SNTCT propõe alteracão/redução dos Horários de Trabalho nos CDP’s e outros Serviços.

A Direcção Nacional do SNTCT enviou hoje aos CTT a seguinte mensagem

SNTCT propõe alteracão/redução dos Horários de Trabalho nos CDP’s e outros Serviços.

 

Exmo. Senhor
Dr. João Bento
CEO dos CTT

Exmo. Senhor,

Estamos a atravessar um período de gravidade extrema em que os Trabalhadores e as Trabalhadoras dos CTT, conscientes da sua missão enquanto prestadores dos Serviços Postais – um Serviços Públicos de Caracter Essencial – e das suas obrigações para com os Portugueses e o País, não deixam por isso se serem seres humanos sujeitos à infecção pelo mortífero Vírus COVID-19.

Assim, se saudamos a medida de abertura das EC’s somente entre as 09h00 e as 13h30, em que o horário dos Trabalhadores e das Trabalhadoras dos balcões é alterado para 09h00-14h00, queremos também propor que o horário dos Trabalhadores e das Trabalhadoras da Distribuição, os Carteiros, veja igualmente reduzido o seu horário de trabalho para 5 horas diárias enquanto durar o Estado de Emergência e, se tal vier infelizmente que vir a acontecer, nas renovações do mesmo.

Propomos tal redução como uma medida profilática, pois quanto menor for o período de exposição a um possível contágio, menor será o risco de infecção ou até, esperemos que tal não venha a acontecer com nenhum trabalhador da Empresa ou das suas famílias, de um desfecho pior.

Além disso, como estão encerrados todos os estabelecimentos de restauração, é impossível aos Carteiros fazerem as suas refeições bem como, com o encerramento daqueles e de outros estabelecimentos comerciais, não terem os mesmos onde satisfazerem as suas necessidades físicas básicas.

Assim, partindo do pressuposto que, na semana que amanhã começa, estarão supridas todas as necessidades de meios de protecção em todos os locais de trabalho e a todos os Trabalhadores e a todas as Trabalhadoras da Empresa CTT e dos CTT Expresso, bem como a todos os subcontratados e agenciados, propomos ainda que tais medidas de redução do horário de trabalho, evidentemente que com a manutenção de rendimentos, seja extensível também aos Trabalhadores e ás Trabalhadoras dos CPL’s e dos Transportes.

Querendo acreditar que terá Vexa. em boa conta esta nossa proposta e tudo fará para responder á mesma de forma afirmativa, no respeito pela vida e saúde de todas e todos aqueles que são o motor e maior capital da empresa CTT-Correios de Portugal, que Vexa. preside, bem como das suas respetivas famílias e, também dos cidadãos que com eles contactam, somos, com os nossos melhores cumprimentos,

A Direcção Nacional do SNTCT

CTT – NÃO TRABALHAR SEM MEIOS DE PROTECÇÃO

Porque até esta hora continuamos a aguardar que a gestão dos CTT nos diga quais as suas intenções quanto à aplicação da Resolução de Conselho de Ministros, decorrente da declaração do Estado de Emergência, o SNTCT informa seguinte:

OS SERVIÇOS POSTAIS SÃO UM SERVIÇO MPÚBLICO ESSENCIAL, TAMBÉM DE ACORDO COM A RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE MINISTROS, OS TRABALHADORES CTT VÃO TER DE TRABALHAR.


TEMOS QUE TRABALHAR MAS, DESDE OS HORÁRIOS ATÉ AOS SERVIÇOS A ASSEGURAR, O SNTCT NECESSITA SABER O QUE PRETENDE A GESTÃO DOS CTT. UMA CERTEZA TEMOS NESTE MOMENTO:

 

Nenhum trabalhador deve trabalhar sem que estejam asseguradas as medidas de proteção da sua saúde e, logo, daqueles para quem trabalham, os portugueses. assim:

1 – NENHUM TRABALHADOR CTT DEVE IR PARA A DSITRIBUIÇÃO, PARA O BALCÃO, TRATAR CORREIO NOS CPL’S, CONDUZIR VIATURAS DE SERVIÇO OU EXECUTAR QUALQUER OUTRA FUNÇÃO OU SERVIÇO DA EMPRESA SEM OS NECESSÁRIOS MEIOS DE PROTECÇÃO CONTRA A INFECÇÃO PELO VÍRUS COVID-19.

2 – Caso não estejam disponibilizados tais meios (que incluem desinfectante, luvas, máscaras, limpeza de instalações e definição de espaços mínimos entre trabalhadores), deverão pedir a intervenção do Delegado de Saúde e Delegação da ACT mais próximos, utilizando para o efeito a minuta abaixo (o texto é o mesmo para ambas as entidades), de preferência assinada por todos os trabalhadores que o entendam fazer.

___________________________________

 

PARA O DFELEGADO DE SAÚDE
Exmº/a Sr/a Delegado/a de Saúde de _______________

 

Assunto: COVID 19 – Condições de Trabalho no estabelecimentos dos CTT de ( _____INDICAR SERVIÇO______ ) sito em ( _______MORADA DO LOCAL DE TRABALHO_______ )

 

Exmºs Srs
O Delegado Sindical e/ou associados do SNTCT – Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações vêm solicitar a intervenção urgente no local de trabalho em referência, com vista a avaliar do cumprimento das regras impostas pela DGS quanto às condições mínimas para proteção contra a transmissão do Coronavirus 19.
Efetivamente, os trabalhadores estão a manifestar grande preocupação com as condições de trabalho existentes neste local, aquando da realização das suas tarefas de distribuição/atendimento/outras que implicam contacto regular e sistemático com utentes. E isto sem que lhes tenham sido distribuídos equipamentos de protecção individual suficientes e adequados ( ex. luvas, máscaras , gel desinfetante, etc) e / ou sem que tenham sido tomadas as necessárias medidas limpeza/desinfecção e de separação física dos trabalhadores entre si e com os clientes.
Com os melhores cumprimentos,
Os abaixo-assinados
(assinaturas)

___________________________________

PARA A DELEGAÇÃO DA ACT
Exmº/a Sr/a Delegado/a do Centro Local de _________ da ACT

 

Assunto: COVID 19 – Condições de Trabalho no estabelecimentos dos CTT de ( _____INDICAR SERVIÇO______ ) sito em ( _______MORADA DO LOCAL DE TRABALHO_______ )

 

Exmºs Srs
O Delegado Sindical e/ou associados do SNTCT – Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações vêm solicitar a intervenção urgente no local de trabalho em referência, com vista a avaliar do cumprimento das regras impostas pela DGS quanto às condições mínimas para proteção contra a transmissão do Coronavirus 19.
Efetivamente, os trabalhadores estão a manifestar grande preocupação com as condições de trabalho existentes neste local, aquando da realização das suas tarefas de distribuição/atendimento/outras que implicam contacto regular e sistemático com utentes. E isto sem que lhes tenham sido distribuídos equipamentos de protecção individual suficientes e adequados ( ex. luvas, máscaras , gel desinfetante, etc) e / ou sem que tenham sido tomadas as necessárias medidas limpeza/desinfecção e de separação física dos trabalhadores entre si e com os clientes.
Com os melhores cumprimentos,
Os abaixo-assinados
(assinaturas)

___________________________________

SNTCT – A FORÇA DE CONTINUARMOS JUNTOS!

MEIOS DE PREVENÇÃO DO COVID-19 NOS CTT

MEIOS DE PREVENÇÃO DO COVID-19 NOS CTT
Houve atraso no fornecimento, por parte dos CTT, dos meios de prevenção.
Dissemo-lo, exigimos o seu fornecimento e, porque ainda existem locais onde os mesmos não chegaram, ou chegaram em número insuficiente, listaremos esses locais junto da empresa para que regularize a situação (façam-nos chegar informação se for esse o caso do vosso local de trabalho).

 

AGORA, CAMARADAS E AMIGOS TRABALHADORES DOS CTT,
MUITA ATENÇÃO:
Nos locais onde os meios de prevenção/protecção estão distribuídos, mesmo que não em quantidade suficiente, OS TRABALHADORES A QUEM FOREM DISTRIBUÍDOS, DEVEM USÁ-LOS SEGUNDO AS INDICAÇÕES QUE FORAM EMANADAS PELAS ENTIDADES COMPETENTES, de forma a salvaguardarem a sua saúde, a dos seus familiares e, também de todos os Portugueses.

 

AGORA, GESTÃO DOS CTT,
TAMBÉM MUITA ATENÇÃO:
Ainda falta distribuir muito material de prevenção/protecção em muitos locais de trabalho, elo que iremos comunicar-vos aqueles que são do nosso conhecimento mas, falta também algo que é primordial neste momento; TAMBÉM PARA CONTENÇÃO DA PROPAGAÇÃO DO VÍRUS, A DESINFECÇÃO E PRINCIPALMENTE A LIMPEZA APURADA DOS LOCAIS DE TRABALHO, É FUNDAMENTAL.

 

Lisboa, 16 de Março de 2020

A Direcção Nacional do SNTCT

 

DIRECÇÃO NACIONAL DO SNTCT SUSPENDE A PARTIR DE AMANHÃ,
DIA 16 DE MARÇO DE 2020
TODAS AS ACTIVIDADES ANTERIORMENTE PROGRAMADAS
NAS EMPRESAS / LOCAIS DE TRABALHO

MAS ATENÇÃO:
OS DIRIGENTES DO SNTCT ESTARÃO EM TODOS OS LOCAIS DE TRABALHO
ONDE OS TRABALHADORES OS CHAMAREM E/OU A SUA PRESENÇA SE JUSTIFIQUE

 

A partir das 07H00 da manhã
estaremos na Sede e procuraremos dar resposta/ajuda a todas as questões que se nos colocarem, o telefone recordamos é:
21 842 89 00.

Durante o resto do dia
Através de todos os telefones do SNTCT
ou através dos
Telemóveis dos Dirigentes do SNTCT
ou, em alternativa,
email: sntct@sntct.pt


Lisboa, Sede do SNTCT, 20/03/2020
A Direcção Nacional do SNTCT

CTT -MEDIDAS DE CONTENÇÃO DO COVID-19

COMENTÁRIOS E ORIENTAÇÕES DO SNTCT
SOBRE AS MEDIDAS DE CONTENÇÃO

DO VÍRUS COVID-19

NOS CTT

A Direcção Nacional do SNTCT tem estado bem atenta e actuante sobre as medidas (e a falta delas) dos CTT no tocante à contenção do Vírus Covid-19.

Assim, sendo certo que o alastrar da infecção por este vírus está num crescendo, e que segundo alguns especialistas, as próximas duas semanas deverão vir a tornar-se muito complicadas, sem alarmismos e com os pés no chão, temos vindo a acompanhar a situação, caso a caso, exigindo soluções que salvaguardem os trabalhadores da Empresa e a segurança na sua saúde.

Em contacto permanente com a gestão da Empresa temos vindo a cumprir cabalmente aquilo que está ao nosso alcance; apontando deficiências, sugerindo soluções, exigindo a tomada de medidas e o fornecimento de meios de protecção e também, denunciando situações de incúria que, infelizmente, também já aconteceram.

Ontem, dia 13, conseguimos chegar à fala com a DGS, colocámos o conjunto de casos que nos foram chegando e preocupações relativas ao futuro, pedindo a intervenção directa e atempada e orientações da DGS, nomeadamente para as áreas de maior propagação do vírus.

Já temos uma reunião pedida ao Presidente da ANACOM em que, é óbvio, sobre esta questão, iremos pedir a sua intervenção naquilo que esteja dentro das suas competências.
Na próxima semana tudo faremos para chegar à fala com os Governo no sentido de exigirmos medidas de excepção para a actividade dos CTT (e também de outras empresas do sector postal e logística como é obvio).

No sentido de darmos algumas orientações para a semana que se aproxima, contactámos já hoje, Sábado, a Gestão da Empresa, no sentido de obtermos resposta para um conjunto de situações e reivindicarmos soluções. Assim, a saber;

– UTLIZAÇÃO DOS PDA’S NA DISTRIBUIÇÃO
Ou já saiu, ou está para sair, para ser cumprida a nível nacional, por todos e em todos os locais de trabalho, uma orientação clara que acolhe definitivamente uma nossa sugestão: OS PDA’S NÃO DEVEM SER TOCADOS PELOS DESTINATÁRIOS, SENDO A SUA ASSINATURA SUBSTITUÍDA PELA INDICAÇÃO DE ENTREGA E IDENTIFICAÇÃO FEITA PELO PRÓPRIO CARTEIRO, QUE PROCEDERÁ DE ACORDO COM A ORIENTAÇÃO RECEBIDA QUANTO AO QUE DEVE “ESCREVER” NO PDA. O MESMO PROCEDIMENTO DEVERÁ SER TIDO QUANTO AOS AR’S.

Só uma questão resta ainda por esclarecer; a entrega das NOTIFICAÇÕES JUDICIAIS POR VIA POSTAL E SÓ DESSAS, situação que, espera-se possa ser resolvida ainda segunda-feira com os Tribunais e Ministério da Justiça.

– UTILIZAÇÃO DE DESINFECTANTE, MÁSCARAS E LUVAS

NAS ESTAÇÕES DE CORREIO – Além da higienização das mãos com o gel desinfectante, os trabalhadores das Estações de Correio devem, além de fazer respeitar o limite de aproximação – as fitas coladas no chão – pedirem e usarem luvas e máscaras se assim o desejarem para sua protecção e bem-estar psicológico. Claro que, não estando distribuídas luvas ou máscaras, um trabalhador decidir usar umas de sua propriedade, não deve ser impedido de o fazer (como infelizmente já aconteceu esta semana por autoritarismo de uma chefia local).

NOS CDP’S E CENTROS DE TRATAMENTO – Os trabalhadores devem exigir meios de protecção, exigindo-os e responsabilizando quem de direito pelo seu não fornecimento. Gel desinfectante, luvas e máscaras têm que ser fornecidas, e usadas. É a saúde/vida de cada um e de todos que está em causa.

– FORNECIMENTO DE MEIOS DE PROTECÇÃO
Ontem ao final do dia já tinham sido distribuídos meios de protecção (gel desinfectante, luvas, máscaras) em muitos dos locais que tínhamos referenciados e reportados junto da Empresa.

O uso dos materiais distribuídos deve ser rigorosamente cumprido. Ainda assim, como sabemos que pelo menos no início da semana não terão chegado a todos os locais de trabalho PEDIMOS QUE, NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA, NOS DIGAM, POR QUALQUER MEIO (TELEFONE A PARTIR DAS 07h00, FACEBOOK, WHATSAPP, EMAIL sntct@sntct.pt, OU AOS DIRIGENTES DO SNTCT NO CASO DE TEREM OS SEUS CONTACTOS…) para listarmos as falhas e exigirmos à Gestão da Empresa o seu fornecimento.

– UMA NOTA MUITO ESPECIAL
OS TRABALHADORS A QUEM NÃO TENHAM SIDO DISTRIBUÍDOS MEIOS DE PROTEÇÃO PARA TRABALHAREM COM UM MÍNIMO DE SEGURANÇA, DEVEM COMUNICAR CLARAMENTE À CHEFIA A SITUAÇÃO E A SUA INDISPONIBILIDADE PARA TRABALHAREM SEM CONDICÕES. CONTUDO, ANTES DE DECIDIREM TOMAR QUALQUER POSIÇÃO QUANTO A LABORAREM OU NÃO, DEVEM CONTACTAR-NOS DE IMEDIATO (PELOS MEIOS ATRÁS REFERIDOS) PARA QUE POSSAMOS RESOLVER A SITUAÇÃO JUNTO DA GESTÃO CENTRAL DA EMPRESA.

– DENÚNCIA DE NÃO CUMPRIMENTO E ATROPELOS ÀS ORIENTAÇÕES POR PARTE DA ESTRUTURA HIERÁRQUICA
É obrigação de cada trabalhador denunciar situações de inconsciência de alguns responsáveis que, ou não reportam superiormente situações de suspeita de possível infecção, ou sendo-lhe reportadas pelas chefias locais, se borrifam nas mesmas, é o termo, mandando os trabalhadores possivelmente infectados para casa como se nada tivesse acontecido. Não há que ter medo de denunciar tais abusos pois calar é pactuar com a irresponsabilidade. Faremos chegar e pediremos responsabilidades à Gestão central da Empresa de todos os casos que nos cheguem… porque a situação é grave e “amigos, amigos, negócios à parte”.

– TRABALHO EM CASA / POSSIBILIDADE DE ENCERRAMENTO DE ESTABELECIMENTOS
A Direcção Nacional do SNTCT saudará todas as medidas que visem combater a propagação do vírus nos CTT (e claro em todas as outras empresa e no País) e, sendo tal possível, vê com bons olhos o “teletrabalho” temporário a partir de casa nas funções em que tal for possível e, se tal se justificar o encerramento temporário de Estações de Correio e CDP’s, quer por insuficiência de pessoal (por exemplo devido a assistência a filhos menores cujas escolas e outros estabelecimentos de ensino estão encerrados) quer, essa é uma exigência nossa, a suspensão de actividade (balcões e distribuição) nas zonas “vermelhas” e mais afectadas.

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

Telefone: 218428900
Email: sntct@sntct.pt
www.sntct.pt
www.facebook.com/sntct

 

ALTICE – MEDIDAS CONTENÇÃO COVID-19

MEDIDAS DE CONTENÇÃO DO COVID-19 NA ALTICE

E PRESTADORES DE SERVIÇOS DA MESMA

A Direcção Nacional do SNTCT, perante as informações da gestão da Altice sobre as medidas de contenção do vírus Covid-19, informações contidas em dois email-s (um de 3/3 e o outro de 11/3) enviou à gestão da Empresa, em 11/3, um email em que acrescentou/sugeriu/reivindicou duas medidas que considerou deverem ser implementadas, a saber:

  1. Criação de uma linha de apoio ao trabalhador e chefias para qualquer dúvida ou questão a colocarem à DRH, designadamente possíveis decisões de afastamento de trabalhadores das instalações da Empresa, sendo que tais decisões deverão ser sempre da responsabilidade da DRH, após aferição de cada situação que se apresente. Em nossa opinião tal linha de apoio deverá ter um horário a determinar pela empresa e a funcionar pelo menos nos dias úteis durante os dias uteis.
  2. Cumprimento rigoroso, para trabalhadores que contactam com o público nas lojas ou que se desloquem – às casas dos clientes/instalações de empresas e serviços – sejam eles trabalhadores da Altice, prestadores de serviços, ou prestadores de serviços por conta de terceiros, da orientação da DGS Nº 006/2020. Deve a Altice cumprir rigorosamente os procedimentos de prevenção, controlo e vigilância, identificar claramente salas para isolamento de  trabalhadores que apresentem sintomas ou sobre os quais haja elevada suspeição de terem contraído o Covid-19, enquanto aguardam instruções/intervenção do Serviço Nacional de Saúde/Linha de Saúde 24. Em opinião do SNTCT essas salas devem, como e óbvio, ser disponibilizadas nos diversos edifícios da Empresa, para todos os trabalhadores a exercerem funções na empresa independente do vínculo de trabalho, estendendo-se a sua disponibiilização a prestadores de serviços externos que que laborem em instalações da Altice.

Recebemos da gestão da Altice a reposta cujos pontos fundamentais abaixo transcrevemos:

  • Está a ser criado um e-mail para este tema.
  • Foram identificados 41 colaboradores, que terão a função de pivot, caso seja necessário encaminhar algum colaborador com sintomas no local de trabalho.
  • foram criadas 90 salas de “distanciamento social”, para os colaboradores que eventualmente sintam sintomas no local de trabalho, permanecerem, até decisão de encaminhamento da Saúde 24.
  • Os prestadores de serviço que trabalhem nas nossas instalações serão abrangidos pelos mesmos procedimentos.
  • Esta informação será partilhada amanhã (dia 12), bem como o plano de contingência.

A Direcção Nacional do SNTCT continuará atenta aos procedimentos da Altice sobre esta matéria já que, como é óbvio, a Empresa tem essa obrigação para com os seus trabalhadores (próprios ou de prestadores) e, claro para com a generalidade dos cidadãos.

Agradecemos aos nossos associados, mas não só, que nos reportem qualquer problema que detectem e possamos ajudar a resolver colaborando na contenção do vírus.

SNTCT –  A força de continuarmos juntos!

AUDIÇÃO NA AR SOBRE PETIÇÃO FECTRANS PARA A REDUÇÃO IDADE REFORMA DOSTRABALHADORES DOS TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

AUDIÇÃO PARLAMENTAR SOBRE
REDUÇÃO DA IDADE LEGAL DE REFORMA DOS TRABALHADORES DO SECTOR DE TRANSPORTES, COMUNICAÇÕES E TELECOMUNICAÇÕES PARA OS 55 ANOS

PETIÇÃO Nº 12/XIV/1

AUDIÇÃO NA COMISSÃO DE TRABALHO E SEGURANÇA SOCIAL DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA


Decorreu no passado dia 10 a Audição Parlamentar, em Sede de Comissão, sobre a Petição da FECTRANS – Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações, que exige a redução da idade legal da reforma/aposentação para os trabalhadores dos Transportes, Comunicações e Telecomunicações.

PETIÇÃO ESTA QUE, COMO É ÓBVIO, DIZ RESPEITO A TODOS OS TRABALHADORES REPRESENTADOS PELO SNTCT EM TODAS AS EMPRESAS DE CORREIOS, TELECOMUNICAÇÕES E ACTIVIDADES AFINS, INCLUINDO LOGÍSTICA E CALL CENTERS.

Da intervenção do Coordenador FECTRANS, José Manuel Oliveira, em nome da Delegação da FECTRANS àquela Audição, delegação que integrava também José Oliveira, do Executivo da Direcção Nacional do SNTCT e membro do Executivo da Direcção da Fectrans, deixamos aqui alguns excertos que serão, no todo da intervenção, mais relacionados com a abrangência da nossa representação:

 

“Senhores deputados,

As razões da FECTRANS ter avançado com a dinamização de uma petição com vista à redução da idade legal de reforma no sector dos transportes e comunicações, deve-se ao enorme sentimento verificado nos locais de trabalho, em que somos confrontados com um desgaste físico motivado pelas más condições de trabalho, os trabalhadores estão sujeitos a uma organização de trabalho com horários variáveis, e a laborar em situações anómalas.

O trabalho em laboração contínua e com horários com inúmeras variáveis, em que hoje se inicia o trabalho de manhã, no dia seguinte já pode ser de tarde e assim sucessivamente, está por demais identificado do ponto de vista médico, e suportado em estudos científicos, como a razão de muitos problemas de saúde graves que se agravam com o passar dos anos.

O Trabalho por Turnos e Horário Variáveis, na medida em que conduz a uma alteração, mais ou menos frequente, das horas de dormir, perturba os ritmos biológicos, potencia o aparecimento de doenças do foro oncológico, do sono e prejudica a vida social e familiar, trazendo inegáveis prejuízos para a saúde física e psíquica do trabalhador, levando a uma diminuição da produtividade e colocando em risco a segurança.

Por outro lado, o Trabalho Nocturno é um comprovado factor gerador de stress ocupacional, estando na origem da utilização excessiva de substâncias indutoras do sono, provocando, na maioria dos casos, uma ruptura na vida social e familiar dos trabalhadores, bem como um decréscimo na sua saúde.

Os efeitos prejudiciais na saúde e bem-estar do trabalhador sujeito ao regime de Trabalho por Turnos e/ou Trabalho Nocturno podem ter um alcance mais extenso do que a simples perturbação do sono e a fadiga crónica, podendo levar a perturbações do humor, ao surgimento ou agravamento de doenças cardiovasculares e gastrointestinais, à diminuição da esperança de vida, bem como afectar a função reprodutora da mulher.

Também as condições físicas onde se presta o trabalho são factores que originam uma degradação mais rápida das condições de vida e saúde dos trabalhadores.

… … …

A estes factores acresce uma rotatividade de horários de trabalho, um aumento da agressividade por parte dos utentes tendo em conta a degradação do serviço publico, a falta de operacionais, o que leva a um desgaste maior de quem trabalha, que não pode se ignorado, aliás em nossa opinião existe apenas uma solução para reduzir estes impactos, reduzir ao máximo o tempo de exposição dos trabalhadores a estes vectores indutores de risco clinico e psicossocial.

… … …

Trabalhar num guichet de atendimento presencial ou no atendimento ao cliente num call center, cerca de oito horas, muitas vezes sem pausas para descanso, produz efeitos de stress e logo de desgaste emocional e psíquico de difícil solução, tal como o afirmam diversos estudos da área da psicologia e psiquiatria.

Trabalhar na rua, em actividades de distribuição, por vezes com dezenas de quilómetros andados a pé, transportando pesos e subindo e descendo escadas, muitas vezes sob stress para cumprimento de giros/voltas, provoca desgaste psíquico e físico, sendo as doenças músculo-esqueléticas um dos efeitos mais comuns.

Também ao nível dos motoristas de transporte de passageiros e mercadorias, estes trabalhadores apresentam problemas de saúde preocupantes ao nível postural, de audição, de visão, e renais, devido aos ritmos de trabalho, aos locais onde prestam trabalho, o défice de ingestão de líquidos, por privação de acesso às instalações sanitárias se revela doloroso pelos maus tratos aos rins. Ao nível da audição somos ainda conhecedores de situações que estão identificadas pela exposição do auricular esquerdo junto da janela do condutor.

Uma parte significativa do trabalho nas diversas áreas de actividade é desempenhada com longos períodos de permanência em veículos, que expõem os trabalhadores a elevados valores de ruído, vibrações, e isolamento.

Salientamos que sobre as questões do ruido existem estudos que afirmam: “O ruído é um importante factor de risco para os trabalhadores, originando perturbações fisiológicas e psicológicas, assim como a sua segurança, ao mesmo tempo que diminui a qualidade do trabalho e a produtividade e as vibrações, tal como o ruído, também é um importante factor de risco para os trabalhadores, originando perturbações músculo-esqueléticas, neurológicas e vasculares, além de outras patologias.”

Estes são factores que não podem se ignorados, porque os trabalhadores não podem ser reduzidos a meras máquinas da produção, pelo que é necessário medidas que salvaguardem não só a sua integridade física e a sua saúde, mas que lhe permitam utilizar tempo da sua vida com qualidade.

Esta é uma realidade que aos poucos começa a ser reconhecida, como é o facto de ter sido discutida a possibilidade de acordo entre as administrações portuárias e os sindicatos, reconhece a necessidade de reduzir a idade de reforma para os pilotos, tendo em conta o desgaste a que são submetidos.

Tendo em conta a quem se dirige a actividade prestada neste sector, este é também um problema de segurança de pessoas e bens que será posta em causa quanto mais se degradarem as condições físicas e de saúde dos trabalhadores.

Por último, seja qual for o resultado desta petição, poderão saber que iremos continuar com esta luta, porque entendemos que os trabalhadores não podem morrer a trabalhar.

10 de Março de 2020

Em nome da Delegação da Fectrans
José Manuel Oliveira
Coordenador da FECTRANS “

Nota: Nas zonas do texto em que se encontram reticências significa que foram cortados parágrafos referentes especificamente ao sector dos transportes, tal como o 8º e 9º parágrafos são mais específicos para as comunicações, telecomunicações e actividades afins.

COMUNICADO SNTCT CORREIOS 2-2020

TRABALHADORES DOS CTT,
EM UNIDADE, OBRIGARAM EMPRESA
A REINTEGRAR TRABALHADOR

PORQUE NETO CUNHA FOMOS, E SEREMOS TODOS NÓS, NETO CUNHA RETOMA
O SEU POSTO DE TRABALHO NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA, DIA 13 DE JANEIRO.
ASSIM O SNTCT SUSPENDE, PARA JÁ, A GREVE GERAL, GARANTINDO QUE VOLTARÁ À LUTA LOGO QUE A EMPRESA VOLTE À “CARGA”, SEJA COM O NETO CUNHA, OU COM QUALQUER OUTRO TRABALHADOR DA EMPRESA.

Abre aqui o comunicado em formato PDF » » » 2020_02 CTT CORREIOS

Como é do conhecimento de todos na Empresa CTT, o processo de despedimento arbitrário do nosso colega, Carteiro em Ermesinde, foi, é, de uma flagrante e ignominiosa ilegitimidade e imoralidade. Tal como é do conhecimento de todos, também a falta de respeito da Empresa para com aquele trabalhador e o seu agregado familiar nomeadamente mantendo-o sem salário desde Agosto de 2019, sabendo ser ele o único sustento daquele agregado familiar.

Foi por isso que lutámos e patrocinámos a sua defesa. Defesa que passou por uma Providência Cautelar no Tribunal de Valongo que considerou ilícito o seu despedimento e condenou os CTT a reintegrá-lo, o que os CTT não fizeram.

CTT que, hoje, perante a mobilização nos locais de trabalho, foram forçados a alterar essa posição e a comunicarem ao trabalhador para se apresentar segunda-feira no CDP de Ermesinde e que, citamos “…Neste sentido, mais informamos que serão processados e aplicados todos os créditos salariais que lhe estão em falta, no processamento salarial relativo ao mês de Janeiro, bem como que está assumida a sua antiguidade e activados os benefícios complementares que vinha tendo direito, nomeadamente, a retoma plena do IOS.”

Assim, não retirando a Direcção Nacional do SNTCT nem uma vírgula àquilo que tem vindo a escrever sobre este processo e sua ilegalidade e desumanidade, nem deixando de condenar os CTT pela flagrante tentativa de se verem livres de trabalhadores da Empresa para poder em continuar a pagar dividendos aos accionistas, decidiu a Direcção Nacional do SNTCT, depois de auscultar alguns delegados e activistas sindicais, suspender, para já, a Greve Geral decretada para a próxima segunda-feira.

Nota – A Direcção Nacional do SNTCT deslocar-se-á a Ermesinde para acompanhar Neto Cunha na retoma do seu posto de trabalho. Note-se ainda que na próxima segunda-feira faremos sair um comunicado pormenorizado sobre este processo.

VIVA A LUTA E A UNIDADE DOS TRABALHADORES.

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

Comunicado Mesa da Assembleia Geral – 1-2020

Sobre as duas Assembleias Gerais do SNTCT

realizadas em 16 de Dezembro de 2020

Abre aqui o comunicado em formato PDF: 2020_01 SNTCT MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

ASSEMBLEIA GERAL ELEITORAL DO SNTCT
DESCENTRALIZADA POR LOCAL DE TRABALHO
REALIZADA EM 16 DEZEMBRO 2019
RESULTADOS FINAIS

Na sequência da votação realizada no passado dia 16 de Dezembro de 2019, para a eleição da Mesa da Assembleia Geral, Direcção Nacional e Conselho Fiscalizador do SNTCT para o quadriénio 2019-2023, feito o escrutínio dos votos, apuraram-se os seguintes resultados finais:

Ponto único da Ordem de Trabalhos:
• Proceder à eleição da Mesa da Assembleia Geral, da Direcção Nacional e do Conselho Fiscalizador para o quadriénio 2019-2023.

NÚMERO DE VOTANTES 1921
VOTOS LISTA A 1831
VOTOS EM BRANCO 75
VOTOS NULOS 15

Perante os resultados do escrutínio proclama-se que:
• Foi eleita a Lista A candidata à Mesa da Assembleia Geral, Direcção Nacional e Conselho Fiscalizador do SNTCT para o triénio 2019-2023 com 1831 votos a favor.

Viva o SNTCT!
A Comissão Eleitoral Nacional e a Mesa da Assembleia Geral desejam felicitar todos(as) os(as) associados(as) do SNTCT pela decisão e também a Lista vencedora, que tomará posse dentro dos prazos legais após publicação da sua composição no Boletim do Trabalho e Emprego, desejando a todos(as) os(as) que a integram sucesso para o mandato que vão iniciar.

Lisboa, 2 de Janeiro de 2020

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral do SNTCT em exercício
A Comissão Eleitoral Nacional do SNTCT

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO SNTCT
REALIZADA EM 16 DE DEZEMBRO DE 2019
RESULTADOS FINAIS

Na sequência da votação realizada no passado dia 16 de Dezembro de 2019, relativa ao património do SNTCT, feito o escrutínio dos votos, apuraram-se os seguintes resultados finais:
Ponto único da Ordem de Trabalhos:
• Autorizar a Direcção Nacional a alienar a totalidade ou parte dos bens imóveis que são propriedade do SNTCT, mais autorizando a Direcção Nacional a, simultaneamente ou posteriormente, adquirir para o SNTCT outro bem imóvel com o objectivo de nele ser instalada a nova sede e serviços administrativos do SNTCT – tudo sob a forma jurídica, no modo e nas condições que a Direcção Nacional achar convenientes, mais podendo esta proceder à transferência da sede e serviços para o bem imóvel que for adquirido, quando entender.
NÚMERO DE VOTANTES 2017
VOTOS SIM 1808
VOTOS NÃO 146
VOTOS EM BRANCO 53
VOTOS NULOS 10

Perante os resultados do escrutínio proclama-se que:
• Nos termos do disposto nos artigos 54º, 55º alínea c), 56º nº 2 alíneas a), b) e c), 57º nºs 1, 2 e 3 dos Estatutos do SNTCT publicados no BTE, 1ª Série, nº 4 de 29 de Janeiro de 2007, com as alterações introduzidas e publicadas no BTE, 1ª Série, nº 21 de 8 de Junho de 2015, bem como do Regulamento da Assembleia Geral (anexo aos Estatutos) também com as alterações introduzidas e publicadas no BTE, 1ª Série, nº 21 de 8 de Junho de 2015, a Assembleia Geral do SNTCT, reunida em 16 de Dezembro de 2010 de forma extraordinária e descentralizada por local de trabalho autorizou a Direcção Nacional a alienar a totalidade ou parte dos bens imóveis que são propriedade do SNTCT, mais autorizando a Direcção Nacional a, simultaneamente ou posteriormente, adquirir para o SNTCT outro bem imóvel com o objectivo de nele ser instalada a nova sede e serviços administrativos do SNTCT – tudo sob a forma jurídica, no modo e nas condições que a Direcção Nacional achar convenientes, mais podendo esta proceder à transferência da sede e serviços para o bem imóvel que for adquirido, quando entender.

Lisboa, 2 de Janeiro de 2020

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral do SNTCT em exercício
A Comissão de Apuramento Nacional do SNTCT

________________________________________________________________________

Queremos, ainda, expressar o nosso reconhecimento a todos(as) os(as) associados(as) do SNTCT pela participação activa no processo destas duas Assembleias Gerais que decorreu numa altura inusual por via da alteração dos Estatutos do SNTCT o que, para rigoroso cumprimento dos prazos, obrigou a que a votação para a eleição dos órgãos tivesse que realizar-se nesta data. Queremos ainda agradecer a todos os Delegados Sindicais do SNTCT bem como a todos(as) os(as) Dirigentes Nacionais e Regionais cessantes e aos(ás) funcionários(as) do SNTCT a sua preciosa ajuda para que tudo se desenrolasse com absoluta normalidade.

SNTCT – a força de continuarmos juntos!
www.sntct.pt – www.facebook.com/sntct

ANTÓNIO NETO CUNHA SOMOS TODOS NÓS.

António Neto Cunha somos todos nós!
20 DE DEZEMBRO GREVE GERAL
PARA JÁ EM ALGUNS LOCAIS DE TRABALHO CTT…
… uma luta que, a manter-se esta ignomínia da Gestão dos CTT poderá alargar a outros.

SOLIDARIEDADE NÃO É, NEM SERÁ, UMA PALAVRA VÃ.
A DEFESA DOS DIREITOS E POSTOS DE TRABALHO DE CADA UM, É UMA BATALHA DE TODOS.

É esta a resposta que se impõe a mais uma das muitas investidas da actual Gestão dos CTT contra os trabalhadores que, com o seu trabalho e dedicação, sustentam a vida da Empresa.

Trabalhadores que sustentam a vida da Empresa cuja Gestão só se preocupa com os dividendos dos accionistas e “manda para as urtigas” a qualidade do serviço que lhe está concessionado, o património físico e de imagem que levou 500 anos a construir e, neste caso, tenta descartar um trabalhador acidentado em serviço.

Sem entrarmos em pormenores o ataque ao Carteiro ANTÓNIO NETO CUNHA, do CDP de Ermesinde, deveria envergonhar os senhores que habitam os últimos pisos do Edifício Báltico, se o conceito de vergonha, se o conceito de decência, ainda ali morassem.

A situação é de tal forma que o SNTCT viu ser-lhe dada razão na Providência Cautelar que interpôs no Juízo de Trabalho de Valongo, do Tribunal Judicial da Comarca do Porto, que condenou os CTT a reintegrarem este trabalhador e a atribuírem-lhe as funções que vinha exercendo e a manterem o pagamento da sua retribuição e subsídios, com os descontos e benefícios inerentes.

CTT, cuja Gestão revanchista e sem escrúpulos, não só não cumpre a decisão do Tribunal e mantendo o indecoroso despedimento deste trabalhador cujo único crime foi ter-se acidentado em serviço como, INDECOROSAMENTE, desde Agosto que o mantém sem recursos sabendo que, devido à sua condição de Trabalhador Subscritor da Caixa Geral de Aposentações, o António Neto Cunha nem tão pouco tem direito ao chamado “subsídio de desemprego”.

PORQUE ESTE DESPROPÓSITO E ESTA VERGONHA NÃO PODEM, NEM VÃO, CONTINUAR, os trabalhadores CTT dos locais de trabalho abaixo referidos têm estado em luta.

Em luta porque solidários com António Neto Cunha e porque esta questão DIZ RESPEITO A TODOS – HOJE É ANTÓNIO NETO CUNHA AMANHÃ, PODE SER UM QUALQUER OUTRO DOS MUITOS QUE ESTÃO COM OS MESMOS CONDICIONALISMOS.

Estes trabalhadores, para já só estes, têm estado a reunir em Plenários desde o dia 2 de Dezembro (ver mapa) decidiram mandatar o SNTCT para decretar Greve Geral para os seus locais de trabalho para o próximo dia 20 de Dezembro.

Que exigem? Que os CTT respeitem o seu trabalhador António Neto Cunha e cumpram a decisão do Tribunal.

O SNTCT saúda desde já todos os trabalhadores que vão estar em luta no próximo dia 20 e, mantendo os CTT esta vergonhosa atitude, não descartamos alargar esta luta a outros pontos do País.

SE DEIXARMOS, HOJE É O ANTÓNIO NETO CUNHA…
E AMANHÃ SERÃO QUANTOS MAIS?

Plenários (realizados e a realizar) nos Centros de Distribuição Postal (CDP) e no Centro de Produção e Logística Norte (CPLN)…
2 Dezembro – CDP Ermesinde
3 Dezembro – CDP Carvalhos
4 Dezembro – CDP Vila Nova de Gaia
– CDP 4000/4050 Porto
5 Dezembro – CDP Matosinhos
6 Dezembro – CDP Braga
– CDP Gondomar
9 Dezembro – CDP 4100/4150 Porto
10 Dezembro – CDP 4200/4300 Porto
11 Dezembro – CDP Maia
– CPLN (Maia)
12 Dezembro – CDP Barcelos
13 Dezembro – CDP Vila Nova de Famalicão
16 Dezembro – CDP Póvoa de Varzim
17 Dezembro – CDP Fafe
18 Dezembro – CDP Guimarães

… que, a manter-se esta ignomínia da Gestão dos CTT, vão culminar com…

GREVE GERAL EM TODOS ESTES LOCAIS DE TRABALHO NO PRÓXIMO DIA 20 DE DEZEMBRO.

SNTCT – Mais que nunca, a força de continuarmos juntos!

1 2 3 17