ASSEMBLEIA GERAL SNTCT – INQUÉRITO PRÉVIO OBRIGATÓRIO A TODOS(AS) OS(AS) PARTICIPANTES

ASSEMBLEIA GERAL DO SNTCT

MEDIDAS DE CONTENÇÃO DO COVID

ABRE AQUI O INQUÉRITO PARA IMPRESSÃO » » »QUESTIONÁRIO SNTCT PARA UACS
Camaradas,
Devido às medidas de contenção do contágio pelo COVID-19, a realização da nossa Assembleia Geral do SNTCT (e também da Assembleia Geral de Aposentados do SNTCT) devem obedecer a algumas regras tais como:
  • Uso obrigatório de máscara durante a realização da Assembleia (devendo cada participante trazer a sua embora, como medida de salvaguarda para eventual esquecimento, vamos disponibilizar algumas máscaras descartáveis);
  • Medidas de distanciamento obrigatório entre participantes;
  • Higienização de instalações e materiais.
Uma das medidas incluída no Plano de Contingência da UACS, em cujas instalações vão ser realizadas as nossas Assembleias Gerais no próximo dia 19 de Setembro, vamos ter que preencher e entregar antecipadamente o questionário anexo que, devidamente preenchido, nos deve chegar, sem falta, até ao final do dia 17 de Setembro, por uma das seguintes vias:
  • Entregue em mão nas instalações do SNTCT ou a um Dirigente;
  • Entregue por E-mail ( sntct@sntct.pt );
  • Remetido pelo correio para a Sede do SNTCT (Alameda D. Afonso Henriques, 41-r/c – 1000-123 Lisboa). Neste caso TER EM ATENÇÃO O TEMPO NECESSÁRIO À SUA CHEGADA.
Para qualquer esclarecimento adicional devem os(as) camaradas contactar-nos através do telefone da Sede – 21 842 89 00.
SNTCT – A força de continuarmos juntos!

 

COMUNICADO DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL 3-2020

ASSEMBLEIA GERAL DE APOSENTADOS DO SNTCT

19 de Setembro de 2020

em

Lisboa

CONVOCATÓRIA

Abre aqui o comunicado em versão PDF » » » 2020-03 ASSEMBLEIA GERAL APOSENTADOS DO SNTCT

Nos termos do Artigo 72.º dos Estatutos do SNTCT, publicados no BTE, 1.ª S, nº 4 de 29 de Janeiro de 2007 e das alterações introduzidas e publicadas no BTE, 1ª Série, nº 21 de 8 de Junho de 2015 bem como dos regulamentos que lhe são anexos, convoco os associados aposentados do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações a reunir em Assembleia Geral de Aposentados, em primeira convocatória, no dia 19 de Setembro de 2020, pelas 14 horas, na R. Castilho 14, em Lisboa, com a seguinte ordem de trabalhos:

 

  1. Discussão e deliberação sobre o Relatório de Actividades da Comissão Nacional de Aposentados do SNTCT de 2019;
  2. Discussão e deliberação sobre o Plano de Actividades da Comissão Nacional de Aposentados do SNTCT para 2020;

 

Não estando presentes a maioria legal dos associados à hora indicada, ficam os associados convocados a reunir em Assembleia Geral meia hora depois, em segunda e última convocatória, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, funcionando a Assembleia Geral com qualquer número de associados presentes.

Nota: A Assembleia Geral realiza-se nesta data por via da Pandemia provocada pelo vírus Covid-19. Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

Lisboa, 19 de Agosto de 2020

                     O Presidente

                                                              da Mesa da Assembleia Geral do SNTCT

                                                                        António José Gouveia Duarte da UACS

  1. Castilho 14,

em Lisboa

 

PARTICIPA!

Iremos organizar transportes em autocarro de aluguer (de que comparticiparemos 80% do custo) a partir das diversas regiões onde o número de interessados o justifique. As Secções Regionais do SNTCT abrirão antecipadamente as inscrições para o efeito.

Atenção: Onde pelo número de inscritos não se justificar o aluguer de um autocarro qualquer outro tipo de comparticipação nas despesas de deslocação será analisada caso a caso mas, sempre, tratado antecipadamente sem o que não haverá comparticipação.

ATENÇÃO – MUITO IMPORTANTE

MEDIDAS PROTECÇÃO COVID-19

Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia Covid-19 os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

 

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

www.sntct.pt

www.facebook.com/sntctwww.instagram.com/sntct7 –  https://twitter.com/SNTCT

COMUNICADO MESA DA ASSEMBLEIA GERAL – 2-2020

ASSEMBLEIA GERAL DO SNTCT

19 de Setembro de 2020

em

Lisboa

 

CONVOCATÓRIA

Abre aqui o comunicado em formato PDF » » » 2020_02 SNTCT MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

Nos termos dos Artigos 54.º, 55.º alínea J, 56.º Ponto 1.º, 57.º e 58.º dos Estatutos do SNTCT, publicados no BTE, 1.ª S, nº 4 de 29 de Janeiro de 2007 e das alterações introduzidas e publicadas no BTE, 1ª Série, nº 21 de 8 de Junho de 2015, bem como do Regulamento da Assembleia Geral que lhe é anexo, convoco os associados do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações a reunir em Assembleia Geral, em primeira convocatória, no dia 19 de Setembro de 2020, pelas 14 horas, no Auditório da UACS, R. Castilho 14, em Lisboa, com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Discussão e deliberação sobre o Relatório de Actividades e as Contas de 2019;
  2. Discussão e deliberação sobre o Plano de Actividades e o Orçamento para 2020;

Não estando presentes a maioria legal dos associados à hora indicada, ficam os associados convocados a reunir em Assembleia Geral meia hora depois, em segunda e última convocatória, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, funcionando a Assembleia Geral com qualquer número de associados presentes.

Nota: A Assembleia Geral realiza-se nesta data por via da Pandemia provocada pelo vírus Covid-19. Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

Lisboa, 19 de Agosto de 2020

 

O Presidente

  da Mesa da Assembleia Geral do SNTCT

António José Gouveia Duarte

 

Auditório da UACS

  1. Castilho 14,

em Lisboa

PARTICIPA!

Iremos organizar transportes em autocarro de aluguer (de que comparticiparemos 80% do custo) a partir das diversas regiões onde o número de interessados o justifique. As Secções Regionais do SNTCT abrirão antecipadamente as inscrições para o efeito.

Atenção: Onde pelo número de inscritos não se justificar o aluguer de um autocarro qualquer outro tipo de comparticipação nas despesas de deslocação será analisada caso a caso mas, sempre, tratado antecipadamente sem o que não haverá comparticipação.

ATENÇÃO – MUITO IMPORTANTE

MEDIDAS PROTECÇÃO COVID-19

Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia Covid-19 os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

 

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

www.sntct.pt

www.facebook.com/sntctwww.instagram.com/sntct7 –  https://twitter.com/SNTCT 

COMUNICADO CONJUNTO – GREVE GERAL NOS CTT CORREIOS 29MAIO E 12JUNHO – CARTÃO REFEIÇÃO NÃO!

GREVE GERAL NOS CTT CORREIOS

29 DE MAIO DE 2020

CARTÃO REFEIÇÃO NÃO!

SE OS CTT NÃO RECUAREM, SERÁ TAMBÉM MARCADA GREVE PARA O DIA 12 DE JUNHO

Abre aqui a versão PDF deste comunicado » » » COMUNICADO CONJUNTO SINDCATOS CTT SOBRE GREVE 29MAIO 12JUNHO

Desde 1981, ano que foi assinado o ACT, que os trabalhadores recebem o subsídio de refeição como retribuição na folha de vencimento. No AE/CTT em vigor, o subsídio de refeição está inscrito numa cláusula de expressão pecuniária. Apesar de já ter havido em diversas ocasiões propostas pelos CTT para implementar o “cartão de refeição”, nunca houve acordo.

O subsídio de refeição é parte integrante do vencimento e os trabalhadores usam-no conforme e sua vontade ou necessidade. Muitos trabalhadores devido aos baixos salários utilizam os cerca de 190 euros mensais para fazer face a despesas diversas.

O cartão de refeição apenas pode ser utilizado em estabelecimentos de venda de produtos alimentares, tais como supermercados, restaurantes, cafés, bares, e nem em todos. Acresce o facto de em várias regiões do país não há onde utilizar o cartão.

Com a atribuição do cartão de refeição, um número elevado de trabalhadores veria os seus vencimentos reduzidos e, muitos passariam a receber um salário líquido abaixo do salário mínimo nacional. No caso de haver 2 trabalhadores no mesmo domicílio, essa redução seria de cerca de 380 euros mensais.

O cartão de refeição permite uma fuga (legal) ao fisco e por isso os trabalhadores descontariam menos para a CGA/Segurança social e IRS, no entanto a sua pensão/reforma seria penalizada por esta alteração, em função da idade e tempo de serviço. Com a imposição do cartão de refeição os trabalhadores poderiam ficar beneficiados em cerca de 75 euros anuais (podendo depois vir a beneficiar em função do IRS), enquanto que os CTT ganhariam mais de 1.900.000,00 de euros. GRANDE NEGÓCIO!

Os CTT têm usado e abusado da “conversa da desgraçadinha” insistindo “na busca da melhor forma de enfrentar este futuro adverso, e no respeito pelo racional de causar o menor impacto possível no conjunto dos colaboradores (leia-se trabalhadores) ou, “os resultados das outras áreas de negócio se ressentiram também com a atual crise provocada pela pandemia CoViD-19”, mas a verdade é esta:

OS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO GRUPO CTT NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2020 AUMENTARAM 1,7% EM RELAÇÃO AO PERÍODO HOMOLOGO DE 2019.

CARTÃO DE REFEIÇÃO – NÃO!

GREVE GERAL DIA 29 de MAIO e 12 de JUNHO

Lisboa, 14 de Abril de 2020

E-MAIL CTT PARA ENVIO DA DECLARAÇÃO DE OPOSIÇÃO AO CARTÃO REFEIÇÃO

Depois de insistirmos, foi-nos indicado um e-mail para se poderem enviar as Declarações.

Abaixo está o texto alterado e aqui podes abrir a minuta em PDF para poderes imprimir  » » » Declaração de Oposição cartão refeição CTT (versãofinal)

O e-mail é o rh.gpelisboa@ctt.pt …

e não esqueças de enviar cópia para sntct@sntct.pt .

Exmo. Senhor

João Bento

Presidente da Comissão Executiva

dos CTT – Correios de Portugal, S.A.

Av. Dom João II 13, 1999-001 Lisboa

E-mail: rh.gpelisboa@ctt.pt

 

 

___________________, trabalhador(a) CTT com o nº mecº ___, do grupo profissional ____, colocado(a)   no  local  de  trabalho  ____________, tendo tomado conhecimento da decisão da empresa de proceder ao pagamento do subsídio de refeição através de “cartão refeição” vem manifestar a sua expressa oposição , porquanto:

  1. O subsídio de refeição, ao contrário do que se diz na comunicação da Directora de Recursos Humanos dos CTT tem inequívoca natureza de retribuição, para além do mais, nos termos do disposto na parte final do nº 1 , al. a) do art.º 260º do Código do Trabalho “ (…) ou se devam considerar pelos usos elemento integrante da retribuição do trabalhador”.
  2. E o certo é que tal pagamento nunca esteve dependente da comprovação da realização de quaisquer despesas por parte do trabalhador, sendo inequivocamente parte da retribuição e elemento essencial a complementar os baixos salários que são pagos à generalidade dos trabalhadores.
  3. A corroborá-lo está ainda o facto de, havendo múltiplos títulos refeição a circular no mercado há décadas, jamais a empresa os utilizou para esse efeito, sempre tendo procedido ao pagamento do subsídio de refeição em dinheiro juntamente com a retribuição base e demais prestações retributivas, em cumprimento do que se dispõe na primeira parte do nº 1 do Art.º 276º do Código do Trabalho.
  4. Apesar das “sugestões” efectuadas na sua referida comunicação para a utilização do cartão de refeição, não tem a empresa qualquer direito a impor aos seus trabalhadores que abdiquem de receber o subsídio em dinheiro, dando-lhe a utilização que cada um bem entenda e no momento que considere oportuno.
  5. Finalmente, informo que qualquer alteração ao pagamento do subsídio de refeição, a verificar-se, teria sempre de passar pelo crivo da negociação colectiva, o que não sucedeu.

Em face disso, pretendo que o pagamento do subsídio de refeição continue a ser feito, através de transferência, para a minha conta bancária.

 

Local e data: ______, __ de Maio de 2020

_________________

(Assinatura)

 

46º ANIVERSÁRIO DO SNTCT

1974 – 5 de Maio – 2020

O SNTCT foi fundado há 46 anos.

Abre aqui o Cartaz em formato PDF »»»CARTAZ 46 ANOS SNTCT

Vieram de todos os pontos do País, eram mais de 10.000 homens e mulheres os/as que naquele dia 5 de maio de 1974 encheram por completo o Pavilhão dos Desportos de Lisboa (Hoje Pavilhão Carlos Lopes) para, naquele dia, darem corpo àquilo que há muito ambicionavam e o regime fascista do Estado novo lhe tinha negado até então, até à Revolução de 25 de Abril de 1974 – criarem/fundarem o seu Sindicato. Um Sindicato vertical onde coubessem todos os trabalhadores dos Correios e Telecomunicações.

Nasceu assim o SNTCT.

Hoje, 46 anos volvidos, numa realidade diferente, num País diferente mas em que os problemas dos trabalhadores e os ataques de que são vítimas são os mesmos, a luta continua.CARTAZ 46 ANOS SNTCT

Manter os mesmos princípios de unidade e solidariedade, tendo sempre em vista a manutenção, conquista e a defesa de direitos dos seus associados em particular, e dos trabalhadores e das trabalhadoras portugueses em geral, nunca foi, não é nem jamais será um caminho fácil de trilhar..

Mas, citando o poema de Jorge Palma, intitulado “A gente vai continuar” e saudando todos os homens e mulheres que ao longo destes 46 anos deram corpo ao mais antigo e consequente projecto sindical dos trabalhadores dos correios, telecomunicações e actividades afins, sempre diremos;

“Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar”.

Viva o SNTCT!

SNTCT – A foça de continuarmos juntos!

1º MAIO 2020

1º DE MAIO

DIA INTERNACIONAL DO TRABALHADOR

LUTAR! DEFENDER A SAÚDE E OS DIREITOS DOS TRABALHADORES!

GARANTIR EMPREGO, SALÁRIOS, SERVIÇOS PÚBLICOS.

Ler o texto abaixo da nota sobre as comemorações e podes abrir aqui o manifesto em formato PDF » » » manifesto 1 maio 2020

Abre aqui o mapa das iniciativas 1º de Maio CGTP-IN em que o SNTCT se integra » » »MAPA 1º DE MAIO CGTP 2020

ATENÇÃO

COMEMORAÇÕES DO 1º DE MAIO

Este ano, devido às medidas de contenção por via da pandemia COVID-19, as comemorações do 1º de Maio vão decorrer de forma diferente do habitual.

A CGTP-IN já manifestou publicamente que não iremos realizar as manifestações, concentrações e desfiles. Não teremos a participação de centenas de milhar de trabalhadores e reformados que estarão solidários a partir das residências e locais de trabalho (os que trabalham nesse dia).

Mas, neste 1º de Maio, estaremos na rua, garantindo a protecção e o distanciamento sanitário de todos quanto participarão, afirmando o nosso protesto, as nossas reivindicações, a nossa luta.

Este ano a dimensão das acções é limitada, aqueles que estarão na rua representarão todos os trabalhadores.

Em Lisboa estaremos na Alameda D. Afonso Henriques e o SNTCT estará presente, tal como no Porto e em Coimbra, apenas com uma delegação de Dirigentes Nacionais e Delegados Sindicais das diversas empresas em que temos associados.

Apelamos por isso a todos(as) os(as) camaradas, nomeadamente os(as) reformados(as) e aposentados(as) que habitualmente participam na Manifestação/Desfile do 1º de Maio e que não estejam integrados na Delegação do SNTCT que, comemorem o 1º de Maio a partir das suas casas.

Sentiremos a falta do vosso abraço e da vossa participação mas, a protecção da nossa/vossa saúde está primeiro.

Para o ano lá estaremos todos juntos outra vez, demonstrando que tal como nos últimos 46 anos, SNTCT – A força de continuarmos juntos!

Vamos comemorar este 1º de Maio num momento de grande complexidade no País e no Mundo. A actual situação de pandemia inspira cuidados a todos, mas atinge de forma particular os trabalhadores.

São os trabalhadores que estão na linha da frente deste combate, assegurando os serviços de saúde e todos os serviços públicos e sociais, a produção e distribuição de bens e serviços essenciais, entre outras funções . Sem os trabalhadores nada funcional!

São também eles os mais afectados por respostas políticas  desequilibradas  e medidas que não têm em conta a garantia dos postos de trabalho e a totalidade dos salários, quando para as empresas se multiplicam as medidas e até se abrem portas para explorar mais os trabalhadores.

Depois de anos a fio de políticas de desinvestimento nos serviços públicos, de aprofundamento de um modelo de baixos salários, precariedade e ataque aos direitos dos trabalhadores por sucessivos governos do PS, PSD e CDS, as condições que existem para responder ao problema sanitário bem como à situação económica são mais frágeis.

As reivindicações da CGTP-IN assumem neste quadro, uma maior dimensão: urgência de revitalização do aparelho produtivo, investimento nos serviços públicos e funções sociais do Estado, combate e erradicação da precariedade e necessidade urgente de aumento geral dos salários. Só por via do cumprimento destas exigências é possível garantir a soberania do país e a saúde, os direitos, o emprego e salários dignos para todos os trabalhadores.

NESTE 1º DE MAIO VAMOS AFIRMAR O NOSSO PROTESTO, AS NOSSAS REIVINDICAÇÕES, A NOSSA LUTA!

PELOS DIREITOS, PELO EMPREGO, SALÁRIOS E SAÚDE!

  • condições de saúde segurança e higiene que protejam e salvaguardem os trabalhadores!

  • não podem ser os trabalhadores a pagar a factura desta situação!

  • medidas de efectiva e total protecção aos trabalhadores e às famílias!

  • garantir a manutenção de todos os postos de trabalho independentemente do vínculo!

  • garantir a totalidade dos salários dos trabalhadores!

  • a Constituição da República Portuguesa e os direitos são para cumprir!

CONTRA A EXPLORAÇÃO, PELA VALORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES,

POR UM PORTUGAL COM FUTURO.

 

CGTP-IN /SNTCT

 

 

25 de Abril, sempre!

TRAZ ABRIL PARA A RUA, À JANELA!

No dia 25 de Abril, às 15H00, traz Abril para a Rua, à tua janela, cantando a Grândola e o Hino.

SNTCT –  A Força de continuarmos juntos!

 

GUIA CGTP-IN – COMO COMBATER COM DIREITOS O COVID-19

SIM, É POSSIVEL COMBATER, COM DIREITOS, O COVID-19.

A CGTP-IN elaborou um guia que, com toda a clareza, informa os trabalhadores sobre como combater, com direitos e sem prescindirem deles, o COVID-19.

Clica no link abaixo para abrires o guia na versão PDF

» » »  GuiaCOVID19

 

UMA PÁSCOA O MELHOR POSSÍVEL PARA TODOS, MENOS PARA OS VAMPIROS DESTE PAÍS E DESTE MUNDO.

Estamos na Páscoa.

Independentemente das crenças de cada um(a) esta é habitualmente uma época de reencontro, de partilha, de amizade, de amor, do aconchego familiar.

Assim seria não nos tivesse trazido este Ano de 2020 uma Páscoa atípica e repleta de tristezas, medos, desconforto, solidão, dor, saudade, perdas e até algum desnorteio.

Nos hospitais e nas ruas, muitos em esforço quase sobre-humano, temos os Homens e as Mulheres das diversas áreas ligadas à saúde, à protecção e segurança da vida humana.

Médicos, Enfermeiros, Paramédicos, Auxiliares de Enfermagem, Auxiliares de Acção Médica, Bombeiros, Polícia e GNR, tudo fazem para salvarem e proteger aqueles que, por via do COVID-19 ou de qualquer outra circunstância, deles necessitam.

Além deles estão ainda os outros profissionais que, tal como eles, têm que continuar de pé mesmo que o Mundo fique de “pernas para o ar”; os trabalhadores dos outros Serviços Públicos Essenciais.

É assim que, entre tantos outros, estão os trabalhadores dos transportes, das comunicações, do sector alimentar, energia, águas e saneamento … e tantos outros que todos sabemos estarem a expor-se, na situação presente, a um risco superior de contágio e até de perderem a própria vida para servirem, para ajudarem, para alimentarem, para salvarem.

Entre eles permitam-nos destacar os Homens e as Mulheres das Comunicações, todas e todos que trabalham nos Correios, Telecomunicações e Actividades afins, o nosso sector de actividade.

Entre eles uma referência e uma saudação muito especial aos Carteiros e aos Distribuidores, aos trabalhadores das Estações de Correio, aos Trabalhadores do Tratamento e Transporte de Correio e Logística Postal, aos técnicos de manutenção e reparação de avarias e dos balcões e call centers dos operadores de Telecomunicações… todos eles a trabalharem para assegurarem o direito à comunicação deste Povo e ao seu contacto com o resto do Planeta.

Mas, além de todos estes Homens e Mulheres que até aqui temos referido e aos quais temos que agradecer serem o suporte da manutenção e da qualidade das nossas vidas, existem ainda todas as Trabalhadoras e todos os Trabalhadores de todos os outros Sectores de Actividade, aqueles não considerados como Serviços Públicos Essenciais.

Falamos aqui de Trabalhadoras e de Trabalhadores, dos Serviços Públicos Essenciais ou não, que, para sobreviverem e alimentarem as suas famílias têm que vender a força do seu trabalho braçal ou intelectual, aqueles que exercendo uma miríade de actividades, são o “sal” da vida deste País.

NÃO PODEMOS, COMO É ÓBVIO, DEIXARMOS DE AQUI REFERIR OS MILHARES DE TRABALHADORAS E DE TRABALHADORES QUE, NAS ÚLTIMAS TRÊS SEMANAS, TÊM VISTO O SEU SALÁRIO REDUZIDO A 2/3 OU, PIOR, TÊM VINDO A SER DESCARTADOS, LEIA-SE IGNOBILMENTE DESPEDIDOS.

DESPEDIDOS POR AQUELES QUE, ACUMULANDO RIQUEZA À CUSTA DO SEU SUOR, À CUSTA DOS SALÁRIOS MISERÁVEIS QUE LHES PAGAM E COM A CONIVÊNCIA E AMÉM DO PODER POLÍTICO INSTITUÍDO – EM BELÉM E EM SÃO BENTO – SÃO OS VAMPIROS DE QUEM ZECA AFONSO DIZIA CANTANDO, “ELES COMEM TUDO … E NÃO DEIXAM NADA…”.

A todas as Trabalhadoras e a todos os Trabalhadores Portugueses, uma Páscoa o melhor possível.

A todas as Trabalhadoras e a todos os Trabalhadores Portugueses descartados pelos vampiros, pelo capital sem rosto e todo o tipo de idênticos escroques.

Para essas Trabalhadoras e para esses Trabalhadores que hoje não sabem como colocar amanhã, na mesa lá de casa, a comida para os seus filhos, a nossa total e incondicional solidariedade.

Aos vampiros só podemos desejar que vão arder, lá bem no quinto dos infernos, conjuntamente com o dinheiro que sugaram aos seus Trabalhadores e às suas Trabalhadoras.

Aos vampiros, uma última nota… aqui vos deixamos a certeza de que, tal como o “Coelhinho da Páscoa”, as nossas “pilhas” nao se esgotam e, acreditem, não vos daremos tréguas na nossa luta.

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

A Direcção Nacional do SNTCT

 

1 2 3 9