8 MARÇO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

DIA MUNDIAL DA MULHER

As mulheres começaram a sair à rua, em luta por mais direitos, ainda
em finais do século XIX, participando activamente nos movimentos
operários que protestavam contra as 15 horas de trabalho diárias e os
salários miseráveis que lhes eram impostos.

As origens do Dia Internacional da Mulher chegam a 1857 quando, no
dia 8 de Março, milhares de trabalhadoras têxteis sairam à rua para
exigirem melhores condições de trabalho, para que a jornada diária
reduzida para 10 horas e por direitos iguais para homens e mulheres.

Em homenagem àquelas Mulheres o dia 8 de Março foi declarado, em
1910 como Dia Internacional da Mulher.

Este dia está associado desde então à luta organizada das mulheres
trabalhadoras contra as desigualdades e discriminações, pela construção
de alternativas políticas transformadoras da sociedada e que contribuam
para a emancipação económica, social, política e cultural das mulheres.

Temos direito à organização do tempo de trabalho em condições
socialmente dignificantes, de forma a facultar a realização pessoal e a
permitir a conciliação da actividade profissional com a vida familiar
(art.º 59.º da Constituição da República Portuguesa).

IGUALDADE, UMA LUTA DE TODOS OS DIAS!

SNTCT – A FORÇA DE CONTINUARMOS JUNTOS!

8 de Março de 2023

A Direcção Nacional do SNTCT

COMUNICADO FRENTE SINDICAL ALTICE 15-02-2023

NEGOCIAÇÕES DO ACT ALTICE 2023

8ª SESSÃO NEGOCIAL – 10 DE FEVEREIRO DE 2023

MAIS UMA VEZ OS “VENDEDORES DOS DIREITOS” DOS TRABALHADORES FIZERAM O “JEITO AO PATRÃO”

Na reunião do dia 10/2, após a Frente Sindical ter reformulado a sua proposta a empresa apresentou o que disse serem as suas últimas migalhas para os trabalhadores.

Abre aqui o comunicado em PDF » » » Comunicado Frente Sindical_15 02 2023 NEGOCIAÇÕES

Esperava-se muito mais de uma empresa que tem muitos milhões de lucros à custa de quem produz a riqueza (os trabalhadores) para os donos do capital e por isso era expectável que a equipa negociadora apresentasse uma reformulação séria que pudesse servir de base para o caminho de um Acordo, mas isso não aconteceu.

O que a equipa negocial trazia na manga, era um acordo já negociado com os habituais “vendedores dos direitos dos trabalhadores” (stpt), aliás prática recorrente desde 1994, quem não se lembra de quando eles venderam as promoções automáticas a troco da malfadada Avaliação de Desempenho, sabe-se lá a troco de quê.

Estes “vendedores dos direitos dos trabalhadores”, só não praticaram tais actos enquanto estiveram na Frente Sindical e por isso procuraram todos os pretextos para sair, porque com as “mãos livres”, estão à vontade para fazerem sempre o “jeito ao patrão”, situações que certamente terão um preço, qual é não se sabe.

O insólito aconteceu. Já vimos muitas coisas em processos negociais, mas como nesta última sessão não tínhamos visto, que foi quem se “apregoa defensor dos trabalhadores” (stpt), apresentar propostas mais baixas que as da empresa, então, atrapalhados e como não tinham propostas para várias matérias, vieram colar-se às propostas da Frente Sindical.

Neste contexto, a equipa negociadora da empresa, apresentou mais uns míseros e vergonhosos aumentos.

CRONOLOGIA DOS FACTOS OCORRIDOS NA SESSÃO NEGOCIAL DO DIA 10/FEV.

  • A equipa negociadora da Empresa deu uma resposta ao (stpt) a uma questão colocada na sessão anterior.

Após a resposta dada pela equipa negociadora, o (stpt) apresenta uma proposta de 6,25%, 3% e 2,5% para os aumentos salariais em função dos escalões que a Frente defendia (até 1500€, entre 1500€ e 2500€ e acima de 2500€).

  • Em relação aos aumentos salariais, a Frente Sindical reformula a sua proposta para os valores:
  • Salário mínimo praticado na Empresa de 850€.
  • Escalão desde o salário mínimo até 1500€, aumento de 65€.
  • Escalão entre 1501€ até 2500€, aumento de 60€
  • Escalão acima dos 2500€, aumento de 55€.
  • Progressões, aumentar mais 100 às 300 que a Equipa negociadora tinha apresentado.
  • Após a reformulação feita pela Frente Sindical, a equipa negociadora de empresa reformula também a sua para os seguintes valores:
  • Salário mínimo mantém o valor de 830€.
  • Escalão desde o salário mínimo até 1300€, aumento de 3,3%
  • Escalão desde 1301€ até 2300€, aumento de 2,2%.
  • Escalão acima de 2301€, aumento de 1,5%.
  • “Os vendedores dos direitos dos trabalhadores” (stpt), “dão a cambalhota” e alteram a proposta para 3,5%, 2,25% e 1,95% e aceitam os escalões propostos pela empresa.
  • A equipa negociadora da empresa da empresa reformula a sua em termos salariais para os seguintes valores:
  • Mantém o valor do salário mínimo em 830€, que o (stpt) já tinha aceitado.
  • Escalão desde os 830€ até 1300€, aumento de 3,5%.
  • Escalão entre os 1301€ até aos 2300€, aumento de ,2,3%
  • Escalão acima dos 2300€, aumento de 2%
  • O “vendedor dos direitos dos trabalhadores” (stpt), pretende que esta seja a última reunião e diz que na semana seguinte estará em condições de transmitir a sua posição (não se pode esquecer que a última proposta do stpt era inferior à proposta apresentada pela empresa).

Repetimos que ao longo de tantos anos a negociarmos na empresa, nunca se tinha visto um “frete ao patrão” tão descarado, que se vinha percebendo desde o início do processo com “cambalhotas atrás de cambalhotas”.

Face a esta posição, a equipa negociadora da empresa transmitiu que era a sua proposta final e assim, no ano em que havia condições para um aumento que repusesse o poder de compra perdido, já que recentemente a Comunicação Social divulgou os lucros da empresa no valor de 688 milhões de Euros, aceitaram as migalhas que lhe foram apresentadas, que representa menos de 1% dos lucros.

E foi para um “trabalho” destes que o (stpt) contratou um gabinete de economistas?

Os argumentos hilariantes dos vendedores dos direitos dos trabalhadores.

A Frente Sindical transmitiu que já viu muita coisa nas mesas negociais, mas como este ano nunca, em que um sindicato (stpt) tem o desplante de apresentar propostas inferiores às do “patrão”, como está demonstrado no quadro e consta em acta.

A pretensa justificação para a assinatura. Os “vendedores dos direitos dos trabalhadores” (stpt), utilizam argumentos hilariantes como sejam:

  • A fraca sindicalização, para cuja situação eles têm contribuído como nenhuma outra organização com a sua “prática” desde 1994.

E neste contexto utilizam outra desculpa que a culpa é da falta de propostas conjuntas, mas deviam justificar aos trabalhadores porque quiseram sair da Frente Sindical.

Mas todos sabemos que a saída da Frente Sindical, teve como objectivo ficarem “com as mãos livres para assinar qualquer coisa”, cujo resultado está à vista de todos.

  • Uma declaração que exprimida não dá qualquer sumo, em que a actualização salarial futura tenha em conta os resultados operacionais da empresa.

Tentar que os aumentos salariais dependam dos lucros da empresa, é indigno de uma organização que diz defender os trabalhadores.

Se esta gente negociasse em empresas deficitárias, como por exemplo a CP, então os trabalhadores ainda teriam que dar dinheiro à entidade patronal.

  • Tentar justificar a assinatura com o argumento que “o que não ganhamos num ano poderão guardá-lo para o ano seguinte”, isto é, do mais ridículo que já se viu, como se alguém acreditasse que os “Donos da Altice, “o que não disponibilizam num ano podem guardá-lo para o ano seguinte”.

Pensará esta gente que os trabalhadores são “parolos”, que acreditam em tais “verborreias”?

Os trabalhadores têm inteligência suficiente para perceber quem ao longo dos anos tem vendido os seus direitos e isto já vem desde 1994.

Só estranhamos é que ainda haja trabalhadores sindicalizados numa tal organização.

OS TRABALHADORES EM REGRA SÃO BONS JUÍZES E SABEM AVALIAR O QUE SE PASSOU NESTE PROCESSO NEGOCIAL.

QUADRO DEMONSTRATIVO DAS POSIÇÕES DE CADA UM NO DIA 10/FEV.

Matérias Posição da Empresa Posição da Frente Sindical Posição do (stpt)
TABELAS SALARIAIS 1 2 3 4 1 2 3 1 2 3
     
Salário Mínimo 830 € =  = 830€ 850 € =   830€ 830€ 830€
  1º Esc. até 1300€ 3% 3,3% 3,30 3,5% Aum. 65€ Aum. 55€   6,5% 3,5% 3,5%
  2º Esc. entre 1301 e 2300€ 2% 2,2% 2,30% 2,3% Aum. 60€ Aum. 55€     2,25% Aceite P.E.
  3º Esc. acima de 2300€ 1,2% 1,5% 2% 2% Aum. 55€ Aum. 55€     1,95% Aceite P.E.
Subsídio Turnos Nada Min. 50€  = Min. 50€ Min. 50€ =   Colou-se à F. Sind. =
Subsídio Turnos (L. Continua)   Min. 100€  = Min. 100€ Min. 100€ =   Colou-se à F. Sind. =
Sub. Refeição: 8,32 €    = 8,32€ 9,00 € =   8,35€ 8,35€ 8,35€
Sub. em deslocação      
  Almoço Nada 11,00€ c/F  = 11,00€ c/F S/F 10,00€ =   8,35€ 8,35€ 8,35€
  Jantar Nada 13,00€ s/F  = 13,00€ s/F S/F 12,50€ =   8,35€ 8,35€ 8,35€
Sub. Peq. Almoço Nada 2,50 €  = 2,50€ 2,50 € =   2,15€ 2,15€
Chamada Acidental 16,00€ =  = 16,50€ 19,00 € =     16,50€ 16,50€
Prevenção Local Nada Nada = Nada 2,00 € =     1,85€ 1,85€
Prevenção Remota Nada Nada  = Nada 2,75 € =     2,50€ 2,50€
Prevenção Planeada Nada Nada  = Nada 3,50 € =     3,00€ 3,00€
Subsídio Gr. Altura 14,00€ =  = 14,00€ 17,50 € =     14,00€ 14,00€
Movimentos Profissionais 250 300  = 300 +100 mov. =        
Prémio Aposentação:      
  Até 40 anos 5% =  = 5% 8,12% =        
  Mais de 40 anos Nada 5%  = 5% 8,12% =        
Benefícios Comunicações      
  SCT e Pré-Reforma Nada Nada  Nada Nada Desc. 70% =        
  Aposentado/Reformado Nada Nada  Nada Nada Desc. 50% =        
1 – Até reformulação proposta Frente Sindical 1 – Primeira reformulação 1 – Antes reformulação proposta Frente Sindical
 
2 – Após reformulação proposta Frente Sindical 2 – Segunda reformulação 2 – Após reformulação 3 da proposta da empresa
 
3 – Proposta seguinte 3 – Propõe outra sessão negocial que outros sind. não quiseram porque já tinham dado o acordo. 3 – Última posição
4 – Última posição

 

   
           

Contra factos não há argumentos e face a este quadro que representa as posições de cada uma das 3 partes, pode ser avaliado no concreto que defende os trabalhadores e os seus direitos e quem os prejudica para benefício do patrão.

A INCONGRUÊNCA E ABSURDO DOS AUMENTOS EM %.

ENSAIOS DENTRO DA LÓGICA DA PROPOSTA DA EMPRESA

1. Salários com 830€ 29,05€ 10. Salários com 1350€ 31,05€ 21. Salários com 2400€ 48,00€
2. Salários com 850€ 29,75€ 11. Salários com 1400€ 32,20€ 22. Salários com 2500€ 50,00€
3. Salários com 900€ 31,50€ 12. Salários com 1500€ 34,50€ 23. Salários com 2600€ 52,00€
4. Salários com 1050€ 36,75€ 13. Salários com 1600€ 36,80€ 24. Salários com 2700€ 54,00€
5. Salários com 1100€ 38,50€ 14. Salários com 1700€ 39,10€    
6. Salários com 1150€ 40,25€ 15. Salários com 1800€ 41,40€    
7. Salários com 1200€ 42,00€ 16. Salários com 1900€ 43,70€    
8. Salários com 1250€ 43,75€ 17. Salários com 2000€ 46,00€    
9. Salários com 1300€ 45,50€ 18. Salários com 2100€ 48,30€    
    19. Salários com 2200€ 50,60€    
    20. Salários com 2300€ 52,90€    

 

O absurdo e insensatez dos aumentos em % está bem evidente no Quadro que antecede e por isso é que a Frente Sindical desde o início do processo se recusou a discutir %, tal como nos anos anteriores em que se conseguiram aumentos em valores fixos, princípio muito mais justo.

O quadro foi elaborado em intervalos de 50€, dando para perceber claramente a “aberração” de tal construção, porque uma tabela em que trabalhadores com salários mais altos são ultrapassados por quem tem salários mais baixos, do ponto de vista da lógica, isto não se entende.

Não sabemos se foi teimosia de quem manda na empresa, ou incapacidade de quem elaborou os intervalos e as %.

Mas as aberrações não se ficam por aqui, havendo mais duas que são bem evidentes:

  • Uma é a grelha salarial conter 9 salários com o valor mínimo praticado na empresa a partir de 1 de Janeiro de 2023.
  • Outra foi a teimosia da equipa negociadora não aceitar aumentar os salários do topo dos escalões da cada categoria.

A Frente Sindical percebeu muito bem quem defendeu estes “absurdos”, mas como diz o sábio popular, quando se “dão botas a quem tem as pernas tortas”, o resultado é este.

 

DECISÃO FINAL, SERÁ DOS TRABALHADORES. Os Sindicatos da Frente Sindical têm a responsabilidade de negociar o melhor que sabem, mas em relação à decisão final não se subsituem aos destinatários dos processos negociais que são os trabalhadores, nem fazem “sindicalismo de cadeirão”.

 

Plenário de Dirigentes, Delegados e activistas sindicais. Os Sindicatos da Frente Sindical vão realizar um Plenário de Dirigentes, Delegados e Activistas Sindicais no próximo dia 24 de Fev., com início às 10h00, cujo local será o Auditório da CGTP.

O objectivo é analisar a proposta que a Altice diz ser a sua última e ver que resposta vai ser dada.

Claro que depois deste plenário, serão realizadas outros com os trabalhadores, onde se discutirão as conclusões do Plenário do dia 24, para os trabalhadores analisarem igualmente a situação e se pronunciarem sobre o caminho a seguir.

Quando se luta nem sempre se ganha, mas quando não se luta perde-se sempre.

 

JOÃO GOMES Faleceu

É toda uma geração SNTCT que vai desaparecendo,

vamos ficando mais pobres….

JOÃO GOMES

Faleceu

JOÃO GOMES

18/10/1923 – 08/01/2023

Carteiro Aposentado dos CTT – EDL(CDP) 1000

Membro da Comissão de Aposentados do SNTCT

1985 a 2016

O João, o nosso João, que nasceu e se criou em Britiande (Concelho de Lamego) há quase 100 Anos e que, como ele dizia “comeu o pão que o diabo amassou e foi curtido nas encostas do Douro”, era um homem vertical, íntegro e de firmes convicções. Era também um camarada e amigo de fácil trato, capaz de gestos que só os Homens grandes conseguem ter.

Sempre solidário o João não disse não ao seu Sindicato quando lhe foi pedido para integrar, em 1985, a Comissão Nacional de Aposentados do SNTCT criada nesse ano, o que coincidiu com a sua aposentação.

Desse ano em diante, com o Jaime Silva e o Augusto Martins, infelizmente já desaparecidos (e mais tarde com a sua companheira agora sua viúva Celeste Matias), o João foi presença diária na sede do SNTCT por mais de 25 anos até à data em que já com mais de 85 anos se “reformou da Comissão de Aposentados porque as pernas já se cansavam muito” como ele dizia com o seu ar sempre bem-disposto.

Um Homem que, depois de aposentado, se manteve 25 anos a deslocar-se diariamente para o Sindicato para dar resposta às questões dos Aposentados Sócios do SNTCT, recusando receber um tostão que fosse do mesmo (recusou até o pagamento do passe social), diz tudo do João.

É por tudo isso e porque era um querido camarada e amigo que lá estaremos todos(as), hoje e amanhã, a prestar-lhe a devida homenagem.

Até sempre Camarada João!

Lisboa, 9 de Janeiro de 2023

A Direcção Nacional do SNTCT

A Comissão Nacional de Aposentados e Reformados do SNTCT

________________________________________________________________________

O corpo do nosso Camarada João Gomes estará em câmara ardente a partir das 17H00 de hoje na Igreja de Nossa Senhora da Conceição Olivais Sul, Rua Cidade de Nampula, Olivais Sul – Lisboa. O funeral sairá da mesma Igreja amanhã, pelas 12H15 para o Crematório do Cemitério dos Olivais, onde será cremado pelas 13H00.

________________________________________________________________________

Abre aqui o comunicado em PDF » » » Faleceu o camarada João Gomes.

Até sempre Camarada Isabel!

Estamos mais pobres.

Partiu a nossa Isabel.

Isabel Vitória de Almeida Figueiredo

22-07-1943 – 06-01-20023

Aposentada dos CTT/Portugal Telecom

 

Secretária Geral do SNTCT

1978 a 1982 – 1991 a 1997

Presidente da Mesa do Plenário Nacional do SNTCT

1984 a 1990

Dirigente da CGTP-IN em diversos mandatos

 

 Abre aqui o comunicado em PDF » » » »  Até sempre camarada Isabel!

 

Uma Mulher de armas, firme nas suas convicções, arguta, inteligente, negociadora nata, uma figura incontornável da luta dos Trabalhadores e das Trabalhadoras portugueses em geral e dos Trabalhadores e das Trabalhadoras dos Correios e Telecomunicações em particular… e também uma Mulher/camarada/amiga de grande generosidade, solidária em todos os momentos e sempre atenta aos que a rodeavam com uma palavra amiga, um abraço e aquele sorriso que lhe era tão característico. Um ser de excepção que a lei da vida agora nos levou.

No SNTCT e entre os Trabalhadores e as Trabalhadoras dos Correios, Telecomunicações e Actividades Afins a Isabel, a nossa Isabel, será sempre recordada como uma das suas almas mater e figura incontornável da implantação, crescimento e vida do seu Sindicato bem como da sua Luta.

Até sempre Camarada Isabel!

 

Lisboa, 6 de Janeiro de 2023

A Direcção Nacional do SNTCT

________________________________________________________________________

Nota: O corpo da nossa Camarada estará a partir das 17 horas de hoje, dia 7/1/2023, na Igreja do Santo Condestável em Lisboa e o funeral terá lugar amanhã pelas 11H00 para o Cemitério de Benfica onde o enterro acontecerá pelas 11H30.

Encarregar-nos-emos de fazer chegar à família da nossa camarada as mensagens de condolências que nos forem enviadas para o email sntct@sntct.pt .

 

SNTCT – Boas Festas e um melhor Ano 2023

BOAS FESTAS E UM MELHOR 2023

 

A Direcção Nacional do SNTCT deseja a todos(as) os(as) seus(suas) Associados(as) e Trabalhadores(as) no activo ou aposentados(as)/reformados(as) das empresas de correios, de telecomunicações e das actividades afins, bem como às repectivas famílias, umas Boas Festas e um 2023 melhor que este que agora finda.

É também por isso que vos exortamos a, conjuntamente com todos os Trabalhadores em geral, quer Portugueses quer de todos os restantes Países (a quem estendemos estes votos de Boas Festas) a continuarmos a luta quer por melhores condições sociais e de trabalho quer por um Mundo mais justo, fraterno e solidário.

Apesar de todas as vicissitudes da época conturbada em que vivemos e do crescente ataque aos direitos e garantias dos Trabalhadores e das Trabalhadoras, a luta tem que continuar nunca perdendo nós de vista que, se Mundo não pára a nossa luta também não pode parar.

Queridos(as) Camaradas, Amigos(as) e Companheiros(as) no  palmilhar da  longa estrada da vida e da dura luta dos(as) Trabalhadores(as), umas Boas Festa e um Bom Ano de 2023.

A Direcção Nacional do SNTCT.

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

ISAC DE ANDRADE, DIRIGENTE HISTÓRIO DO SNTCT, FALECEU.

Estamos mais pobres!

ISAC DE ANDRADE

Faleceu

29/11/1929 – 23/11/2022

Ex-Dirigente Nacional e Regional(Madeira) do SNTCT

Carteiro Aposentado dos CTT

O Isac partiu e todos nós, no SNTCT e nos CTT, perdemos um amigo, um camarada e, sobretudo, um defensor acérrimo do bem-estar e dos direitos dos Trabalhadores.

Por motivos de ordem familiar (o ter de aguardar-se dos filhos imigrados na América) as exéquias fúnebres só terão lugar no próximo dia 29, dia em que completaria 93 anos de idade, sendo o seu corpo cremado pelas 10 da manhã no Cemitério de São Martinho, no Funchal. A Direcção Nacional do SNTCT já apresentou condolências à família e far-se-á representar na sua despedida.

Da Madeira, onde nasceu e viveu toda a vida, o Isac veio em 5 de Maio de 1974 para representar dos Trabalhadores dos então CTT-EP da sua Região na Assembleia Magna fundadora do SNTCT que se realizou em Lisboa.

Foi Dirigente Regional da Madeira desde sempre e Membro da Direcção Nacional do SNTCT desde 1986 até à data da sua Aposentação. Contribuiu activamente para a construção do Movimento Sindical Unitário nunca abandonando o seu Sindicato mesmo quando, como tantos outros, resistiu à intimação partidária para o fazer quando alguns queriam “partir a espinha” à CGTP-IN.

Obrigado Isac pelo que nos deste a todos. Obrigado por teres sido o amigo e camarada sempre presente nos dias bons mas principalmente nos dias menos bons. Partiste e de ti, embora continues presente, ficam-nos as saudades.

Até sempre camarada!

A Direcção Nacional do SNTCT

aBRIR AQUI EM FORMATO pdf » » » ISAC DE ANDRADE

 

COMUNICADO SNTCT INTELCIA – 3-2022

Greve na INTELCIA

15 OUTUBRO!

 

Abre aqui o comunicado em PDF: SNTCT INTELCIA (3)

O SNTCT, enviou um pré-aviso de Greve à Intelcia, para dia 15 de Outubro, para permitir que os trabalhadores possam participar na Manifestação convocada pela CGTP-IN, em luta por questões que abrangem directamente todos os Trabalhadores da Empresa independentemente do seu posto de trabalho e/ou profissão.

  • PELO AUMENTO DOS SALARIOS;
  • CONTRA O AUMENTO DO CUSTO DE VIDA;
  • CONTRA O ATAQUE AOS DIREITOS.

  MANIFESTAÇÃO NACIONAL

Lisboa 15H Cais do Sodré

Porto 15H Campo 24 Agosto

 

A LUTA CONTINUA, NA EMPRESA E NA RUA.

SINDICALIZA-TE NO SNTCT!

Página Web: www.sntct.pt – Email: sntct@sntct.pt – Facebook: www.facebook.com/sntct – Instagram: www.instagram.com/sntct7 – Twitter: https://twitter.com/SNTCT

 

SNTCTa força de continuarmos juntos!

COMUNICADO CONJUNTO ALTICE – 13_09_2022

ALTICE COMUNICA AS ALTERAÇÕES QUE PRETENDE IMPOR AOS PLANOS DE SAÚDE

ASSIM NÃO, SENHORES DONOS DA ALTICE!

 

Abre aqui o comunicado em PDF: Comunicado Frente Sindical_20220912

 

Transmitir más notícias em período de férias é uma marca já conhecida da gestão Altice, pois foi no Verão de 2017 que avançou com a Transmissão de Estabelecimento de 155 trabalhadores, foi no Verão de 2021 que avançou com o despedimento Colectivo de 203 trabalhadores (número final) e que pretende apanhar os trabalhadores e suas ERCT ausentes.

Agora em 2022, a Altice aproveitando a época de férias por excelência (Agosto), enviou uma comunicação aos beneficiários dos Planos de Saúde (Clássico, Corporativo Tipo I e Tipo II) a comunicar as malfeitorias que pretende impor a partir de Janeiro de 2023 nos mesmos.

Mais uma vez, usando os argumentos falaciosos da sustentabilidade e do aumento dos custos incomportáveis na saúde, mas todos sabemos que a Altice o que pretende é transferir responsabilidades e custos da empresa para os beneficiários.

POR NECESSIDADE (SERVIÇO DA DÍVIDA DEVIDO AO AUMENTO DAS TAXAS DE JURO) OU POR OPORTUNIDADE (VALORIZAÇÃO DA EMPRESA À CUSTA DA VENDA DE PATRIMÓNIO, DE FATIAS DO NEGÓCIO E DA REDUÇÃO DAS RESPONSABILIDADES FUTURAS) PREPARAR A ALTICE PARA A VENDA É VERDADEIRO OBJECTIVO DOS DONOS E ESTAS ALTERAÇÕES AOS PLANOS DE SAÚDE FAZEM PARTE DESSA ESTRATÉGIA. TUDO O RESTO É CONVERSA FIADA!

Este ataque só tem o objectivo de aumentar de forma exponencial o valor da empresa numa futura venda ou melhorar o quadro financeiro numa renegociação da dívida da Altice (dívida monstruosa que passa dos 50.000 milhões de euros se considerarmos a Altice USA), mesmo que para isso destrua a vida de muitos trabalhadores e ex-trabalhadores desta casa.

Porque os donos da Altice e a gestão que implementa através das decisões a estratégia por eles definidas estão-se nas tintas com os malefícios das suas decisões, nomeadamente querem acabar com a componente solidária nos Planos de Saúde (quanto mais se ganha mais se paga de quota e quanto mais doente se é mais cuidados de saúde se tem), os trabalhadores têm de tomar nas suas mãos a defesa dos seus direitos e agir em conjunto com os Sindicatos da Frente Sindical na defesa dos Planos de Saúde e na exigência da valorização dos salários (a exigência de aumentos intercalares num ano em que a inflação está em 9%, dados do INE a 31 de Agosto, continua a ser uma prioridade para os Sindicatos da Frente Sindical).

SINDICATOS DA FRENTE SINDICAL TÊM OS SEUS ADVOGADOS A TRABALHAR NA VERTENTE JURÍDICA

Esta Luta de “emergência social” será travada na Empresa, na Rua e nos Tribunais (caso as alterações unilaterais avancem, iremos também demonstrar que as mesmas não podem ser implementadas sem o acordo das ERCT e dos beneficiários).

A Frente Sindical que está a organizar a defesa dos beneficiários dos Planos de Saúde (activos e não activos e de todos os familiares inscritos), através da mobilização e da denúncia pública, não descorou a vertente jurídica e já trabalha em futuras ações contra as alterações unilateralmente anunciadas, caso a Luta de massas não obrigue a Altice a recuar.

BENEFICIÁRIO, QUANDO TE PEDIREM DOCUMENTAÇÃO PARA VALIDAR AS ALTERAÇÕES QUE A ALTICE PRETENDE DEVES ENVIAR UMA DECLARAÇÃO CONJUNTAMENTE COM OS MESMOS A ASSUMIR OPOSIÇÃO

Sempre que os beneficiários forem confrontados com o pedido de documentos pela Altice ou pela ACS para validar a sua inscrição ou atualizar a situação num contexto das alterações anunciadas, os documentos devem ser acompanhados de declaração a transmitir que o envio da documentação solicitada não implica a concordância do beneficiário às alterações ao seu Plano de Saúde.

Nota importante: Deve ser enviada cópia da declaração para o Sindicato onde está associado.

________________________________________________________________________

 

DECLARAÇÃO

 

Exmos. Senhores,

Nome…., beneficiário do Plano de Saúde… n.º —-, respondendo à comunicação de Vexas. De ……….., venho transmitir o seguinte:

  1. Não dou o meu acordo às alterações introduzidas de forma unilateral pela Empresa no Plano de Saúde, no qual me inscrevi através de ficha de inscrição;
  2. No entanto, e com o único objetivo de evitar maiores prejuízos para os beneficiários-inscritos, envio os elementos/documentos que me foram solicitados para o efeito;
  3. Esta posição não envolve, porém qualquer acordo ou aprovação às referidas alterações, pelo que reservo o direito de poder vir a impugná-las, se for caso disso, inclusive pela via judicial.

Sem outro assunto, subscrevo-me

 

                                                                                Assinatura conforme BI/CC

________________________________________________________________________

 

Sabemos que esta “BATALHA VAI SER DURA”, mas tem de ser travada pois está em causa a defesa dos Planos de Saúde, o futuro da ACS e no limite a vida dos beneficiários.

BENEFICIÁRIO DOS PLANOS DE SAÚDE, TRABALHADOR ACTIVO, SUSPENSO, PRÉ-REFORMADO, REFORMADO/APOSENTADO ESTÁS CONVOCADO PARA OS PLENÁRIOS QUE A FRENTE SINDICAL IRÁ REALIZAR E QUE BREVEMENTE SERÃO CALENDARIZADOS, PARA EXIGIR OS AUMENTOS SALARIAIS E BARRAR O CAMINHO ÀS ALTERAÇÕES DOS PLANOS DE SAÚDE.

A LUTA CONTINUA, NA EMPRESA E NA RUA!

 

COMUNICADO SNTCT TELECOM 2-2022

ALTICE PERSISTE 

EM LEVAR ADIANTE O ATAQUE AOS PLANOS DE SAÚDE DOS SEUS TRABALHADORES A PARTIR DE 1/1/2023

POR ISSO, A LUTA VAI TER DE CONTINUAR!

Abre aqui o comunicado em PDF » » »SNTCT TELECOM 2-2022 9-8-2022

O SNTCT esclareceu e informou, ao longo de dois meses, da vergonhosa proposta da ADM/DRH da Altice tem para os planos de saúde. Informámos sobre as consequências gravosas das intenções desta gestão “oligarca” que tem como propósito único sacar aos Trabalhadores/Beneficiários tudo o que puder para poder encher os bolsos dos accionistas.

As opções que têm vindo a ser assumidas pela gestão não dão a resposta necessária aos problemas dos Trabalhadores e dos Beneficiários.

Afirmaremos, bem alto e as vezes que forem necessárias, que o SNTCT não aceita alterações para pior aos Planos de Saúde e por isso exigimos a manutenção das actuais condições dos mesmos.

Já é tempo da ADM/DRH da Altice perceber que tem que desistir dessa afronta inqualificável aos Trabalhadores e a todos os Beneficiários dos Planos de Saúde, porque só a ganância insaciável dos patrões da Altice justifica essa teimosia e arrogância.

Para quem tinha dúvidas dos propósitos desta gestão ao longo dos últimos sete anos, ficou mais uma vez demostrado que o único objectivo desta gente é transferir custos para os beneficiários.

O ANUNCIADO PROPÓSITO DE ATAQUE

AOS PLANOS DE SAÚDE (ACS) AUMENTA CUSTOS

PARA BENEFICÁRIOS E RETIRA APOIOS E DIREITOS

A empresa já enviou para os Beneficiários as alterações aos respectivos Planos de Saúde e, dizem eles, que é para se manter o plano sustentavel e equilibrado.

Não dizem é que, a verificar-se essa alteração, os encargos para os beneficiários aumentarão substancialmente e os seus direitos serão diminuídos na inversa proporção.

Na questão do fincioamento, a Altice propõe-se agravar o valor das quotas. Propõe-se, por exemplo, colocar os filhos a pagarem 50% sobre os valores da tabela de quotas mensais de beneficiários e familiares.

Nos benefícios, o anunciado ataque da Altice nas compartecipações, plafons anuais, franquia anual e copagamentos é incomportável para os Trabalhadores/Beneficiários.

A Altice propõe-se excluir do plano serviços tais como; Oxigenoterapia e Ventiloterapia, Fraldas e Resguardos, Meias Elásticas e Coletores, tais como Sacos, Algalias, Apósitos, e restantes consumíveis associados, nomeadamente Pensos ou Sondas. A acontecer, os Beneficiarios que necessitem daqueles consumíveis vão ficar sem qualquer apoio e, dessa forma, agravar-se-á a hedionda actuação da Altice em relação aos mais desprotegidos e necessitados. Estes são alguns do exemplos do ataque que a ADM/DRH da Altice pretende desferir contra os Planos de Saúde e assim obrigar os Trabalhadores/Benficiários a suportarem os mesmos.

DA ILUSÃO (DE ALGUNS) NA REUNIÃO DO DIA 25 DE  JULHO Á CRUEL REALIDADE CONSUBSTANCIADA NO ANÚNCIO DE 8 DE AGOSTO DA ADM/DRH – ELES QUEREM É ATACAR/DESTRUIR OS PLANOS DE SAÚDE

Na reunião de 25 de Julho que voltamos a lembrar, a ADM/DRH da Altice declarou que quer “… manter a confiança nas equipas de gestão e que podem tomar medidas menos populares em relação aos trabalhadores, para garantir a sustentabilidade da operação…”.

A CEO da Altice também disse numa intrevista na CNN que: “Em Portugal, é mais fácil executar um despedimento colectivo do que executar o despedimento ou afastamento de um funcionário por falta de produtividade ou de desempenho. Há um conjunto de mecanismos que limitam as empresas do ponto de vista de contratação e até de restruturação.”

Patric Drahi disse “… não gosto de pagar salários e quando tenho que pagar, pago o mínimo possível…”

Para o SNTCT é claro e a vida têm-no provado que não há alternativa à luta, que esta é decisiva para avançar, para aumentar salários e manter os direitos (os Planos de Saúde são um direito) como factores indispensáveis para se garantir um futuro para os trabalhadores do Grupo Altice. É preciso uma política de gestão alternativa, que distribua a riqueza de forma justa, que respeite e valorize o trabalho e os trabalhadores.

O processo de ataque aos Planos de Saúde, promovido por uma gestão prepotente e arrogante, pretende aproveitar os medos provocados pela actual situação que vivemos para desencadear um brutal aumento de preços nos Plano de Saúde, com encargos acrescidos só para os trabalhadores e beneficiários, degradando assim ainda mais o poder de compra dos salários e das pensões, afectando de forma mais violenta e inqualificável pela crueldade, estes últimos.

Afirmamos que não há inevitabilidades e assumimos o compromisso de unidade com os trabalhadores para, todos, continuarmos a luta em torno das suas justas reivindicações.

ALTERÇÕES AOS PLANOS DE SAÚDE SÃO INJUSTIFICADOS E INJUSTOS

O SNTCT sempre afirmou que não havia necessidade de alteração dos Planos de Saúde considerando que as receitas da Altice Portugal, relativas ao segundo trimestre do ano, foram de 641,8 milhões, representando um crescimento de 16,5% face ao período homólogo do ano anterior. A ADM/DRH diz que se traduziu num impulso decisivo na trajetória deste indicador, após a tendência de crescimento dos últimos trimestres. Esta afirmação da empresa só vem dar razão ao SNTCT quando afirmamos que este ataque aos Planos de Saúde é, lamentável, mais uma tentativa de esbulho (mascarada de birra) contra os trabalhadores e beneficiarios.

SE EXISTIAM DUVIDAS QUANTO À NECESSIDADE DE LUTAR,… É AGORA EVIDENTE QUE A LUTA ESTA ADM/DRH É O CAMINHO!

A LUTA CONTINUA NA ALTICE E NA RUA!

SINDICALIZA-TE.

Página Web: www.sntct.pt – Email: sntct@sntct.pt – Facebook: www.facebook.com/sntct – Instagram: www.instagram.com/sntct7 – Twitter: https://twitter.com/SNTCT

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

1 2 3 8