23 Fevereiro 2018
GREVE GERAL

Abre aqui a versão PDF deste comunicado » » » 2018_2 CTT CORREIOS

• Dás o teu melhor e ultrapassas situações impossíveis ao balcão – NUNCA CHEGA!
• Cumpres os objectivos e dás a cara por todo e qualquer produto – NUNCA CHEGA!
• Fazes trabalho bancário e desdobras-te nas actividades postais – NUNCA CHEGA!
• Trabalhas para além da hora e prejudicas o teu descanso e laser – NUNCA CHEGA!
• Nas promoções por mais que faças e te superes, só vês outros subir – NUNCA CHEGA!
• És exemplar no trabalho mas há sempre quem te diga que não chega – NUNCA CHEGA!
Quando já só existem menos de 600 Estações de Correio, ainda querem fechar mais. Provavelmente as que não têm balcões do Banco CTT.
Faltam trabalhadores, a sobrecarga é enorme sobre os que restam e ainda querem ver-se livres de mais 800? Só se for para fecharem as portas.
No que concerne às Estações de Correio é flagrante a “poupança” principalmente no número de trabalhadores, mas não só. Procuram assim esconder a realidade; que o que tem desequilibrado as contas dos CTT são as assessorias, contratações com chorudos ordenados e investimentos no Banco CTT.

ENTRETANTO, NAS ESTAÇÕES DE CORREIO, NINGUÉM O PODE IGNORAR:
• Acontecem deslocações sistemáticas e abusivas de trabalhadores. Colocaram o pessoal dos CARC’s só para pouparem nos custos dos passes sociais mas continuam a deslocar gente todos os dias. Acontece porque os trabalhadores se calam e, muitas vezes, a gestão continua na senda de alterar horários de trabalho em cima da hora e sem o pré-aviso que a Lei exige;
• Os trabalhadores vão tendo cada vez mais dificuldades em lidar com os conflitos e as reclamações dos utentes/clientes, quer em relação ao serviço nas Estações quer em relação à Distribuição. A falta de protecção ao balcão e de apoio de retaguarda, as ordens mal explicadas e a responsabilização excessiva dos trabalhadores de balcão quando conjugada com trabalho feito à pressa e excesso de anotações necessárias para muitas operações, raia em muitos dias o impossível;
• As pressões, de toda a espécie, sobre os trabalhadores das Estações raia o assédio moral. Nunca chega mesmo que se cumpram os objectivos. O crescimento do número de casos de estafa física e psicológica que tem vindo a ser uma constante.
• A falta de um correcto acompanhamento às actividades dos balcões vai num crescendo com muitas chefias a não terem condições para melhor ajudar os coadjuvantes. Muitas dessas chefias, ex: as que passam os dias ao balcão deixando para trás o trabalho de retaguarda, quando reclamam são confrontadas com o quero-posso-mando de quem as coordena mas que, logo se desresponsabiliza habilidosamente, quando os problemas acontecem;
• A sobrecarga sobre os tesoureiros/exactores é de uma enormidade a toda a prova. O desgaste a que estão sujeitos estes trabalhadores “pau para toda a obra”, tem que terminar;
Estas são apenas algumas das situações que nos são relatadas todos os dias. Mas muitas mais existem e tu, que trabalhas nos balcões sabes bem quais são.
Nada do que te acontece é inocente. Faz tudo parte da descapitalização da empresa até na sua imagem junto das populações, faz tudo parte da destruição dos CTT Correios para que possam ficar com a marca CTT a servir de escudo ao Banco.
Os CTT continuam a dar lucro, porque é também o teu trabalho, muitas vezes sem condições, a criar esse lucro.
Mas, como deves saber, é muito mais que o lucro que vai parar ao bolso dos accionistas enquanto para ti, NADA. Isto não pode continuar.
A gestão dos CTT está descontrolada e urge pôr cobro ao desnorte antes que nada sobre da Empresa que também tu ajudaste a construir.
É POR ISSO QUE EXIGIMOS DOS PODER POLÍTICO
A REVERSÃO TOTAL DA PRIVATIZAÇÃO.
É por tudo isto que dia 23 de Fevereiro vamos estar em Greve. Motivos não nos faltam, verdade? Então junta-te à luta porque juntos, somos mais fortes.
SNTCT – A força de continuarmos juntos!
www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

CTT – 23 FEVEREIRO 2018 – GREVE GERAL E MANIFESTAÇÃO

COM Conjunto 23 Fev A

GREVE GERAL
NAS EMPRESAS DO GRUPO CTT
23 DE FEVEREIRO DE 2018

MANIFESTAÇÃO NACIONAL DE TRABALHADORES DO GRUPO CTT E POPULAÇÕES
23 DE FEVEREIRO DE 2018
LISBOA – 14H30 – MARQUÊS DE POMBAL

Abra aqui a versão PDF deste comunicado » » » cOMUNICADO greve 23 Fev

• PELA REVERSÃO DA PRIVATIZAÇÃO DOS CTT
• POR UM SERVIÇO POSTAL UNIVERSAL DE QUALIDADE
• CONTRA OS DESPEDIMENTOS (ENCAPOTADOS OU NÃO)
• CONTRA O ENCERRAMENTO DE ESTAÇÕES DE CORREIO
• CONTRA A REDUÇÃO E SOBRECARGA DE GIROS
Os Sindicatos subscritores deste comunicado, confrontados com a destruição da Rede Pública Postal e da qualidade de serviço pela CE dos CTT, decidiram continuar a luta, com o apoio da Comissão de Trabalhadores dos CTT.
Depois dos contactos com as populações, reuniões com Comissões de Utentes e com Autarquias, das audições com os Grupos Parlamentares, das audições nas Comissões de Trabalho e Economia da AR, das reuniões com a ANACOM e ANMP, depois de Plenários e contactos com os Trabalhadores a nível nacional, e depois da Greve Geral realizada em Dezembro passado, é para todos claro os CTT têm que aumentar o número de trabalhadores, de giros e de estações actualmente existentes e não, como anunciaram, fechar Estações e despedir trabalhadores.
Assim, perante o autismo da CE da Empresa, o único caminho é o da exigência da Reversão Total da Privatização dos CTT, existindo já uma Petição nesse sentido entregue na AR. O Governo tem que assumir as suas responsabilidades no sentido de salvaguardar a Rede Pública Postal e para que o Serviço Postal Universal volte a ser prestado com qualidade às populações e empresas.

É NECESSÁRIO QUE NO DIA 23 DE FEVEREIRO ESTEJAM NA RUA MILHARES DE PESSOAS (TRABALHADORES E POPULAÇÃO), SÓ ASSIM PODEREMOS CONTRIBUIR DECISIVAMENTE PARA REVERTER A PRIVATIZAÇÃO DOS CTT.

As Direcções dos Sindicatos: SNTCT – SINDETELCO – SINCOR – SINTTAV

 

www.sntct.pt – www.faceboo.com/sntct

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

Comunicado SNTCT CORREIOS 1-2018

CTT 18_01

ADM E ACCIONISTAS DOS CTT ESTÃO A ENGANAR AS POPULAÇÕES E O PAÍS
É URGENTE A INTERVENÇÃO DO GOVERNO
Basta de mau serviço às populações e às empresas para aumentarem os lucros aos accionistas.
O CONTROLO DOS CTT PELO ESTADO É URGENTE

Abra aqui o comunicado em formato PDF » » » 2018_1 CTT CORREIOS

Acções, lucros, dividendos, vendas de património, é disto que se fala, é a componente financeira que interessa.
A privatização dos CTT foi prejudicial para o País e para os Portugueses.
Medida errada e inexplicável decidida pelo PS e efectivada pelo PSD e CDS, não teria rendido o que rendeu – muito abaixo do seu valor real – se não tivesse sido atribuída uma licença bancária aos CTT.
Assim nasceu o Banco CTT, a chamada “galinha dos ovos de ouro” dos accionistas, nomeadamente do maior accionista – Manuel Champalimaud, que se dá ao luxo de deixar recados ao Governo e aos trabalhadores: (sic) “Manuel Champalimaud sustenta que, “se a decisão do Governo for acabar com esta concessão … nessa altura entra a concorrência estrangeira, a marca depressa desaparecerá e o quadro de pessoal aí sim, será muito sacrificado”.
É caso para dizer que depois de investimentos na REN e outros, o que está a dar são os CTT (leia-se banco), porque “é fácil, é barato e dá milhões”.
Subidas e descidas do valor das acções, aquisição de acções a baixo valor, dividendos pagos muito acima dos lucros, medidas tomadas à pressa sob a falsa justificação de uma pseudo reestruturação, mais não são que decisões para “bolsa ver” e para manter os chorudos dividendos e as muitas centenas de milhares de euros que a ADM/CTT recebe anualmente.
Além disso a gestão dos CTT utiliza o argumento de que a “carta” está a desaparecer e isso tem resultados negativos nas receitas dos CTT, o que é uma inverdade, porque as receitas com encomendas e outras correspondências de valor acrescentado têm aumentado.
O que tem desequilibrado as contas dos CTT são as assessorias, contratações com chorudos ordenados e investimentos no banco CTT.
Está em causa o serviço público e universal de correios com qualidade, estão em causa os direitos das populações e empresas, estão em causa centenas senão milhares de postos de trabalho, estão em causa os pontos de acesso – a estações de correio.
Quando já só existem cerca de 600 Estações de Correio, ainda querem fechar 22 e muitas outras se seguirão, provavelmente as que não têm balcões do Banco CTT, o correio já só é distribuído 1 vez por semana em muitas zonas, e é conhecida a intenção de despedir pelo menos 800 trabalhadores.
A confiança nos CTT junto da populações e empresas está a diminuir vertiginosamente sendo os trabalhadores dos CTT confrontados diariamente com reclamações, impropérios e nalguns casos ameaças.
ESTA SITUAÇÃO NÃO PODE CONTINUAR A SER IGNORADA POR QUEM DE DIREITO – ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA E GOVERNO!

O ESTADO TEM QUE TOMAR DECISÕES E ADMITIR INEQUIVOCAMENTE QUE FOI UM ERRO A PRIVATIZAÇÃO DOS CTT, ASSUMINDO A TOMADA DE MEDIDAS URGENTES PARA A REVERSÃO DA PRIVATIZAÇÃO.
SNTCT – A força de continuarmos juntos!
www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

EM VÉSPERA DE GREVE CE/CTT AMEAÇA COM MAIS DESPEDIMENTOS…

24862355_1460019667380012_1628279236594882770_nbbbb

CTT EM VÉSPERAS DE GREVE.
A AMEAÇA E ELA ACONTECEU. FICA-LHES TÃO BEM…!
MAS, COM AMEAÇA OU SEM ELA, OS PROBLEMAS CONTINUAM E AS RAZÕES DOS TRABALHADORES PARA LUTAREM NÃO DIMINUIRAM, ANTES PELO CONTRÁRIO.

21 e 22 de Dezembro 2017
GREVE GERAL NOS CTT

Não podia a CE comunicar os seus propósitos aos representantes dos trabalhadores porque tinha que o comunicar antes à CNVM? Pois…!!!
Não podia comunicar aos trabalhadores mas a comunicação social já o sabia desde ontem? Pois…!!!
A CE dos CTT convoca os representantes dos trabalhadores para as 18 horas de ontem, 19 de Dezembro, hora a que a comunicação social já se degladiava na praça pública sobre números relativos a despedimentos (800 segundo uns, 900 segundo outros e até 1000 segundo alguns outros), encerramentos de “lojas com pouca procura” (300 aventavam outros), um verdadeiro tirocínio? Pois…!!!
A calendarização não teve nada a ver com a Greve que começa daqui a pouco mais de 24 horas? Pois…!!!
A calendarização da comunicação à CNVM tinha que ser feita ontem? Não podia ser feita depois do Natal, depois da Greve? Pois…!!!
Claro que a CE dos CTT sabia que, lançada a confusão nos média, tal não chegaria aos trabalhadores CTT antes das 18 horas, hora para a qual convocaram os seus representantes. Os trabalhadores CTT vivem enclausurados e estava cronometrado que só acordariam para o mundo às 18 horas em ponto. Só pode, verdade? Pois…!!!
Pois, pois, pois,…!!!
Pois a grande novidade que a CE dos CTT tinha para apresentar às ORT’s, novidade que já não o era (não que a CE dos CTT o desejasse, claro,…), resume-se basicamente em meia dúzia de palavras.
A CE DOS CTT CONTINUA PREOCUPADA COM OS BOLSOS DOS ACCIONISTAS E, COMO TAL, TUDO FARÁ PARA OS ALIMENTAR À CUSTA DOS TRABALHADORES E DA QUALIDADE DO SERVIÇO.
ONDE ESTÁ A NOVIDADE?
COM ESTA MANOBRA CLARAMENTE INTIMIDATÓRIA, MAIS NÃO PRETENDE A CE QUE INTIMIDAR OS TRABALHADORES DA EMPRESA EM VÉSPERA DE GREVE.
INTIMIDAR ALGUNS TRABALHADORES MAIS INCAUTOS, EM VÉSPERAS DA GREVE, PORQUE A CE SABE-O TÃO BEM COMO NÓS, OS TRABALHADORES JÁ NÃO AGUENTAM MAIS ASSISTIREM À DESTRUIÇÃO DA EMPRESA QUE CONSTRUIRAM, DA QUALIDADE DO SERVIÇO QUE PRESTAM E DO SEU FUTURO.
OS TRABALHADORES QUE, POR VEZES ALGO INGÉNUOS MAS NÃO DISTRAÍDOS, EXIGEM UMA SOLUÇÃO RÁPIDA QUE EVITE A DESTRUIÇÃO DE UMA EMPRESA QUE LEVOU 500 ANOS A CONSTRUIR E, CONCOMITANTETEMENTE, DAS SUA VIDAS.
Se não é/foi uma tentativa de intimidação, é/foi o quê?
Vejamos:
Informou a CE dos CTT que este “plano de contingência” tem a ver com o abaixamento do serviço, o abaixamento de receitas e, é fartar vilanagem, por não ter podido pagar o prometido aos accionistas.
E O PESSOAL NÃO FOI JÁ REDUZIDO NUMA PERCENTAGEM MUITO SUPERIOR À DA REDUÇÃO DO SERVIÇO? PORQUE NÃO FALOU A CE DOS CTT DOS MÍSEROS SALÁRIOS QUE HOJE SE PAGAM A QUEM REALMENTE TRABALHA NA EMPRESA?
E OS TRABALHADORES QUE HOJE FAZEM O SERVIÇO ANTERIORMENTE EXECUTADO POR DOIS OU TRES (ENTÃO COM QUALIDADE) ESTÃO, POR ACASO, A GANHAR TRÊS VEZES MAIS POR ISSO?
E O SERVIÇO BAIXOU SÓ POR CAUSAS NATURAIS OU, MUITO DELE, FOI PERDIDO PARA A CONCORRÊNCIA POR FALTA DE QUALIDADE NO MESMO PROVOCADA PELA FLAGRANTE FALTA DE PESSOAL E MÁ ESTRATÉGIA EMPRESARIAL?
E O ABAIXAMENTO DO SERVIÇO NÃO FOI LARGAMENTE COMPENSADO, NO BOLSO DOS ACCIONISTAS, COM AUMENTOS DE TARIFAS QUE CHEGAM A MAIS DE 100% DEPOIS DA PRIVATIZAÇÃO.
Informou também a CE dos CTT que pretende reduzir o número de trabalhadores, entre 600 e 700, durante os próximos três anos (com especial incidência em 2019 e 2020), “sempre de forma negociada” como fez no ano passado e agora repetiu (pois, negociações, sem ameaças de despedimentos colectivos e outras de idêntico teor, pois,…!!!). Informou ainda a CE dos CTT que já não existem “gorduras” para cortar pelo que agora, dizemos nós, irá atacar na carne.
QUANDO TODOS SABEMOS QUE OS TRABALHADORES ESTÃO REDUZIDOS, JÁ, AO MÍNIMO DOS MÍNIMOS, E QUE A CE DOS CTT VISA QUE ESSA AGORA ANUNCIADA NOVA REDUÇÃO SEJA FEITA POR ACRÉSCIMO À REDUÇÃO NATURAL (APOSENTAÇÕES, REFORMAS E OUTRAS SAÍDAS), QUEM IRÁ EXECUTAR O SERVIÇO? E A QUALIDADE DO SERVIÇO? E O SPU (SERVIÇO POSTAL UNIVERSAL)? ONDE FICAM?
E QUEM VAI DISTRIBUIR, QUEM VAI ATENDER NOS BALCÕES? OS ABENÇOADOS DOS DRONES OU, CABECINHAS PENSADORAS, JÁ ENCOMENDARAM CURSOS DE TELECINÉZIA PARA A ENTREGA DE CORREPONDÊNCIAS SÓ ATRAVÉS DO PENSAMENTO?
OU, SERÁ QUE AS MÁS-LÍNGUAS TÊM RAZÃO, E A CE DOS CTT ESTÁ A DESTRUIR CIRURGICAMENTE A EMPRESA E A QUALIDADE DO SERVIÇO PARA, CHEGADO 2020, PERDER DELIBERADAMENTE A LICENÇA DO SPU E, ASSIM, FICAR COM A MARCA CTT, O BANCO CTT, O QUE RESTAR DO PATRIMÔNIO E, PERDENDO DELIBERADAMENTE O SPU, FICAR COM OS TRABALHADORES QUE RESISTIREM SEM SERVIÇO PARA OS MESMOS E ASSIM PODER DESPEDI-LOS COLECTIVAMENTE? SÓ MÁS-LÍNGUAS, VERDADE?
AS MESMAS MÁS-LINGUAS QUE VÃO AINDA APONTANDO A DELAPIDAÇÃO APRESSADA DO PATRIMÓNIO RECEBIDO NA PRIVATIZAÇÃO NÃO VÁ O DIABO TECÊ-LAS E VENHA POR AÍ UMA RENACIONALIZAÇÃO DOS CTT AO INVÉS DE UMA CASSAÇÃO DE LICENÇA, ABENÇOADA, DO SPU?
Informou a CE dos CTT que decidiu a redução dos vencimentos dos seus membros em 25 e 15% e que um deles se terá ido embora.
POIS…! QUE PENA. GANHAM TÃO POUCO ENTRE VENCIMENTOS, PRÉMIOS DE GESTÃO E MORDOMIAS QUE, AINDA VAMOS TER QUE ESTABELECER O DÍZIMO AOS TRABALHADORES DA EMPRESA, PARA OS MEMBROS DA CE DOS CTT PODEREM COMPRAR A SOPA DO DIA.
POIS,…!!! OS TRABALHADORES DA EMPRESA (CRT’S, TNG’S E AFINS), QUE RECEBEM CHORUDOS SALÁRIOS, ESTÃO RICOS, TRABALHAM SÓ POR DESPORTO, ESSES SIM, DEVEM CONTIBUIR PARA O BEM-ESTAR DOS MEMBROS DA CE E DOS ACCIONISTAS DA EMPRESA. PODEM PAGAR O DÍZIMO (10%) E ATÉ MAIS QUE ISSO.
QUANTO AO MEMBRO DA CE DOS CTT QUE SE FOI EMBORA… UMA PENA, VAI FAZER MUITA FALTA… ATÉ PORQUE COMO SABEMOS TODOS ANTES DELE E OS SEUS CORRELIGIONÁRIOS VIREM PARA OS CTT A EMPRESA ESTAVA UMA VERGONHA: DAVA LUCROS AO ESTADO, TINHA O SERVIÇO BEM ORGANIZADO, IMPERAVA A QUALIDADE NO SERVIÇO PRESTADO, OS CTT TINHAM FUTURO… AINDA BEM QUE SÓ UM DELES SE FOI EMBORA, PORQUE ASSIM A DESTRUIÇÃO DA EMPRESA SERÁ MAIS CÉLERE. POIS,…!!!
Pois, a comunicação da CE dos CTT às ORT’S traduziu-se nisso mesmo, um rotundo, pois,…!!!
E nós acrescentamos também um rotundo… BASTA!
O SNTCT lamenta que só agora, passado quase um ano sobre a data em que levantou uma série de questões relativamente ao caminho seguido pela gestão dos CTT (que culminou na audição na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas da Assembleia da República em 18/01/2017), o poder político tenha finalmente tomado consciência da destruição a que os CTT e o Serviço Público Postal estão a ser sujeitos.
TRABALHADOR DOS CTT A HORA É DE AGIR. ESTES SENHORES NÃO ESTÃO SÓ A DESTRUIR OS CTT, ESTÃO A TENTAR DESTRUIR-TE A TI TAMBÉM. A TI E AO TEU BEM-ESTAR LABORAL, SOCIAL E FAMILIAR. BASTA!
A LUTA CONTRA A DESTRUIÇÃO DOS CTT NÃO PODE ESPERAR POR AMANHÃ.
A LUTA PELA RENACIONALIZAÇÃO DOS CTT É PARA HOJE.
21 E 22 DE DEZEMBRO DE 2017 SÃO DIAS DE LUTA, JUSTA E INEVITÁVEL.
A LUTA CONTINUA.
SNTCT – A FORÇA DE CONTINUARMOS JUNTOS!

Comunicado SNTCT Correios 19-2017

03 correios 19

GREVE GERAL CTT
CTT, CTT EXPRESSO, MAILTEC, CTT CONTACTO
21 E 22 DE DEZEMBRO 2017

Abra aqui a versão PDF deste comunicado » » » 2017_19 CTT CORREIOS

PORQUÊ MARCAR A GREVE NOS DIAS 21 E 22?
Porque é nesta altura que a Adm./CTT sentem mais os efeitos da greve. É nesta data que os CTT não querem lutas nem greves. É quando se vai falar mais na greve, na situação da degradação do serviço e nos postos de trabalho em perigo.

VALE A PENA FAZER GREVE?
VALE! Estão em causa os nossos postos de trabalho. Pela má gestão da Adm./CTT estão em causa os aumentos salariais. Está em causa o serviço público correios. Se os CTT continuarem a promover a degradação do serviço universal pode inclusivamente estar em risco o futuro dos CTT e dos seus trabalhadores.

A LUTA VAI IMPEDIR A ADM DE DESTRUIR OS CTT?
Irá, de certeza, contribuir para isso!

24862355_1460019667380012_1628279236594882770_nbbbb
As iniciativas que foram já tomadas e o anúncio da luta já contribuíram para que a Assembleia da República discutisse a situação nos CTT e a prestação do Serviço Postal Universal. O Governo e a ANACOM já foram obrigados a tomar posição, no entanto não é ainda o que pretendemos – a reversão da privatização dos CTT – porque só assim, estamos convictos, poderemos manter os nossos direitos, postos de trabalho e a continuação da prestação de um serviço de qualidade.

 

ESTA GREVE VAI RESOLVER OS PROBLEMAS DOS TRABALHADORES NOS LOCAIS DE TRABALHO?

Certamente que vai obrigar quem gere os CTT a pensar pelo menos 2 vezes antes de continuar com este modelo de gestão.
Desde a pré-privatização dos CTT foram encerradas centenas de Estações de Correio e foram eliminados muitas centenas de postos de trabalho. Agora querem “ver-se livres” de mais de 300 trabalhadores, ao mesmo tempo que anunciam a possível entrega de mais Estações de Correio a terceiros.
Por esta razão o correio é distribuído muitas vezes apenas 1 vez por semana, as filas de espera nas estações atingem muitas vezes mais de 1 hora e no tratamento de correio há muitos postos de trabalho por ocupar.
Nos transportes alteraram as escalas e os circuitos, provocando atrasos nas chegadas aos CDP´s e prejudicando os trabalhadores no seu descanso diário e na sua vida familiar.
A DETERMINAÇÃO DOS TRABALHADORES SERÁ DECISIVA
PARA A RESOLUÇÃO DESTES PROBLEMAS.

CTT PRIVADOS VERSUS PRESTAÇÃO DO SERVIÇO UNIVERSAL
A privatização dos CTT teve como “cereja no topo do bolo” uma licença bancária. Era isso que os accionistas queriam.
A prestação do serviço universal de correios era um mal menor, ou seja, era para efectuar abaixo da qualidade convencionada.
O modelo adoptado para a criação do banco CTT prejudicou os trabalhadores do atendimento e os utentes/clientes, sobretudo por falta de trabalhadores, prova disso são as enormes filas de espera, as constantes deslocações e o estado de exaustão a que muitos TNG estão a chegar.
Para continuarem o investimento no banco eles precisam cortar despesas e por isso não admitem trabalhadores em número suficiente para a distribuição do correio, daí os atrasos na distribuição que podem ir até mais 15 dias.
Também no tratamento faltam trabalhadores, prova disso é o número de horas extra efectuadas, muitas delas por trabalhadores vindos de outros locais de trabalho.

MANTER OS NOSSOS POSTOS DE TRABALHO, DIREITOS, E ORDENADOS JUSTOS. PARA ISSO É PRECISO GARANTIR O SERVIÇO PÚBLICO DE CORREIOS COM QUALIDADE!
REVERTER A PRIVATIZAÇÃO DOS CTT, JÁ!

SNTCT – A força de continuarmos juntos!
www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

PETIÇÃO PELA REVERSÃO TOTAL DA PRIVATIZAÇÃO DOS CTT

REVERSÃO PRIVATIZAÇÃO CTT

86129_1

Abra este link para assinar a versão eletrónica da Petição.

https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT86129

Abra este link abaixo para aceder à versão PDF da Petição que poderá imprimir (imprimir sempre frente e verso da folha) e com a mesma folha recolher assinaturas de outras pessoas. Se recolher assinaturas por esta forma, tenha muito cuidado não as perca e envie-as para a Sede do SNTCT (morada que consta nas folhas). Clique aqui para abrir a versão papel » » » PETIÇÃO 2017 CTT

 

____________________________________________________________________

TEXTO DA PETIÇÃO

____________________________________________________________________
Ao
Exmo. Senhor
Presidente da Assembleia da República
Assembleia da República
Palácio de São Bento
1249-068 Lisboa
PETIÇÃO

Exmo. Senhor,
Os subscritores e as subscritoras desta Petição, confrontados(as) com os efeitos, em seu entender perniciosos e prejudiciais para os Portugueses e as Portuguesas e para o País, da privatização dos CTT, Correios de Portugal, S.A. decidida pelo Governo de então em 2013/2014, vêm junto de V.ª Ex.ª expor e peticionar de acordo com o texto que se segue.

Considerando os peticionantes e as peticionantes que:
• Desde 1520, aquando da instituição dos Serviços Postais em Portugal, os Correios Portugueses, adiante designados por CTT, independentemente da sua figura jurídica ou denominação, sempre foram considerados como o melhor serviço público em Portugal. Desde o início do Século XX e até 2014, apesar das diversas vicissitudes e transformações porque passaram, os CTT sempre respeitaram os seus utentes, fornecendo um Serviço Postal Público de qualidade e considerados no topo dos correios a nível mundial;
• Desde 2013/2014, após a privatização total dos CTT-Correios de Portugal, S.A., cujo capital era até aí detido em exclusivo pelo Estado Português, a qualidade do serviço prestado pela hoje designada CTT – Correios de Portugal, Sociedade Aberta, tem vindo a decrescer fortemente em qualidade e periodicidade estando actualmente a raiar o descalabro;
• Estando o imediatamente atrás referido publicamente comprovado pela Entidade Reguladora ANACOM, sob cuja proposta o Governo da República multou os CTT por desrespeito pelo Contrato de Concessão e Convénio de qualidade (só relativamente a 2014 faltando os anos subsequentes);
• Com a redução do número de Carteiros e as “novas metodologias” de distribuição de correio, os atrasos na distribuição são uma constante em todo o País, existindo mesmo localidades em que o Carteiro só passa uma vez por semana, e outras, pouco mais que isso, prejudicando assim gravemente os cidadãos;
• Após a implementação do chamado Banco CTT sobre a estrutura de Estações de Correio, agora designadas por Lojas Postais, o desvio de trabalhadores dos balcões dos serviços postais para os balcões do serviço do Banco, provoca filas intermináveis de espera nos primeiros, chegando ao absurdo de um cidadão ou uma cidadã esperar mais de duas horas para comprar um selo ou fazer um envio postal. Concomitantemente o encerramento de muitas estações de correio, nomeadamente nas zonas menos povoadas é em tudo preocupante até porque põe me causa a coesão territorial;
• Em nosso entender a gestão privada dos CTT está a emagrecer/destruir deliberadamente a estrutura e componentes da Rede Pública Postal e, com isso, a incumprir o Contrato de Concessão e o Convénio de Qualidade e, dessa forma, a prejudicar fortemente os Portugueses e Portuguesas e o Estado Português.

Somos, por tudo o atrás referido e antes que o Serviço Público Postal e a Rede Pública Postal sejam destruídos de forma irreversível, a requerer a V.ª Ex.ª que, nessa Assembleia da República, sejam envidados todos os passos necessários a um rápido e imprescindível processo de reversão da privatização dos CTT-Correios de Portugal, voltando os mesmos à posse total e gestão directa do Estado Português, como acontecia até Dezembro de 2013.

 

1 2 3