5 DE MAIO – 47 ANOS DE SNTCT

1974 – 5 de Maio – 2021

47 Anos de SNTCT

O SNTCT completa hoje 47 anos de existência, de coerência, de fraternidade, de solidariedade,… mas também 47 de luta sempre em prol dos direitos, liberdades e garantias dos seus Associados e das suas Associadas e de todos os Trabalhadores e Trabalhadoras portugueses.
Ao longo destes 47 anos, gerações e gerações de dirigentes, delegados(as), activistas e associados(as) deste nosso Sindicato, o SNTCT, “O Sindicato”,  têm vindo a honrar os princípios fundadores decididos naquele dia 5 de Maio.
Temos honrado dessa forma a decisão tomada por aqueles mais de 10.000 Homens e Mulheres que, oriundos de todos os pontos do País, encheram naquele dia por completo o Pavilhão dos Desportos de Lisboa (hoje Pavilhão Carlos Lopes).
Homens e Mulheres que naquele dia conseguiam realizar o que há muito ambicionavam e pelo que muito tinham lutado: terem o Sindicato que o regime fascista lhes negara desde sempre até à Revolução de 25 de Abril de 1974 – Um Sindicato vertical onde coubessem todos os trabalhadores dos Correios e Telecomunicações.
Nasceu assim o SNTCT.
Hoje, 47 anos volvidos, numa realidade diferente, num País diferente mas em que os problemas dos trabalhadores e os ataques de que são vítimas são os mesmos, a luta continua, o SNTCT continua o seu caminho.
Como tem sido demonstrado de toda a sua existência, principalmente ao longo do último ano, não existiram, existem ou existirão pandemias, ataques de gestores de empresa, ataques aos direitos dos Trabalhadores e das Trabalhadoras perpetrados pelo poder político – passado e actual – que nos parem e/ou nos demovam de seguirmos o nosso caminho sempre em defesa dos legítimos direitos e aspirações dos que representamos.
Caminho sempre trilhado seguindo os princípios de unidade e solidariedade, tendo sempre em vista a manutenção, conquista e a defesa de direitos dos(as) Associados(as) do SNTCT em particular e, repetimos, dos Trabalhadores e das Trabalhadoras portugueses em geral. Caminho que nunca foi, não é jamais será fácil de trilhar.
Mas, citando o poema de Jorge Palma intitulado “A gente vai continuar” e saudando todos(as) os(as) 40329 homens e mulheres que ao longo destes 47 anos deram corpo ao mais antigo e consequente projecto sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos correios, telecomunicações e actividades afins, sempre diremos;
“Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar”.
A máscara que segue junto, mais que para ser usada como protecção contra a infecção pelo vírus Covid 19, pretendemos que lembre a cada um(a) de nós quando a usar que, “contra ventos e marés” o SNTCT, o Sindicato, é, foi e será sempre a melhor protecção dos Trabalhadores e das Trabalhadoras dos Correios, Telecomunicações e Actividades Afins e dos seus direitos e bem-estar social e laboral.
Viva luta dos(as) Trabalhadores(as)!
Viva o SNTCT!
SNTCT – A força de continuarmos juntos!

1º DE MAIO CGTP-IN

1° MAIO 2021

Lutar pelos direitos, combater a exploração!

O SNTCT
INTEGRARÁ TODAS AS INICIATIVAS
DO 1° DE MAIO CGTP-IN
Participa!
LISBOA – 15 HORAS
Concentração nos Anjos e Campo Pequeno com manifestação para a Alameda.
PORTO – 15 HORAS
Concentração Av. Dos Aliados
COIMBRA – 14:30 HORAS
Concentração na Praça da República
consulta a lista abaixo para veres onde podes integrar o 1° de Maio CGTP- IN nos restantes Distritos.

AÇORES

Angra do Heroísmo » 10h00 » Concentração na Casa Sindical (R Cândido Forjaz, nº 17)

Horta » 15h00 » Concentração no Largo do Infante

AVEIRO

15H00 » Concentração no Largo da Estação

BEJA

10H30 »  Concentração Junto à Casa da Cultura

BRAGA

Guimarães » 15H00 » Largo do Toural

BRAGANÇA

14h00 » Concentração Praça Cavaleiro Ferreira

CASTELO BRANCO

Castelo Branco » 10h30 » Cordão Humano início na Avenida 1º de Maio

Covilhã » 15h00 » Cordão Humano início no Campo das Festas

Tortosendo » 10h30 » Cordão Humano c/ início na Associação de Reformados para a Praça da Liberdade

COIMBRA

Coimbra » 14h30 » Concentração na Praça da República

Figueira da Foz » 11h00 » Concentração na Praça José Ledesma Criado

ÉVORA

15h00 » Concentração teatro Garcia Resende

FARO

15h00 » Concentração » Largo Mercado Faro

GUARDA

Guarda » 11h00 » Concentração na Alameda de St. André

Seia » 15h00 » Concentração na Rotunda do Tear

LEIRIA

15h30 » Concentração no Estacionamento do Jardim Almuinha Grande

LISBOA

15h00 » Concentrações »  Anjos e Campo Pequeno que convergem em Manifestação até Alameda Afonso Henriques

MADEIRA

Funchal » 10h00 » Concentração junto à Assembleia Legislativa da Madeira

PORTALEGRE

10h30 » Concentração no Centro Comercial Fontedeira

PORTO

15h00 » Concentração na Avenida dos Aliados

SANTARÉM

15h00 » Concentração junto à Segurança Social

SETÚBAL

Setúbal » 15h00 » Praça do Brasil

Sines » 10h00 » Cordão Humano no Jardim das Descobertas

VIANA DO CASTELO

10h00 » Concentração no Largo da Estação

VILA REAL

15h00 » Concentração na Praça do Município

VISEU

14h30 » Concentração Santa Catarina

LINHA DA FRENTE? E A VACINAÇÃO ONDE ESTÁ?

SNTCT QUESTIONA GOVERNO

SOBRE VACINAÇÃO DOS TRABALHADORES CTT

Sobre a vacinação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras CTT enviámos hoje ao Primeiro-Ministro  o ofício abaixo.

Ficamos a aguardar a resposta e, sobretudo, a resolução do problema.

Abre aqui o ofício em PDF » » » OFÍCIO SNTCT PARA SR PRIMEIRO-MINISTRO

 

Ex.mo Senhor

O Primeiro-Ministro de Portugal

Rua da Imprensa à Estrela

1200-888 LISBOA

 

c/c:

Ex.ms(mas) Senhor(as)

– A Ministra da Saúde

– A Directora Geral de Sáude

– O Coordenador do Plano de Vacinação covid-19

– A Presidente da Autoridade Reg. da Saúde (ARS)

– O Ministro das Infraestruturas e Habitação

– O Presidente da ANACOM

 

ASSUNTO: VACINAÇÃO DOS TRABALHADORES DOS CTT CONTRA O COVID-19

 

Ex.mo Senhor Primeiro-Ministro,

Decorreu mais de um ano sobre o início da pandemia provocada pelo COVID-19.

Durante todo este período os Trabalhadores CTT asseguraram a prestação dos Serviços Postais, nomeadamente a prestação do Serviço Postal Universal – SPU.

Nos períodos de confinamento ou não, os serviços de distribuição, tratamento de correio, transporte de correio e balcões nunca pararam. Muitos trabalhadores foram infectados e, muitos mais o serão até que a pandemia seja debelada.

Foi por isso que, embora estando os Serviços Postais tipificados na Lei como Serviços Essenciais e impreteríveis, apesar dessa obrigação legal, os Trabalhadores dos CTT têm vindo a ser louvados por autarquias e população em geral pela sua abnegação e profissionalismo, continuando os mesmos a serem, em muitas zonas do País, além de um importante factor de coesão territorial, o único elo de ligação ao Mundo de pessoas e populações que, de outra forma, estariam isoladas dele.

Homens e Mulheres que, tantas vezes em esforço, com deficientes EPI’s, supriram os efeitos da má gestão da prestação do Serviço Postal Universal pela gestão privada dos CTT, que apostou nos serviços de valor acrescentado degradando, deliberadamente, a prestação do SPU.

Afirmamo-lo aqui para que tal não se esqueça e porque foi/é publico e notório essa degradação deliberada da prestação do SPU, que sempre denunciámos e cujos efeitos chegaram a níveis inaceitáveis – ex: correio a ser distribuído com um mês e mais de atraso, o dificultar a prestação do Serviço de Encomendas previsto na Lei Postal, o atraso na distribuição dos Vales de Correio a Pensionistas e Reformados,…são anomalias que não respeitaram nem respeitam as obrigações previstas no contracto de concessão.

Resumindo, desde o início da pandemia os trabalhadores dos CTT estiveram sempre na designada “Linha da Frente”, a cumprirem ordens tantas vezes incompreensíveis e atentatórias da obrigação de Prestação do SPU e a verem/ouvirem/assitirem:

  • À redução do número de trabalhadores afectos ao SPU e da qualidade do mesmo;
  • À prestação do SPU a ser preterida a favor dos serviços nele não incluídos (ex: Express Mail);
  • À canalização de recursos – ganhos com o seu empenho, dedicação e esforço – para o Banco CTT;
  • Ao desaparecimento (redução) de carteiros cujos giros foram “distribuídos” aos que ficam/ficaram em acumulação/sobrecarga e ouvirem populações queixar-se de terem o seu correio distribuído uma só vez por semana – e não só as populações do interior afectadas pela desertificação a que erradas políticas as levaram – a ouvirem muitas populações queixar-se de não verem reabertas as Estações de Correio criminosamente encerradas;
  • A gestão privada dos CTT afirmar que a prestação do SPU estava/está a dar prejuízo (porque os custos de funcionamento do Banco CTT estão a ser incorrectamente imputados à actividade postal, porque os custos da aceitação e distribuição do Express Mail – serviço pertencente à Empresa CTT Expresso – estão também eles a serem imputados às Lojas e aos Centros de Distribuição;
  • A terem os seus salários aumentados em 0% em 2020 e verem o seu poder de compra a baixar de forma assustadora alegadamente devido aos efeitos da pandemia, “esquecendo” a gestão privada dos CTT os lucros obtidos em 2019;
  • A assistirem, com especial ênfase a notícias vindas a público nos últimos dias, à exigência de pagamento pelo País da prestação do SPU pela gestão privada dos CTT, e da sua chantagem sobre o Governo e o País para que o Contrato de Concessão para a prestação do SPU seja desvirtuado e que lhe seja permitido não cumprirem as suas obrigações.

Resumindo, os Trabalhadores e as Trabalhadoras dos CTT que prestam o SPU (mas não só) continuarão a exigir e lutar por um SPU para os cidadãos e não contra eles, tal como continuarão a combater os efeitos perniciosos da danosa gestão privada dos CTT na prestação do SPU.

Os Trabalhadores e as Trabalhadoras CTT estão habituados à ingratidão da gestão privada dos CTT, gestão danosa que continuarão a combater.

Os Trabalhadores dos CTT não aceitarão nunca é a ingratidão do seu País que, num dia os aplaude por estarem na “Linha da Frente” e que depois os esquece no plano de vacinação contra o Vírus Coviod-19 não resolvendo quem de direito um problema que continua sem ser resolvido e, queremos recusar essa hipótese, a infelizmente confirmar-se, teremos que considerar como falta de respeito e de vontade política. Assim, duas questões simples e muito directas:

  1. Os Trabalhadores e as Trabalhadoras CTT tendo estado sempre na “linha da frente” não foram incluídos nas prioridades do plano nacional de vacinação porquê?
  2. Os Trabalhadores e as Trabalhadoras CTT, no activo e aposentados/reformados, os seus filhos e cônjuges, benificiários do IOS-CTT, que não usam a rede do SNS e como tal não têm histórico no mesmo e sofrem de patologias consideradas graves, vão ser vacinados quando? Como detecta o SNS esses casos? A gestão dos CTT afirma – e não queremos colocar a hipótese de estar a faltar à verdade – que tudo tem feito para que o SNS/Governo resolva o problema sem que até agora tenha existido resposta/solução?

Sem outro assunto de momento e ficando a aguardar uma resposta de Vexa. somos, com os nossos melhores cumprimentos,

A Direcção Nacional do SNTCT

COMUNICADO SNTCT TELECOM 2-2021

COMUNICADO SNTCT ALTICE

Ver aqui o comunicado na versão PDF  》》》1615288064880_Comunicado sindicatos CTT_Trevisão salarai CTT_ 4 reunião

SAIDAS ANTECIPADAS 2021

OU DESPEDIMENTOS NEGOCIADOS A MÉDIO E CURTO PRAZO

A ALTICE ANUNCIOU NO DIA 4 DE MARÇO QUE IRIA EFECTUAR UM PROGRAMA DE PRÉ-REFORMAS (PROGRAMA PESSOA 2021 E DE RESCISÕES DE MÚTUO ACORDO (RMA)

MUITOS NÃO ACREDITARAM QUANDO PATRICK DRAHI DISSE QUE “A PT TINHA 5.000 TRABALHADORES A MAIS e que, NÃO GOSTA DE PAGAR SALÁRIOS. PAGO O MÍNIMO QUE PUDER

… AFINAL É VERDADE!

A ALTICE convocou os sindicatos para uma reunião no dia 4 de Março às 17.30h para informar destas medidas com o objectivo de dar continuidade ao plano de “transformação(?)” da empresa. Informaram que era um programa idêntico ao anterior, cuja “adesão é voluntaria”.

O porquê desta medida

Argumentaram que a Altice tem que se reestruturar para o futuro, que a pandemia teve um grande impacto nesta situação, que os reguladores (ANACOM e Autoridade da Concorrência) estão a prejudicar a Altice com as suas medidas, a questão do 5G e a multa aplicada pela AdC de 84 milhões … blá, blá, blá

A Altice quer seguir o caminho da redução de custos à custa dos trabalhadores em vez de seguir o caminho do investimento.

Segundo a Altice as empresas abrangidas pelas medidas de saída são: MEO SA, MEO ST, ALTICE LABS, ALTICE ACS, PT CONTACT, PT SALES, PT DATA CENTER e MCALL.

PRÉ REFORMAS (PR) – TRABALHADORES COM IDADE IGUAL OU SUPERIOR A 55 ANOS DE IDADE E MAIS DE 15 DE ANTIGUIDADE ATÉ 30 DE ABRIL DE 2021

  • Prestação de 80% do vencimento base e diuturnidades, e 40% de outras rubricas pagas mensalmente, caso existam (Isenção de Horário de Trabalho, Complemento de Responsabilidade, Subsídio de Turno, entre outros).

RMA – RESCISÕES POR MÚTUO ACORDO OU DESPEDIMENTOS NEGOCIADOS

  • As inscrições para aderir ao programa de PR ou RMA ocorrem entre 4 e 15 de Março, o RMA poderá ter um prazo mais alargado
  • Este programa não se aplica às empresas participadas da Altice Portugal, nomeadamente à FASTFIBER, INTELCIA, SUDTEL e TNORD.
  • Nenhum trabalhador se deve precipitar e deve analisar as propostas escritas que forem feitas, a empresa tem o poder de aceitar ou não a sua candidatura podendo aceitar ou rejeitar.
  • A decisão de aceitar mesmo que aprovado pela empresa cabe a cada trabalhador que e caso aceite e depois de ponderar, queira voltar atrás na situação, tem 7 dias para fazer reverter a situação conforme artigo 350 do Código do Trabalho.
  • Terminado esse prazo, qualquer alteração só por escrito com acordo das partes. A empresa afirmou que pretende este processo concluído em Maio.

O SNTCT ALERTA PARA O SEGUINTE:

Porque já temos a experiência de situações anteriores de assédio por parte de algumas chefias para que os trabalhadores aceitassem o que está a ser proposto. Por isso se algum trabalhador for pressionado deve informar o SNTCT para que possamos actuar. Este processo é livre, voluntário e depende da vontade dos trabalhadores.

Temos a noção que cada programa de saídas (pré reformas) que é proposto, tem condições piores que o anterior, por exemplo: quem aceitar sair não irá ver actualizado o seu salário conforme os trabalhadores no activo.

O SNTCT CONSIDERA QUE A DEFESA DOS POSTOS DE TRABALHO É UMA TAREFA FUNDAMENTAL. PORQUE SE ASSIM NÃO FOR, DAQUI UNS ANOS A ALTICE TERÁ MUITO POUCOS TRABALHADORES E RECORRERÁ A PRESTADORES DE SERVIÇOS (MÃO DE OBRA BARATA E SEM DIREITOS).

SINDICALIZA-TE

Consulta a página do SNTCT em www.sntct.pt ou www.facebook.com/sntct

sntct – a força de continuarmos juntos!

Boas Festas

BOAS FESTAS – BOM 2021

 

A Direcção Nacional do SNTCT deseja a todos(as) os(as) seus(suas) Associados(as) e Trabalhadores(as) no activo ou aposentados(as) das empresas de correios, telecomunicações e das actividades afins CTT CORREIOS – CTT EXPRESSO – CTT CONTACTO – PAYSHOP – ALTICE – DHL EXPRESS – DHL AVIATION – DPD – UPS – NOS -FEDEX – VODAFONE – EGOR – PHONE HOUSE – RH MAIS – INTELCIA – RANDSTAD – MANPOWER – TALENTER – ARMATIS e todas as demais empresas do sector das comunicações, telecomunicações e actividades afins), bem como às respectivas famílias, umas Boas Festas e, sobretudo, um melhor e  Bom 2021.

Apesar dos tempos conturbados que vivemos por via dos efeitos da pandemia em curso e de todos os problemas dela decorrentes, quer naturais quer de flagrante aproveitamento da mesma, nomeadamente para ataques aos direitos e garantias dos(as) trabalhadores(as), o Mundo não para e a nossa luta também não.

A Direcção Nacional do SNTCT.

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

PETIÇÃO REDUÇÃO IDADE DA REFORMA É DISCUTIDA DIA 22 DE DEZEMBRO

PETIÇÃO DA FECTRANS (INCLUINDO SNTCT) PELA REDUÇÃO DA IDADE DA REFORMA

É DISCUTIDA NA ASSEMBLÇEIA DA REPÚBLICA AMANHÃ 22 DE DESEMBRO

A petição dinamizada pela FECTRANS e seus sindicatos, para a redução da idade legal de reforma, vai a discussão na AR – Assembleia da República, no próximo dia 22 de Dezembro, pelas 15h.

Esta é mais uma etapa em torno desta importante reivindicação para os trabalhadores do sector dos transportes e comunicações e sem antecipar qualquer resultado, o mesmo só será mais um estímulo para prosseguirmos esta nossa luta.

A debate pode ser acompanhado pelo Canal Parlamento via emissão TDT, canal por cabo, Facebook, ou na página da AR área do referido canal.

Assim cada trabalhador do sector pode testemunhar directamente, quais são os deputados que acompanham e estão de acordo com a reivindicação expressa na petição que entregámos.

NOS 500 ANOS DOS CORREIOS EM PORTUGAL, EXGIR A RENACIONALIZAÇÃO DOS CTT É O ÚNICO CAMINHO.

Na próxima Sexta-Feira, 6 de Novembro,

entre as 10H00 e as 13H00

 

TRABALHADORES CTT,

ACOMPANHADOS POR D. MANUEL l,

VÃO ESTAR NAS RUAS DE LISBOA

 

… exigindo do poder político aquilo que é de uma necessidade e evidência incontestáveis nos dias que correm;

 

A RENACIONALIZAÇÃO IMEDIATA DOS CTT.

 

Há 500 anos, no dia 6 de Novembro de 1520, D. Manuel l criou o Serviço Público Postal em Portugal.

 

PORTUGAL, OS PORTUGUESES

E OS TRABALHADORES CTT ESTÃO DE PARABÉNS

MAS SEM MOTIVOS PARA FESTEJOS.

A gestão privada dos “Correios” está a destruir paulatinamente o que levou 500 anos a construir.

 

É esta a opinião generalizada que se ouve da boca do comum dos Portugueses e das Portuguesas, de Autarcas, de Empresários, de Organizações de Utentes e Consumidores, de quem no dia-a-dia necessita de recorrer aos serviços postais prestados por uns CTT que hoje envergonham 500 anos de bons serviços ao País.

 

A mesma opinião e vergonha que têm os Trabalhadores e as Trabalhadoras CTT, que só não a expressam publicamente por pressão da  “lei da rolha” imposta na Empresa por quem pretende “tapar o Sol com uma peneira”. Alguém em sã consciência pensa que os Carteiros, os Técnicos, os Motoristas e tanta gente consciente que trabalha nos CTT, que esteve sempre na linha da frente desde Março de 2020, solidariamente e tantas vezes em risco para ter para com os Portuguese o respeito que a gestão privada dos CTT não tem, se cala perante o que vê e sabe… só porque quer? Que não sentem vergonha do estado a que uma errada gestão está a levar o serviço postal e a Empresa onde muitos trabalham há duas, três e mais décadas?

 

Opiniões, tantas certezas, que têm vindo a ser infelizmente confirmadas pela acção de um Regulador, a ANACOM, que decidiu e bem cumprir cabalmente as suas funções e recusar a triste “sina” dos reguladores e, com essa recusa, ter recusado deixar-se aprisionar pelo interesse dos regulados respeitando os direitos e interesses daqueles que, por força das suas funções, tem que defender; os de Portugal, dos Portugueses e das Portuguesas.

 

Assim, porque perante a destruição da qualidade de serviço, perante o desrespeito pelos cidadãos, perante a alienação ao desbarato de património edificado e património construído recebido do Estado aquando da criminosa – criminosa – privatização dos CTT, porque perante o desrespeito diário pelos direitos dos Trabalhadores CTT que dão a cara, porque perante a chantagem que tem vindo a público e levada a cabo pelos representantes dos bolsos do accionistas privados dos CTT no processo de renegociação do Contrato de Concessão para a Prestação do Serviço Público Universal,… vamos uma vez mais dar voz a quem não a tem e, acompanhados da figura alegórica de D. Manuel l, vamos exigir uma vez mais do Governo da República e demais Poder Político que levem a cabo a única acção justa, válida e urgente;

 

A RENACIONALIZAÇÃO IMEDIATA DOS CTT – CORREIOS DE PORTUGAL.

 

Convidamos por isso a Comunicação Social e todos os que a nós se queiram juntar (respeitando como é obvio, rigorosamente,  o distanciamento necessário previsto nas medidas de combate à infecção pelo COVID-19) a estarem connosco no…

 

DIA 6 DE NOVEMBRO DE 2020

 

Entre as 10h00 e as 11H00

Junto à Sede da ANACOM

Av. José Malhoa, 12 – Lisboa

Onde entregaremos um documento.

 

Entre as 12H00 e as 13H00

Junto ao Gabinete do Senhor Ministro das Infraestruturas e Habitação

Av. Barbosa du Bocage, 5 – Lisboa

Onde entregaremos um documento.

 

Na certeza do vosso bom acolhimento a esta nota e ao convite que vos endereçamos somos, com os nossos melhores cumprimentos,

 

A Direcção Nacional do SNTCT

 

FALECEU KALIDÁS BARRETO

FALECEU KALIDÁS BARRETO

Foi com profundo pesar que a Direcção Nacional do SNTCT tomou conhecimento, através de nota da CGTP-IN (ver texto abaixo), da morte de Kalidás Barreto.

Enviámos já à família de Kalidás Barreto as nossas mais sentidas condolências.

A Direcção Nacional do SNTCT

“É com profundo pesar que a CGTP-IN toma conhecimento do falecimento de Kalidás Barreto.

Luís Maria Kalidás da Costa Barreto- Nasceu em Montemor-o-Novo a 16 de Outubro de 1932.

Contabilista de profissão, exercida no sector têxtil, em Castanheira de Pera, onde, em 1958, integrou a comissão de apoio à candidatura de Humberto Delgado à Presidência da República.

Foi dirigente do Sindicato dos Têxteis do Centro e, nessa qualidade, participou numa reunião da Intersindical, realizada em Leiria, antes do 25 de Abril. Foi também dirigente nacional da Federação dos Sindicatos Têxteis.

Foi eleito Deputado pelo PS à Assembleia Constituinte, em 1975,

Foi eleito, sucessivamente, para o Conselho Nacional e a Comissão Executiva da CGTP – IN, entre 1977 e 1996.

Membro do 1.º Conselho Permanente de Concertação Social

Mais tarde veio a ser Provedor do INATEL.

É autor de várias publicações entre as quais: Subsídios para a História do Movimento Operário em Castanheira de Pera, 1982; A Organização Profissional dos Trabalhadores Têxteis de Leira.

Acérrimo defensor da unidade dos trabalhadores, contra o divisionismo sindical, teve um importante papel na realização do Congresso de Todos os Sindicatos realizado em Janeiro de 1977, no qual lhe coube a primeira intervenção em defesa da unidade sindical, consubstanciada na CGTP-Intersindical Nacional.

Kalidás Barreto foi um activo sindicalista, desde a primeira hora, no processo de fundação da Intersindical a sua morte constitui uma perda assinalável que muito se lamenta.

Neste momento de luto e de perda para o Movimento Sindical, a CGTP-IN envia à sua família, aos amigos e camaradas as mais sentidas condolências.

Tendo em conta as restrições existentes, que não permitem a presença de todos quantos gostariam de prestar uma última homenagem a Kalidás Barreto, informamos, que poderão enviar mensagens de condolências para o seguinte email: pedrokalidas@gmail.com “

COMUNICADO SNTCT CORREIOS 8-2020

DIA MUNDIAL DOS CORREIOS

OS TRABALHADORES DOS CORREIOS PORTUGUESES ESTÃO DE PARABÉNS!

ABRE AQUI O COMUNICADO EM VERSÃO PDF » » » SNTCT CORREIOS 08-2020

Antes e durante a Pandemia provocada pelo COVID-19, o seu empenho, esforço, dedicação, resistência e o profissionalismo com que têm colmatado efeitos nocivos e perniciosos da má gestão privada dos CTT – nomeadamente na prestação em más condições do Serviço Postal Universal – merece, sem qualquer dúvida, um forte aplauso de todos(as) os(as) Portugueses(as).

Lamentável que ao invés de reconhecer todas essas qualidades, a gestão:

  • Não seja capaz desse reconhecimento chegando ao ponto de propor um vergonhoso aumento de 0% em 2020;

  • Desperdice o know how de quem percebe de correios dedicando-se a pressionar a saída antecipada de técnicos/trabalhadores;

  • Ao invés de contratar os trabalhadores em número suficiente, tem andado a sobrecarregar os trabalhadores que restam na rua e nos balcões;

  • Tenha vindo a fazer decrescer a qualidade da prestação do Serviço Postal Universal a níveis inaceitáveis deixando aos trabalhadores o darem a cara.

Comemora-se hoje o Dia Mundial dos Correios. Foi como tal declarado pelo Congresso da UPU – União Postal Universal realizado em Tóquio, no Japão, no ano de 1969. O dia escolhido, o 9 de Outubro, é o da criação da UPU (de que Portugal é País Fundador), em Berna, no ano de 1874.

Decidiu aquele Congresso da UPU criar o Dia Mundial dos Correios como forma de consciencializar pessoas e instituições sobre o papel dos correios na vida dos povos. Consciencializar portanto os homens e mulheres sobre a importância do Sector Postal na sua vida diária e o seu papel no desenvolvimento e coesão social, económica e territorial de todos os países e de cada país em particular. Reconhecia-se assim a importância da mais antiga e mais eficiente “network” de comunicação. Estava-se em 1969, os Serviços Postais pertenciam aos Estados, implementava-se e estudava-se uma maior qualidade na sua prestação e tinham como fim a satisfação das necessidades dos cidadãos no que respeitava à comunicação.

Em Portugal os Serviços Postais eram então prestados pela Direcção Geral dos Correios Telégrafos e Telefones que, no final desse ano, foi transformada na primeira Empresa Pública portuguesa, os CTT – Correios e Telecomunicações de Portugal, E.P.. Os CTT, ou os “CORREIOS”, como sempre foram designados com respeito e carinho pelos portugueses, eram então um dos melhores Serviços Postais do Mundo e assim se mantiveram até à primeira década do Século XXI. Começavam então a implementar-se as decisões tomadas em Bruxelas sobre a liberalização total dos Serviços Postais, decisões transpostas para a Legislação Nacional por Governos da República Portuguesa que não souberam, nem quiseram, defender os interesses nacionais e sobretudo os dos Cidadãos.

Foi então que os Utentes começaram a ser designados por “Clientes” e, começou a acção de destruição da qualidade dos serviços prestados, o encerramento de Estações de Correios, a tentativa de supressão de direitos e regalias dos trabalhadores e a redução do número dos mesmos. Hoje os factos não deixam lugar a quaisquer dúvidas, com vista à Privatização dos CTT. Privatização primeiro proposta por um Governo de José Sócrates/PS e concretizada pelo Governo PSD/CDS liderado por Passos Coelho que, criminosamente, privatizou os CTT.

OS(AS) TRABALHADORES(AS) CTT ESTÃO DE PARABÉNS MAS ELES(AS) E OS UTENTES DOS SERVIÇOS DOS CTT TÊM RAZÕES PARA FESTEJAR? VEJAMOS…

TRABALHADORES CTT – FESTEJAREM O QUÊ?

  • A supressão contínua de postos de trabalho e venda de património construído dos CTT? O desgaste físico e psíquico provocado pelo excesso de trabalho e prolongamentos abusivos (sem pagamentos e sob coacção e ameaça) dos tempos de trabalho?

  • A Gestão da Empresa a chorar míseros aumentos salariais nas mesas de negociação – propôs 0% de aumento salarial em 2020 quer para a empresa mãe quer para as empresas do grupo – e a salvaguardar futuros pagamentos de lucros aos accionistas? Os alegados “prémios” e progressões profissionais que ninguém vê?

  • A gestão irracional da reduzida força de trabalho, ordens contraditórias ao minuto e serem responsabilizados por erros cuja responsabilidade é da má gestão?

  • Os trabalhadores dos balcões a serem tratados como carne para canhão? Os trabalhadores dos balcões, de carreira, incluindo chefias que executam serviço postal e bancário a ganharem menos que recém-contratados que vieram de fora? Chefes de loja com provas dadas que de repente são exonerados e substituídos por gente que veio da banca e que percebe tanto de correios como de astronomia?

  • Carteiros que são obrigados a prolongarem os seus horários de trabalho sob ameaça de processo se trouxerem correio para trás? Carteiros e TNG’s a quem hoje obrigam a fazer mal o seu trabalho? Os mesmos que têm que dar a cara todos os dias pelos problemas sistemáticos no atendimento e na distribuição de correio? Chefias de Estações de Correio e de CDP’s sem meios humanos que lhes permitam fazer melhor?

  • Trabalhadores que vêem denegados acidentes de trabalho/serviço? Não terem Serviços de Saúde e Segurança no Trabalho fiáveis? Serem tratados como criminosos quando, levados a isso por uma gestão negreira do trabalho, são obrigados a não trabalharem e ficarem na situação de ausência por doença? Trabalhadores vítimas de processos disciplinares por flagrante delito de opinião nas redes e não só?

 

E OS UTENTES/CLIENTES, VÃO FESTEJAR O QUÊ?

  • Receberem o seu correio sistematicamente atrasado? Verem-se prejudicados nas suas vidas pessoais e profissionais por tais atrasos? Verem reduzidos os pontos de acesso à Rede Postal Pública obrigando-os assim a calcorrearem quilómetros para encontrarem uma Estação de Correios ou Marco Postal?

  • Passarem horas em filas dos serviços postais nas Estações de Correios porque o pouco pessoal é desviado para os balcões dos serviços bancários? Serem destratados porque reclamam da qualidade dos serviços e obterem respostas ínvias às suas reclamações quando as recebem? Sentirem-se coagidos a comprarem lotarias/raspadinhas e quejandos só para serem simpáticos aos trabalhadores que por sua vez são coagidos a pressioná-los paras comprarem tais produtos?

 

EM SUMA, TRABALHADORES E UTENTES/CLIENTES A FESTEJAREM O QUÊ?

  • O DESRESPEITO PARA COM TODOS ELES?

  • A DESTRUIÇÃO DA QUALIDADE E DA ESTRUTURA DOS CTT?

  • O FUTURO DOS CTT QUE ESTÁ A SER COMPROMETIDO, SÓ PARA QUE OS ACCIONISTAS ENCHAM FUTURAMENTE OS BOLSOS?

Na certeza de que havemos de recuperar o orgulho nos CTT e vermos reposta a qualidade do serviço prestado e termos resposta às legítimas aspirações e direitos dos trabalhadores e utentes/clientes, VIVA OS TRABALHADORES E OS UTENTES/CLIENTES DOS CTT!

RENACIONALIZAÇÃO DOS CTT, JÁ!

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

www.sntct.ptwww.facebook.com/sntctwww.instagram.com/sntct7 –  https://twitter.com/SNTCT

 

VÍDEO 50 ANOS CGTP-IN

1970 – 1 DE OUTUBRO – 2020

50 ANOS CGTP-IN

50 ANOS DE ACÇÃO E LUTA POR UM PORTUGAL COM FUTURO.

VIVA A CGTP-IN.

SNTCT – A FORÇA DE CONTINUARMOS JUNTOS!

1 2 3 6