Comunicado 2014_0

ip0001931 ip0001932
9,450 EUROS POR MÊS
UMA PEQUENA IMPORTÂNCIA PARA A DHL PORTUGAL
MAS UMA GRANDE DIFERENÇA PARA BOLSO
DOS MOTORISTAS DA DHL EM PORTUGAL

A UNI Europa Postal & Logística exige da gestão da DHL Portugal o imediato reconhecimento do SNTCT como sindicato representativo dos trabalhadores da empresa e o início negociações com o mesmo.
Um motorista/courier da DHL Express Portugal ganha entre 600 e 700 Euros por mês. Não muito e menos se torna se tivermos em atenção que o trabalho extraordinário não é pago adicionalmente de acordo com a Lei portuguesa, mas encarado como um “presente voluntário”, em benefício próprio, pela empresa.
Agora, a empresa decidiu retirar 210 Euros – que foram pagos durante anos, originalmente como um incentivo – mas que para os trabalhadores eram parte integrante do seu salário, o mesmo salário que necessitam para poderem alimentar as suas famílias e pagarem assuas contas.
POR QUÊ? Porque a DHL Portugal quer forçar os motoristas/couriers DHL Express a assinarem “novos” contratos de trabalho que incluem menores condições de trabalho e superiores tempos de trabalho.
55 Motoristas/couriers (14 no Porto e 41 em Lisboa) rejeitaram essa assinatura deste “novo” contrato de trabalho, no que são apoiados pelo seu sindicato, o SNTCT, sindicato português que representa maioritariamente os trabalhadores da DHL Portugal.
Para os trabalhadores DHL Express no Porto isso significa uma redução de 35% de salários desde há 15 meses. Para a DHL Portugal isso significa uma economia de custos de 9,450 Euros por mês e significa também uma discriminação permanente na empresa. “Se você quiser receber o trabalho extraordinário ou o bónus especial, é melhor você assinar o “novo” contrato de trabalho”, disse um motorista DHL Express no Porto.
O SNTCT quer iniciar negociações com a DHL Portugal para um acordo coletivo próprio, um Acordo de Empresa, com um esquema de salários e condições sociais que reflictam a situação na DHL Express, um salário mensal com que os motoristas possam viver e com boas condições de trabalho. “Em Portugal temos um bom acordo coletivo, um Acordo de Empresa, com a DHL Aviação. Por isso, seguindo o slogan da empresa “Uma DHL”, convidamos a Deutsche Post / DHL a iniciar negociações com o SNTCT com vista às necessárias adaptações que permitam a extensão desse Acordo de Empresa a toda a DHL”, disse José Oliveira do SNTCT.
Para UNI Europa Postal & Logística é inaceitável que a Deutsche Post / DHL se recuse a iniciar a negociação coletiva com o SNTCT. “Nós vamos apoiar o nosso Sindicato, o SNTCT, na sua luta com a Deutsche Post / DHL e estamos preparados para a tática habitual da empresa envolvendo “sindicatos amigáveis”, ou outros argumentos enquanto a DHL não falar com os legítimos representantes dos trabalhadores, o SNTCT em Portugal”, disse Cornelia Broos, responsável pela UNI Europa Postal & Logística.
A UNI e a ITF vão levantar a situação da DHL Portugal na próxima reunião com a direcção central da Deutsche Post / DHL que decorre durante o Mês de Maio e na próxima reunião do Comité Europeu de Empresa que terá lugar em Junho, na cidade de Praga. “A política de lucro da empresa Deutsche Post / DHL, à custa dos 9,450 Euros retirados aos trabalhadores não pode ser mais forte que os seus 14 trabalhadores dos Porto (e 41 em Lisboa) que necessitam pagar as suas contas e alimentarem os seus filhos – isso não é aceitável para qualquer sindicato no mundo e vamos ativar a afirmou Cornelia Broos a finalizar.solidariedade internacional como fim de obtermos apoio para a luta na DHL Portugal”,

 

1 3 4 5