COMUNICADO SNTCT RANDSTAD 4-2020

REUNIÃO SOBRE TRANSMISSÃO DE ESTABELECIMENTO PARA A INTELCIA!

Abre aqui o comunicado em versão PDF » » » 2020_4 Randstad

Dia 2 de novembro a RANDSTAD enviou um mail a convidar o SNTCT a participar numa reunião por teleconferência, tendo como ordem de trabalhos “Comunicação RANDSTAD”.

Reunião que se realizou dia 3 de novembro, na qual para além do SNTCT que participou com dois Dirigentes, esteve ainda a RANDSTAD, promotora da reunião, com dois representantes e a Intelcia com três.

A reunião foi iniciada por uma das representantes da RANDSTAD, com responsabilidades nas operações e nos Recursos Humanos, que começou por dizer, que a exemplo de outras zonas do País, por decisão da Altice, a Intelcia (empresa de Outsourcing do grupo Altice) assumirá todos os serviços.

Por acordo entre a RANDSTAD e a Altice irão dar início à transmissão de estabelecimento de todos os activos da RANDSTAD na Intelcia, já a partir de 1 de Dezembro. Foi dito que esta reunião era de cariz informativo, e que neste mesmo dia tinham havido reuniões com os responsáveis de equipas e chefias da empresa, para os colocar a par deste assunto, e que os trabalhadores irão começar a ser todos informados.

A representante da Randstad disse a participação do SNTCT nesta reunião era importante e que iria brevemente enviar-nos toda a documente escrita.

A Representante da Intelcia, com responsabilidades nos Recursos Humanos, interveio no sentido de afirmar, que a exemplo do que tem sucedido no resto do País, esperam que este processo corra com normalidade. Que aos trabalhadores serão assegurados os vencimentos e a antiguidade, e que irão também receber um plano de saúde.

O SNTCT, disse que iria aguardar a informação escrita do processo de TRANSMISSÃO DE ESTABELECIMENTO, e perguntou se o plano de saúde seria comparado a algum dos existentes na Altice?

A Responsável da Intelcia disse que não, mas que era mais uma vantagem que a empresa iria atribuir.

 

Este processo está já em fase de finalização, a exemplo do que já sucedeu noutras zonas do país.

 

O Facto de passarem a ser trabalhadores com vínculo à Intelcia, não será muito diferente da situação actual. Ser trabalhador da Randstad II ou da Intelcia, continuarão na mesma forma a ser trabalhadores em Outsourcing, apenas passarão a trabalhar numa empresa do Grupo Altice. No entanto não serão trabalhadores da Altice, ao contrário do que era a sua reivindicação. Continuarão a não ter acesso aos direitos do ACT/PT, a não ter direito aos mesmos vencimentos, às mesmas carreiras, entre outros.

A Atribuição de um plano de saúde, para quem apenas têm a Segurança Social, poderá ser vantajoso, falta conhecer quais os benefícios abrangidos.

As condições de trabalho, dos locais de trabalho, ou agora nesta fase que estão em teletrabalho, a suportar os custos com internet, electricidade entre outros irão sofrer alterações e melhorias?

Serão negociados/aplicados aumentos salariais em 2020 e 2021?

A reivindicação dos trabalhadores em serem integrados na Empresa/operador, como é que vai ficar? É que ser trabalhador da Intelcia pouco ou nada acrescenta.

 

A LUTA CONTINUA!

 

www.sntct.ptwww.facebook.com/sntct

 

            SINDICALIZA-TE NO SNTCT           

 

sntcta força de continuarmos juntos!

 

FALECEU KALIDÁS BARRETO

FALECEU KALIDÁS BARRETO

Foi com profundo pesar que a Direcção Nacional do SNTCT tomou conhecimento, através de nota da CGTP-IN (ver texto abaixo), da morte de Kalidás Barreto.

Enviámos já à família de Kalidás Barreto as nossas mais sentidas condolências.

A Direcção Nacional do SNTCT

“É com profundo pesar que a CGTP-IN toma conhecimento do falecimento de Kalidás Barreto.

Luís Maria Kalidás da Costa Barreto- Nasceu em Montemor-o-Novo a 16 de Outubro de 1932.

Contabilista de profissão, exercida no sector têxtil, em Castanheira de Pera, onde, em 1958, integrou a comissão de apoio à candidatura de Humberto Delgado à Presidência da República.

Foi dirigente do Sindicato dos Têxteis do Centro e, nessa qualidade, participou numa reunião da Intersindical, realizada em Leiria, antes do 25 de Abril. Foi também dirigente nacional da Federação dos Sindicatos Têxteis.

Foi eleito Deputado pelo PS à Assembleia Constituinte, em 1975,

Foi eleito, sucessivamente, para o Conselho Nacional e a Comissão Executiva da CGTP – IN, entre 1977 e 1996.

Membro do 1.º Conselho Permanente de Concertação Social

Mais tarde veio a ser Provedor do INATEL.

É autor de várias publicações entre as quais: Subsídios para a História do Movimento Operário em Castanheira de Pera, 1982; A Organização Profissional dos Trabalhadores Têxteis de Leira.

Acérrimo defensor da unidade dos trabalhadores, contra o divisionismo sindical, teve um importante papel na realização do Congresso de Todos os Sindicatos realizado em Janeiro de 1977, no qual lhe coube a primeira intervenção em defesa da unidade sindical, consubstanciada na CGTP-Intersindical Nacional.

Kalidás Barreto foi um activo sindicalista, desde a primeira hora, no processo de fundação da Intersindical a sua morte constitui uma perda assinalável que muito se lamenta.

Neste momento de luto e de perda para o Movimento Sindical, a CGTP-IN envia à sua família, aos amigos e camaradas as mais sentidas condolências.

Tendo em conta as restrições existentes, que não permitem a presença de todos quantos gostariam de prestar uma última homenagem a Kalidás Barreto, informamos, que poderão enviar mensagens de condolências para o seguinte email: pedrokalidas@gmail.com “

COMUNICADO SNTCT RANDSTAD 3-2020

RANDSTAD

RECUSA NEGOCIAR AUMENTOS SALARIAIS!  

O SNTCT enviou em Fevereiro à administração da RANDSTAD, uma proposta de aumento salariais para 2020, com a devida fundamentação económica.

A proposta apresentada, apenas se referia a aumentos salariais de 90 euros para todos os trabalhadores da RANDSTAD no sector das Comunicações e Telecomunicações.

 Abre aqui o comunicado em PDF » » » 2020_3 COM_ RANDSTAD 2020_3 RANDSTAD

O SNTCT, no dia 20 de Fevereiro, enviou por carta registada com aviso de recepção uma proposta de aumentos solarias para 2020.

No início de Março, surge o Surto de Covid-19, que passa então pelos diversos estados decretados pelo Governo/DGS. A administração da RANDSTAD, decide declarar o Lay-off em alguns serviços e departamentos, e colocar a grande maioria dos restantes trabalhadores em teletrabalho.

Em 20 Junho, com o aliviar das restrições e com o País a retomar a normalidade possível, e não tendo chegado nenhuma resposta ou contraproposta ao Sindicato, decidimos solicitar a mediação de conflitos de trabalho à DGERT – MTSSS (Ministério do trabalho).

A DGERT, marcou a reunião para 7 de Setembro, à qual compareceu o SNTCT e uma representante da Empresa, que começou por dizer que na Empresa receberam a convocação da DGERT com admiração, pois não tinham recebido a proposta do Sindicato.

Situação que logo foi desmentida pelo sindicato, apresentando ao mediador a cópia do ofício e a prova de entrega do registo assinada. A representante da empresa justifica então que estando toda a empresa em Teletrabalho, deverá ter sido recebido por um porteiro que não a fez chegar á administração, justificação forçada e estranha, já estavam em teletrabalho antes do Surto!

O SNTCT entregou então em mão cópia da proposta, afirmando a representante da Empresa que teriam de estudar a mesma e responder depois, questionando se da parte do SNTCT haveria disponibilidade para continuarmos a discutir este assunto numa reunião bilateral só com a RANDSTAD, ao qual afirmamos a nossa disponibilidade.

Ficou então agendada a reunião através de Videoconferência para dia 18 de Setembro, que por motivos técnicos o SNTCT não teve condições, tendo sido remarcada então nova reunião para o dia 25 de Setembro.

Nessa reunião por videoconferência esteve presente o SNTCT e duas representantes da RANDSTAD, uma responsável pelos serviços Jurídicos e outra com responsabilidade nos recursos humanos e nas operações, que afirmaram ter analisado a proposta do Sindicato mas que a situação do País, agravada pelo Covid, não iria permitir que a RANDSTAD procedesse a aumentos salariais e que a preocupação neste momento era a manutenção dos postos de trabalho. O Sindicato afirmou então que não havendo abertura negocial da Randstad, iria solicitar novamente à DGERT a reabertura do processo.

 

No dia útil seguinte, (28 de Setembro) demos conhecimento por ofício à RANDSTAD e solicitámos à DGERT a reabertura do processo.

A DGERT agendou a reunião para dia 8 Outubro, onde para além do mediador da DGERT, estiveram presentes o SNTCT e a RANDSTAD.

O SNTCT iniciou a reunião e fez um ressumo da reunião bilateral, explicou que a RANDSTAD não tinha dado abertura negocial, esse o motivo que nos levou a solicitar nova reunião de mediação.

O mediador, perguntou às representantes da empresa se não tinham nada a acrescentar, tendo recebido como resposta, que reafirmavam que a sua preocupação são os postos de trabalho.

O Sindicato ainda questionou se em relação aos trabalhadores que estão em teletrabalho, a suportar os custos da Internet, da electricidade e outros para poderem trabalhar, se a RANDSTAD não estaria disponível para procurar uma compensação dos mesmos.

A empresa respondeu que não, os trabalhadores já estão a ganhar pois não têm custos com transportes para o local de trabalho e têm o desconto normal das operadoras e poderiam procurar junto destas se conseguiriam um desconto maior.

AS REUNIÕES COM A RANDSTAD, NESTE PROCESSO “AUMENTOS SALARIAIS 2020” CHEGARAM AO FIM, CABE AGORA A PALAVRA AOS TRABALHADORES.

QUANDO A RANDSTAD E AS OPERADORAS, MESMO NESTA ÉPOCA DE PANDEMIA, CONTINUARAM A AUMENTAR OS LUCROS, AS VENDAS, QUANDO COLOCANDO OS TRABALHADORES EM TELETRABALHO, POUPAM NA MANUTENÇÃO, NA CONSERVAÇÃO, NA LIMPEZA, NA DISINFESTAÇÃO, NA ELECTRICIDADE E NA ÁGUA, CONTINUAM A “CHORAR” E A AFIRMAR NÃO TER CONDIÇÕES PARA AUMENTAR SALÁRIOS.

  • AUMENTOS SALARIAIS, JÁ!
  • MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO
  • INTEGRAÇÃO NAS EMPRESAS/OPERADORES

QUANDO MAIS QUE NUNCA, SE TORNA VISIVÉL A NESSECIDADE QUE OS OPERADORES TÊM DO SERVIÇO PRESTADO NOS CALL CENTERS, EM BACK OFFICE OU FRONT OFFICE, NAS LOJAS, MAIS QUE NUNCA SE TORNA JUSTA A REINVINDICAÇÃO DE SEREM TRABALHADORES DAS EMPRESAS/OPERADORES E NÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS OU DE ALUGER DE MÃO DE OBRA.

IREMOS CONSULTAR OS SÓCIOS E OS TRABALHADORES, SEJA OS QUE ESTÃO EM TELETRABALHO (PELOS MEIOS INFORMÁTICOS), SEJA OS QUE ESTÃO NOS LOCAIS DE TRABALHO.

 

O CAMINHO É A LUTA

 

www.sntct.ptwww.facebook.com/sntct

 

            SINDICALIZA-TE NO SNTCT           

sntcta força de continuarmos juntos!

 

ALTICE – COMUNICADO CONJUNTO DE 1 DE OUTUBRO DE 2020

NEGOCIAÇÃO DO ACT ALTICE PORTUGAL

PROCESSO DEVERÁ SER RETOMADO EM OUTUBRO

SEM AUMENTOS SALARIAIS NÃO HÁ ACORDO!

ABRE AQUI O COMUNICADO EM VERSÃO pdf: COMUNICADO CONJUNTO ALTICE 1 OUTUBRO 2020

No seguimento do compromisso assumido e depois deste interregno, o processo negocial deverá ser retomado durante o mês de Outubro.

Para que não restem dúvidas a Frente Sindical volta a reafirmar que todas a suas propostas entregues à empresa durante o processo negocial e que têm sido comunicadas aos trabalhadores, se mantêm sem alteração.

Reafirmamos, também que não abdicamos de aumentos salariais para todos!

Para a Frente Sindical os compromissos que tinham sido assumidos pela gestão, nomeadamente a atribuição de um valor pecuniário a todos, referente ao ano de 2019, terão que ser cumpridos. Não aceitamos recuos. Há um ditado popular que diz “palavra dada é palavra honrada”, esta tem que ser a prática de todos, incluindo da gestão da Altice.

A Altice não pode ter dois discursos distintos, um para a comunicação social, no qual parece que é tudo um mar de rosas (investimento, patrocínios, compra de acções, etc.) e outro discurso para dentro da empresa, no qual as dificuldades são muitas e que os efeitos da COVID são um entrave às reivindicações dos trabalhadores.

Os trabalhadores são o motor das empresas do grupo Altice Portugal e como tal não podem, mais uma vez, deixar de ter o reconhecimento e a valorização através do aumento real do salários e melhores condições laborais.

Para a Frente Sindical é ponto de honra que a Avaliação de Desempenho implique evolução profissional em termos concretos. Não podemos permitir que cerca 80% dos trabalhadores não tenham qualquer movimento de progressão ou de promoção pelo menos há 10 anos, se analisarmos nos últimos 7 anos o número pouco baixa.

 

RETIRADA DE ALTICE EUROPA DO MERCADO DE CAPITAIS (HOLANDA)

UM NEGÓCIO DE MUITOS MILHÕES PARA OS BOLSOS DO PATRÃO

Através da Comunicação Social, tivemos conhecimento que o Sr. Patrick Drahi está empenhado em lançar uma operação financeira, que envolve mais de 2,5 mil milhões de euros, de modo a retirar as ações da Altice Europa (dona da Altice Portugal) da Bolsa de Amesterdão. Esta operação teve logo o apoio público do CEO da Altice Portugal. Este tipo de operações visam unicamente encher os bolsos dos accionistas maioritários, pois ficam com o controlo total das empresas e com mãos livres para, à custa da “sangria” dos ativos (venda de património, distribuição de dividendos, etc.) e do esmagamento dos custos do factor trabalho, pagar estes financiamentos com o chamado “pêlo do cão”. Lembram-se das vendas de Zeinal Bava (Marrocos, Macau, Brasil – VIVO). Lembram-se do que nos aconteceu! Nós não esquecemos. Será que estamos no mesmo caminho? Responda quem souber…

Claro que este tipo de negociatas, não trás vantagem para os trabalhadores, nem para as empresas, mas enriquece ainda mais os homens de mão. Segundo um estudo do Bank of América publicado em Junho o director-geral da Altice Europa, Alain Weill é o chefe de telecomunicações mais bem pago de França e o 2º mais bem pago da Europa. Como será na COMEX da Altice Portugal?

A Frente Sindical tem de combater estas estratégias de concentração da riqueza produzida. Não podemos aceitar que haja dinheiro (milhões) para os “patrões” e migalhas ou “peva” para quem trabalha.

PACOTE DE COMUNICAÇÕES PARA OS TRABALHADORES DO ATIVO DAS EMPRESAS DA ALTICE PORTUGAL

OUTRA VEZ A POLÍTICA DO FACTO CONSUMADO

Recentemente foram anunciadas algumas alterações para o pacote de comunicações dos trabalhadores com efeitos na fatura de Setembro (paga em Outubro). Algumas sugestões da Frente Sindical foram aceites, mas a maior parte delas não foi.

Para os trabalhadores que ganham até 15.000 euros de Total Pecuniário Anual houve uma redução 5 euros por mês excepto no 3P que foi de 4 euros.

Para quem tem cartões móveis adicionais (M4O e M5O) desconto de 50%. Fica cada, até ao máximo de 4 (até 2 são gratuitos) a 6.95 por mês.

Atribuição de um telemóvel ou de um “voucher” de 300 euros (podendo ser substituído ao fim de 36 meses) a todos os trabalhadores que não tinham telemóvel de serviço.

No dia 22 de Julho, a Proposta global que a Frente Sindical apresentou, tem incluída uma proposta concreta sobre o “pacote comunicações”, a MEO nem sequer respondeu a agora divulga uma decisão sem discutir com os Sindicatos.

Isto não é negociar, é a prática continuada da política do facto consumado, como se a Gestão da MEO fosse dona e senhora do processo negocial. Assim não vamos lá.

A Frente Sindical vai continuar a tentar melhorar as condições, reivindicando o alargamento do desconto mensal dos 5 euros para todos os trabalhadores e o desconto nos telemóveis adicionais para os trabalhadores em contrato de suspensos, pré-reforma ou na reforma/aposentação (é preciso evitar que mudem os cartões móveis adicionais para a concorrência).

 

A FRENTE SINDICAL EXIGE UM PROCESSO NEGOCIAL SÉRIO

NÃO ACEITAMOS IMPOSIÇÕES. ATRÁS DE TEMPOS, TEMPOS VEÊM.

1 de Outubro de 2020

SINTTAV – STPT – SNTCT – STT – SINQUADROS – FE

 

VÍDEO 50 ANOS CGTP-IN

1970 – 1 DE OUTUBRO – 2020

50 ANOS CGTP-IN

50 ANOS DE ACÇÃO E LUTA POR UM PORTUGAL COM FUTURO.

VIVA A CGTP-IN.

SNTCT – A FORÇA DE CONTINUARMOS JUNTOS!

CGTP-IN – 50 ANOS

50 ANOS CGTP

COMPLETAM-SE HOJE SOBRE O DIA EM QUE FOI FUNDADA A NOSSA CGTP-IN, A CONFEDERAÇÃO GERAL DOS TRABALHADORES PORTUGUESES – INTERSINDICAL NACIONAL.

A Direcção Nacional do SNTCT saúda todos os Homens e todas as Mulheres que deram e vão continuar a dar corpo a este projecto imprescindível aos Trabalhadores e às Trabalhadoras Portugueses mas, também e há que não o esquecer, ao País.

CGTP-IN – UNIDADE SINDICAL!

SNTCT – A FORÇA DE CONTINUARMOS JUNTOS!

ASSEMBLEIA GERAL SNTCT – INQUÉRITO PRÉVIO OBRIGATÓRIO A TODOS(AS) OS(AS) PARTICIPANTES

ASSEMBLEIA GERAL DO SNTCT

MEDIDAS DE CONTENÇÃO DO COVID

ABRE AQUI O INQUÉRITO PARA IMPRESSÃO » » »QUESTIONÁRIO SNTCT PARA UACS
Camaradas,
Devido às medidas de contenção do contágio pelo COVID-19, a realização da nossa Assembleia Geral do SNTCT (e também da Assembleia Geral de Aposentados do SNTCT) devem obedecer a algumas regras tais como:
  • Uso obrigatório de máscara durante a realização da Assembleia (devendo cada participante trazer a sua embora, como medida de salvaguarda para eventual esquecimento, vamos disponibilizar algumas máscaras descartáveis);
  • Medidas de distanciamento obrigatório entre participantes;
  • Higienização de instalações e materiais.
Uma das medidas incluída no Plano de Contingência da UACS, em cujas instalações vão ser realizadas as nossas Assembleias Gerais no próximo dia 19 de Setembro, vamos ter que preencher e entregar antecipadamente o questionário anexo que, devidamente preenchido, nos deve chegar, sem falta, até ao final do dia 17 de Setembro, por uma das seguintes vias:
  • Entregue em mão nas instalações do SNTCT ou a um Dirigente;
  • Entregue por E-mail ( sntct@sntct.pt );
  • Remetido pelo correio para a Sede do SNTCT (Alameda D. Afonso Henriques, 41-r/c – 1000-123 Lisboa). Neste caso TER EM ATENÇÃO O TEMPO NECESSÁRIO À SUA CHEGADA.
Para qualquer esclarecimento adicional devem os(as) camaradas contactar-nos através do telefone da Sede – 21 842 89 00.
SNTCT – A força de continuarmos juntos!

 

COMUNICADO DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL 3-2020

ASSEMBLEIA GERAL DE APOSENTADOS DO SNTCT

19 de Setembro de 2020

em

Lisboa

CONVOCATÓRIA

Abre aqui o comunicado em versão PDF » » » 2020-03 ASSEMBLEIA GERAL APOSENTADOS DO SNTCT

Nos termos do Artigo 72.º dos Estatutos do SNTCT, publicados no BTE, 1.ª S, nº 4 de 29 de Janeiro de 2007 e das alterações introduzidas e publicadas no BTE, 1ª Série, nº 21 de 8 de Junho de 2015 bem como dos regulamentos que lhe são anexos, convoco os associados aposentados do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações a reunir em Assembleia Geral de Aposentados, em primeira convocatória, no dia 19 de Setembro de 2020, pelas 14 horas, na R. Castilho 14, em Lisboa, com a seguinte ordem de trabalhos:

 

  1. Discussão e deliberação sobre o Relatório de Actividades da Comissão Nacional de Aposentados do SNTCT de 2019;
  2. Discussão e deliberação sobre o Plano de Actividades da Comissão Nacional de Aposentados do SNTCT para 2020;

 

Não estando presentes a maioria legal dos associados à hora indicada, ficam os associados convocados a reunir em Assembleia Geral meia hora depois, em segunda e última convocatória, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, funcionando a Assembleia Geral com qualquer número de associados presentes.

Nota: A Assembleia Geral realiza-se nesta data por via da Pandemia provocada pelo vírus Covid-19. Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

Lisboa, 19 de Agosto de 2020

                     O Presidente

                                                              da Mesa da Assembleia Geral do SNTCT

                                                                        António José Gouveia Duarte da UACS

  1. Castilho 14,

em Lisboa

 

PARTICIPA!

Iremos organizar transportes em autocarro de aluguer (de que comparticiparemos 80% do custo) a partir das diversas regiões onde o número de interessados o justifique. As Secções Regionais do SNTCT abrirão antecipadamente as inscrições para o efeito.

Atenção: Onde pelo número de inscritos não se justificar o aluguer de um autocarro qualquer outro tipo de comparticipação nas despesas de deslocação será analisada caso a caso mas, sempre, tratado antecipadamente sem o que não haverá comparticipação.

ATENÇÃO – MUITO IMPORTANTE

MEDIDAS PROTECÇÃO COVID-19

Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia Covid-19 os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

 

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

www.sntct.pt

www.facebook.com/sntctwww.instagram.com/sntct7 –  https://twitter.com/SNTCT

COMUNICADO MESA DA ASSEMBLEIA GERAL – 2-2020

ASSEMBLEIA GERAL DO SNTCT

19 de Setembro de 2020

em

Lisboa

 

CONVOCATÓRIA

Abre aqui o comunicado em formato PDF » » » 2020_02 SNTCT MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

Nos termos dos Artigos 54.º, 55.º alínea J, 56.º Ponto 1.º, 57.º e 58.º dos Estatutos do SNTCT, publicados no BTE, 1.ª S, nº 4 de 29 de Janeiro de 2007 e das alterações introduzidas e publicadas no BTE, 1ª Série, nº 21 de 8 de Junho de 2015, bem como do Regulamento da Assembleia Geral que lhe é anexo, convoco os associados do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações a reunir em Assembleia Geral, em primeira convocatória, no dia 19 de Setembro de 2020, pelas 14 horas, no Auditório da UACS, R. Castilho 14, em Lisboa, com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Discussão e deliberação sobre o Relatório de Actividades e as Contas de 2019;
  2. Discussão e deliberação sobre o Plano de Actividades e o Orçamento para 2020;

Não estando presentes a maioria legal dos associados à hora indicada, ficam os associados convocados a reunir em Assembleia Geral meia hora depois, em segunda e última convocatória, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, funcionando a Assembleia Geral com qualquer número de associados presentes.

Nota: A Assembleia Geral realiza-se nesta data por via da Pandemia provocada pelo vírus Covid-19. Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

Lisboa, 19 de Agosto de 2020

 

O Presidente

  da Mesa da Assembleia Geral do SNTCT

António José Gouveia Duarte

 

Auditório da UACS

  1. Castilho 14,

em Lisboa

PARTICIPA!

Iremos organizar transportes em autocarro de aluguer (de que comparticiparemos 80% do custo) a partir das diversas regiões onde o número de interessados o justifique. As Secções Regionais do SNTCT abrirão antecipadamente as inscrições para o efeito.

Atenção: Onde pelo número de inscritos não se justificar o aluguer de um autocarro qualquer outro tipo de comparticipação nas despesas de deslocação será analisada caso a caso mas, sempre, tratado antecipadamente sem o que não haverá comparticipação.

ATENÇÃO – MUITO IMPORTANTE

MEDIDAS PROTECÇÃO COVID-19

Devido à necessidade de observarmos todas as medidas de protecção definidas durante a Pandemia Covid-19 os associados que participarem nesta Assembleia devem vir munidos de máscara de protecção e, respeitarem rigorosamente a organização de lugares pré-estabelecida na sala onde a mesma tem lugar.

 

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

www.sntct.pt

www.facebook.com/sntctwww.instagram.com/sntct7 –  https://twitter.com/SNTCT 

COMUNICADO CONJUNTO SINDICATOS ALTICE PORTUGAL – 5 AGOSTO 2020

NEGOCIAÇÃO DO ACT ALTICE PORTUGAL

PROCESSO SERÁ RETOMADO EM SETEMBRO/OUTUBRO

A FRENTE SINDICAL NÃO CEDE A CHANTAGENS
SEM AUMENTOS SALARIAIS NÃO HÁ ACORDO

1º SEMESTRE DE 2020 COM “DESEMPENHO OPERACIONAL EXCEPCIONAL”
SÓ PARA OS ACCIONISTAS?

 

Abre aqui o comunicado em formato PDF » » » Comunicado_NEGOCIAÇÃO DO ACT ALTICE PORTUGAL_05 de Agosto

Na reunião do passado dia 30 de Julho deu-se mais um pequeno passo para a obtenção de um acordo que vá ao encontro das necessidades e espectativas dos trabalhadores das empresas da Altice Portugal abrangidas pelo ACT.

Mas o que já foi consensualizado está ainda muito longe do necessário para um acordo.

SALÁRIOS
Salário mínimo dos trabalhadores que se encontram ao serviço para 740 euros com efeitos a 1/7. Quem ganha menos fica com base de 740 euros (cerca de 225 trabalhadores abrangidos). A Frente Sindical propôs o valor mínimo de 760€ e qualquer aumento deverá ter efeitos retroactivos a 1 de Janeiro, compromisso, alias, que já sido assumido pela empresa em Fevereiro.

EVOLUÇÃO PROFISSIONAL
A empresa assumiu mais 60 movimentos de evolução profissional para juntarem aos 150 já avançados para 2020. Estes 60 movimentos (30 de progressão e 30 de promoção) são para trabalhadores que pelo menos há 10 anos não são movimentados. Sendo positivo, esta medida é curta e muito distante da proposta de Frente Sindical se considerarmos que cerca de 70% do trabalhadores não têm evolução profissional (não são progredidos e/ou promovidos) há 7 anos ou mais.

PRÉMIO DE APOSENTAÇÃO
Acerto no prémio de aposentação. No prémio máximo a empresa aceitou a proposta da Frente Sindical de reduzir de 47 anos para 45 anos, mas ainda não aceitou alterar os valores. Aceitam manter o prémio em dobro na reforma/aposentação dos trabalhadores do activo que o façam até 31/12/2021.

PLANOS DE SAÚDE
Manutenção dos Planos de Saúde inalterados até 31/12/2021. A Frente Sindical continua a defender uma garantia até ao final de 2023.

PACOTE DE COMUNICAÇÕES
Assumiram que vai haver melhorias no pacote de Comunicações a partir de Setembro com redução de encargos para os trabalhadores. No entanto a empresa não quis avançar quais as melhorias que aceitava face à proposta feita pela Frente Sindical.

ALTERAÇÕES ACT
Nas restantes matérias mantem-se a informação do nosso comunicado anterior, com destaque para a inclusão da PT CONTACT, MEO ST e FASTFIBER no âmbito do ACT, o pagamento do Subsídio de Refeição ao fim de 3 horas de trabalho, o aumento do valor mínimo no Subsídio de Turno em 50% (de 30€ passa para 45 e de 60€ passa para 90).
Já foram aceites pela gestão 18 medidas que melhoram o ACT, que embora positivas, são apenas uma gota de água no oceano, se comparado com todos os temas mais importantes em relação aos quais ainda não há acordo e não sabemos se vai haver.

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO
Para a Frente Sindical, o tema da Avaliação do Desempenho tem que ser seriamente tratado. A Empresa tem que perceber que é necessário introduzir alterações de fundo, que tornem o Modelo credível junto dos trabalhadores, caso contrário não vale a pena continuarmos com um sistema tão descaracterizado no qual já ninguém acredita. Com esse objectivo, estamos a trabalhar na procura das alterações positivas e indispensáveis. A Frente Sindical propôs que esta matéria fizesse parte do protocolo. A gestão ainda não aceitou.

TABELA DE REMUNERAÇÕES MÍNIMAS
A Frente Sindical propôs que ficasse garantido em protocolo a constituição de um Grupo de Trabalho, integrando elementos dos Parceiros Sociais, para se ocupar da análise objectiva da Tabela de Remunerações Mínimas, abrangendo todas as suas componentes por forma a poder ser integrada na próxima revisão do ACT. A gestão ainda não aceitou.

AUMENTOS SALARIAIS PARA TODOS
A Frente Sindical não abdica de negociar o aumento salarial para todos!
Compromisso que já estava assumido e que a gestão recuou evocando este período da COVID-19 para não pagar o prémio face aos resultados de 2019 considerados “históricos” pelo CEO, nem aceitar até agora aumentos salariais generalizados para 2020.

ESCLARECEDOR
O COMEX divulgou na Comunicação Social e internamente uma informação elogiadora sobre “o desempenho operacional extraordinário no 1º semestre de 2020”, mas em relação aos que produzem a riqueza que é toda canalizada para os accionistas, que são os trabalhadores, nem uma palavra é dita, o que é esclarecedor e mostra à evidência o que representam para a gestão aqueles que trabalham duramente para os resultados
alcançados. Mas ao menos podia o COMEX já ter assumido honrar os compromissos relativos aos aumentos salariais para 2020, mas preferem o adiamento desta discussão para Outubro.

Na última sessão a empresa tentou obter um acordo, em 2 fases, primeiro obter a assinatura e mandar publicar estas 18 melhorias consensualizadas, sem aumentos salariais.

Uma segunda fase seria em Outubro para então se discutirem os aumentos salariais e não havendo acordo, que é o mais previsível, ficava-se pelo clausulado publicado.

A Frente Sindical não aceita chantagens, para nós o Acordo é global e a assinatura terá de implicar aumentos salarias para os trabalhadores.

A FRENTE SINDICAL EM OUTUBRO IRÁ DISCUTIR A SITUAÇÃO COM OS TRABALHADORES,
AUSCULTAR A SUA OPINIÃO E PROCURAR EM CONJUNTO A RESPOSTA A DAR, QUE TERÁ QUE SER À ALTURA DO QUE É HÁBITO, PORQUE OS TRABALHADORES AINDA NÃO ESQECERAM QUE QUANDO É PRECISO, RESPONDEM EM CONFORMIDADE.

TRABALHO SUPLEMENTAR, PREVENÇÃO COM INTERVENÇÃO LOCAL E CHAMADA ACIDENTAL

DRH divulgou recentemente um documento sobre “TRABALHO SUPLEMENTAR E PREVENÇÃO”, não se sabe qual o objetivo com que foi feito.

O documento além de estar incompleto é impreciso, o que leva a confusões e a interpretações erradas.

Sobre esta matéria nada mudou, mas a DRH tem que esclarecer a confusão, que criou, premeditada ou não.

Quando a DRH escreve que: “As horas de deslocação para trabalho suplementar, não são
contabilizadas no trabalho suplementar a registar”, está a gerar a confusão, porque isto não se pode aplicar à Prevenção e Chamada Acidental, cujas intervenções são pagas como trabalho suplementar.

A Frente Sindical não consegue entender a resistência da DRH a esclarecer o erro que cometeu.

Esperamos que o faça rapidamente, caso contrário, teremos que dar orientações aos trabalhadores.

Mais uma vez, os trabalhadores que não assinaram o contrato de cedência para a MEO ST,
continuam na lista negra.

Agora tocou a vez a um conjunto de trabalhadores da área Administrativa, que desde 2016 vinha recebendo o Subsídio de Turno em função dos horários praticados e no mês de Junho passado ainda receberem.

Porém, no mês de Julho tal já não lhe foi processado e a gestão nem ao menos se dignou dar-lhes uma explicação. É o caminho desta Gestão, o facto consumado, tirar o que podem a quem pouco tem, para darem o máximo a quem muito tem.

Trabalhador, olho vivo, porque há por aí muitos “APRENDIZES DE FEITICEIRO” que se julgam “MAIS PAPISTAS QUE O PAPA”.

PARA QUEM VAI, BOAS FÉRIAS, PARA QUEM VOLTA, BOM REGRESSO!

Lisboa, 5 de Agosto de 2020 Os Sindicatos subscritores

 

1 2 3 22