Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações

EDIFÍCIO CTT NO PRIOR VELHO.
NÃO HAVIA PROBLEMA…
E AGORA JÁ HÁ?

Não havia problema e os trabalhadores podiam voltar ao trabalho, segundo informação do Delegado de Saúde de Cacém/Sintra (área de residência do primeiro trabalhador declarado infectado pelo Covid-19 no dia 20 de Março), informação veiculada pelos CTT, atraves do “CTT Informa Prior Velho”.

Abre aqui o documento atrás referido CTT INFORMA PRIOR VELHO

No dia 25 o SNTCT enviou o email cujo texto transcrevemos abaixo, com carácter de urgência àquele Delegado de Saúde, com conhecimento à DGS. 5 dias depois a resposta ainda não chegou.

Os trabalhadores podiam voltar a trabalhar mas, de então para cá já são mais 2 casos declarados depois do primeiro, 3 no total até agora (2 no turno da manhã e mais um no turno da noite).

E agora? Ainda continua a não haver problema?

Os trabalhadores, até esta hora, a poucas horas do início dos turnos, continuam sem informação/orientação sobre o que fazerem quer da parte da Empresa quer, depois de para a mesma ligarem, da parte Linha Saúde 24 que apenas os mandou aguardar por orientações.

Dizer que também a aguardar orientações da Linha Saúde 24 está um Dirigente do SNTCT que durante a semana acompanhou localmente o problema.

São 17 horas do dia 29 de Março, vamos ver quando chegam as benditas instruções, se é que chegam.


Exmo. Senhor
Delegado de Saúde de Sintra(Cacém)

Exmo. Senhor,
Na passada semana foi confirmada a infecção, pelo Vírus COVID-19, de um trabalhador CTT, trabalhador de seu nome Rui Santos, a prestar serviço no Edifício CTT sito na Rua Francisco Salgado Zenha, 2685-332 Prior Velho.

Na passada Sexta-feira, dia em que se soube da confirmação da contaminação daquele colega, os trabalhadores do “turno da manhã” das três empresas que ali funcionam – CTT Correios, CTT Expresso e CTT Contacto, todas do Grupo CTT – foram enviados para casa pela Empresa (quando deveriam ter ido todos os trabalhadores dos diversos turnos pois todos se cruzaram com aquele trabalhador nas áreas de trabalho e nas áreas sociais e wc’s/balneários) em aparente respeito pelo Protocolo definido pela DGS.

Estranhamente, anteontem dia 23 de Março, os trabalhadores que estavam em casa foram intimados/chamados a reiniciarem funções pela Gestão dos CTT a quem, alegadamente, o Delegado de Saúde de Cacém(Sintra), área de residência do colega infectado, Vexa. portanto, terá comunicado que não era/é necessária a quarentena e como tal deveriam regressar aos seus postos de trabalho o que, a contragosto por grandes e fundados receios pela sua saúde, fizeram ontem, dia 24 de Março.

Acresce que estes trabalhadores contactam directamente com os destinatários dos envios que distribuem e, estando infectados, além da sua saúde estão ao colocar em risco a das suas famílias e a de todos aqueles a quem distribuírem os envios, de carácter postal e outros, que lhes são dados distribuir.

Assim, perante tal procedimento dos CTT e porque todas as informações foram verbais, mas sempre invocando Vexa., vimos respeitosamente reclamar, em nome dos nossos associados e dos restantes trabalhadores que Vexa. confirme ter dado orientações no sentido de não ser cumprido o Protocolo definido pela DGS nomeadamente no que se refere à quarentena, bastando para tal que nos faculte cópia do documento com a decisão e orientação alegadamente emanada por Vexa. e logo por essa Delegação de Saúde, decisão que a ter sido tomada o foi sem uma simples visita que fosse àquele edifício ou mesmo uma simples medição de febre a todos aqueles trabalhadores.

Certos do bom acolhimento de Vexa. a este nosso pedido, ficamos a aguardar que, com a urgência exigida por esta situação e estranha forma de acção, nos forneça cópia ou documento que tenha sido por si emanado no qual, como é óbvio, Vexa. assumiu inteira responsabilidade pelo comjunto de situações que acima relatamos.

Com os nossos melhores cumprimentos,
A Direcção Nacional do SNTCT
(25 de Março de 2020 às 13h54m”

Partilhe esta notícia

Veja também...