CTT – VALOR DO SUBSÍDIO DE ABONO QUILOMÉTRICO TEM QUE SER REVISTO

VALOR DO SUBSÍDIO DE ABONO QUILOMÉTRICO NOS CTT TEM QUE SER REVISTO

Face aos acontecimentos internacionais, mas não só, têm-se vindo a verificar aumentos de valor dos combustíveis, aumentos que têm vindo a prejudicar fortemente os(as) Trabalhadores(as) CTT que usam os veículos próprios na Distribuição Postal.

Abrir aqui o abaixo-assinado em PDF 》 》 》AbonoQuilometricoCTT

Nos últimos dias sucendem-se os contactos de Trabalhadores(as) de todo o País e, para já independentemente da nossa acção junto da Empresa, sugerimos que os(as) Trabalhadores(as) nessa situação, associados ou não do SNTCT, assinem o abaixo-assinado anexo devendo entregar o original à Chefia do CDP, pedindo cópia do mesmo (enviando-nos uma cópia logo que possivel para sntct@sntct.pt).

Vamos a isso.

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

COMUNICADO SNTCT 2-2022

PROCESSO DO CARTÃO
DE REFEIÇÃO CTT

Não conseguimos na primeira instância?
VAMOS DIRECTAMENTE PARA UMA INSTÂNCIA SUPERIOR.
Temos razão e vamos prová-la.

Abre aqui o comunicado em formato PDF: 2022-2 CTT CORREIOS

O SNTCT, enquanto Sindicato que privilegiou desde sempre a informação atempada aos seus Associados e às suas Associadas, quer nos bons quer nos maus momentos, continua nesse caminho de que nunca se arrependeu e tem agora a informar, neste momento, o seguinte:

  • O Tribunal do Trabalho de Lisboa, no âmbito do processo n.º 15770/20.1T8LSB, em que é autor o próprio Sindicato, e em que se pedia o reconhecimento dos trabalhadores CTT a receberem o subsídio de alimentação em dinheiro, decidiu pela improcedência do pedido formulado.

Mais informamos que a luta que encetámos, uma luta justa e que pretendemos vencer, não terminou. Esta é apenas uma decisão de um Tribunal de 1.ª Instância e o Departamento Jurídico do SNTCT está já a preparar um recurso que visa defender uma vez mais os direitos dos trabalhadores CTT “maxime”, a uma alimentação condigna.

NOTA SUPLEMENTAR SOBRE ESTE PROCESSO

NÃO. NÃO VALE TUDO.

A notificação da decisão do Tribunal de 1ª Instância acima referida ainda não chegou ao SNTCT, tendo apenas chegado à nossa Advogada e Mandatária no Processo, Dr.ª Maria Antónia Beleza.

Qual não é o nosso espanto quando há pouco, ao prepararmos este comunicado, chegou ao nosso conhecimento que hoje pela manhã, no CDP de Olhão, um dirigente de um outro sindicato, puxando pelos galões de ser simultaneamente advogado e ter, segundo o mesmo, “informação privilegiada”, deu nota de que teríamos perdido o processo.

É muito feio e, sobre isto, apenas três coisas se nos oferecem dizer:

  1. A tal “informação privilegiada” é a de um qualquer advogado que, pelo simples facto de o ser, tem acesso ao “Sitius”, a plataforma online do Ministério da Justiça em que são disponibilizadas informações sobre as decisões dos diversos Tribunais;
  2. Fica pois muito mal na fotografia quem, arvorando-se a tão grande especialista e detentor de tais “segredos” que parecem dos deuses, ao que parece não ter conseguido abarcar que, é básico, esta não é uma decisão definitiva, pois ainda nem transitou em julgado e nem sequer se consideram ainda notificadas as partes, mesmo os seus mandatários.

           Tem afinal em seu douto poder tão só, e apenas, o que está disponível                    para quem possa aceder a tal plataforma e saiba ler;

  1. Fica muito mal na fotografia o douto sindicalista quando, ao pretender usar uma notícia a seu ver bombástica afinal apenas tentou lançar um verdadeiro “calhau” e, fica-lhe mal, mais não fez que fazer uso de uma flagrante desonestidade intelectual.

Uma flagrante desonestidade intelectual, ao colorir a situação a seu jeito e, ainda, tentar aproveitar o facto de o nosso Dirigente Jorge Costa, que é CRT no CDP de Olhão, estar pela manhã a acompanhar a Greve no CDP de Faro para, qual raposa matreira e “pilha-galinhas” daquela conhecida fábula, ir ao CDP de Olhão na tentativa de sacar associados ao SNTCT.

MAS, PORQUE QUEM LUTA MERECE SAUDADO,

VIVA QUEM ATÉ DIA 7 ESTÁ EM LUTA NO CDP DE FARO!

Os Carteiros de Faro têm estado em luta por condições de trabalho condignas e pela reposição dos Postos de Trabalho cortados nas últimas revisões de Giros.

A prepotência da gestão CTT daquela banda do Algarve, que parece mais apostada em deitar abaixo o que resta da boa imagem dos CTT, provocou e mantém o conflito.

Lisboa, 3 de Fevereiro de 2021

A Direcção Nacional do SNTCT

www.sntct.pt

www.facebook.com/sntct

www.instagram.com/sntct7

https://twitter.com/SNTCT

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

COMUNICADO SNTCT CORREIOS 1-2022

CTT APRESENTAM PROPOSTA DE AUMENTOS SALARIAIS PARA 2022

TREZE PÁGINAS DE PALAVREADO PARA PROPOREM

0, 3 e 4 € DE AUMENTO, OU SEJA,

(AUMENTOS DE 0,00%, 0,11% 0,21% e 0,37%)

Abre aqui o comunicado em PDF 》 》 》 2022_1 CORREIOS

O ANO PASSADO A PROPOSTA FOI DE 0,33%, AGORA APRESENTAM ISTO,

É UMA OFENSA E UM INSULTO AOS TRABALHADORES!

No início da próxima semana irá ser elaborado um comunicado subscrito pelos Sindicatos que apresentaram a proposta conjunta de aumentos salariais para 2022.

No entanto o SNTCT comunica desde já aos seus associados, a proposta vergonhosa que foi apresentada.

OS TRABALHADORES EXIGEM AUMENTOS JUSTOS.

sntct – a força de continuarmos juntos!

Página Web: www.sntct.pt – Email: sntct@sntct.pt – Facebook: www.facebook.com/sntct – Instagram: www.instagram.com/sntct7 – Twitter: https://twitter.com/SNTCT

BOAS FESTAS SNTCT 2021

Comunicado SNTCT Correios 8-2021 – Greve Geral 19 Novembro 2021

TRABALHADORES CTT EM LUTA

19 DE NOVEMBRO DE 2021

GREVE GERAL

  • Por mais e melhores condições de trabalho;

  • Pela admissão de trabalhadores(as) em número suficiente;

  • Por salários justos e dignos;

  • Por um melhor serviço postal público;

  • Contra a destruição dos CTT e pela sua renacionalização urgente.

BASTA!

A GESTÃO PRIVADA DOS CTT TEM QUE SER POSTA NA ORDEM.

O GOVERNO TEM RESPONSABILIDADES E NÃO PODE “LIMPAR AS MÃOS”.

RENACIONALIZAÇÃO IMEDIATA DOS CTT!

 

Abre aqui o comunicado em formato PDF » » » 2021-08 CTT CORREIOS

POR MAIS E MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO

A fome de lucro dos accionistas tem levado a gestão dos CTT a reduzirem o número de trabalhadores a níveis incomportáveis, não olhando a meios para atingir os seus fins.

O propositado decréscimo da qualidade do Serviço Postal, nomeadamente do Serviço Postal Universal é uma vergonha.

O desinvestimento nas operações postais, o atraso com que se está a distribuir o correio e o encobrimento de saldos nos CDP’s, os tempos de espera nas Estações de Correio, o desvio de serviço do tratamento para empresas do grupo, o não cumprimento dos padrões de qualidade impostos pela ANACOM são uma evidência. Tudo para encherem os bolsos dos accionistas.

 

PELA ADMISSÃO DE TRABALHADORES(AS) EM NÚMERO SUFICIENTE

Não há um único CDP em que não estejam trabalhadores em falta e em que os giros, tantos feitos em dobra, são geridos “a olho”. Nas Estações de Correio a única preocupação é terem garantidas as posições do Banco CTT. No tratamento procuram criar excedentes, onde eles não existem, de forma artificial desviando serviço daqueles. Nos transportes ao invés de cumprirem as suas obrigações para com os trabalhadores vão agenciando carreiras/linhas.

 

POR SALÁRIOS JUSTOS E DIGNOS

Os salários nos CTT, em todas as empresas do grupo, têm vindo a degradar-se com propostas de aumentos salariais muito abaixo das reais capacidades financeiras e económicas da Empresa. Afirmam-se na “pobreza extrema” na mesa de negociações e depois nos gastos com o supérfluo é um fartar-vilanagem.

 

POR UM MELHOR SERVIÇO POSTAL PÚBLICO

A prestação do Serviço Postal, nomeadamente do Serviço Postal Universal, está a atingir níveis de degradação inadmissíveis e incomportáveis.

Os atrasos na distribuição, que não é diária nem muitas vezes domiciliária como a Lei obriga, é uma vergonha. Não fosse o brio profissional dos Carteiros – pago com sobre esforço levando à exaustão de grande parte deles – e já teria batido no fundo.

Quanto ao atendimento é a vergonha; balcões dos serviços postais sem trabalhadores, filas de espera inadmissíveis (enquanto nos balcões do Banco CTT nunca faltam trabalhadores mesmo que não tenham cliente, trabalhadores tantos deles admitidos do exterior e a ganharem muito mais que os TNG´s de carreira e tantas vezes mais que a sua chefia).

 

CONTRA A DESTRUIÇÃO DOS CTT E PELA SUA RENACIONALIZAÇÃO URGENTE

A destruição do que foram os CTT é uma evidência. O património, recebido do Estado aquando da ignominiosa privatização, foi “trocado a patacos” para poderem pagar dividendos aos accionistas.

O património mais importante que receberam com a privatização – o know how e uma excelente força de trabalho – estão a ser destruídos paulatinamente; o saber fazer dos trabalhadores é posto de lado e substituído por ordens avulsas, tantas vezes contraditórias, emanadas de tudo o que é “director” e “chefe” que nunca viram uma carta mas que querem, podem e mandam.

A urgente renacionalização dos CTT – do que resta daquele que foi até há décadas um dos melhores operadores postais do Mundo – antes que seja tarde demais, é uma evidência para todos, mesmo para aqueles que em tempos defenderam a sua privatização.  

O Governo e o Primeiro-Ministro sabem-no mas, ao invés de renacionalizarem os CTT, preferem “assobiar para o lado” e, esperamos estar enganados, preparam-se para ceder à chantagem da gestão privada da Empresa na renegociação do Contrato de Concessão para a prestação do Serviço Postal Universal.

DEPOIS DE TUDO O ATRÁS AFIRMADO, AINDA HÁ ALGUÉM QUE EM SÃ CONSCIÊNCIA DIGA QUE OS TRABALHADORES CTT NÃO TÊM RAZÕES PARA LUTAREM? CLARO QUE NÃO. A LUTA IMPÕE-SE E ELA VAI ACONTECER…

19 DE NOVEMBRO – GREVE GERAL NOS CTT.

A LUTA CONTINUA.

 

www.sntct.pt

www.facebook.com/sntct

www.instagram.com/sntct7

https://twitter.com/SNTCT

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

COMUNICADO CONJUNTO CTT 28/OUT/2921

POR SALÁRIOS JUSTOS E DIGNOS

PELA ADMISSÃO DE TRABALHADORES EFECTIVOS

PELA ALTERAÇÃO DO MODELO ORGANIZACIONAL EM TODOS OS SECTORES DA EMPRESA

POR UM SERVIÇO POSTAL COM QUALIDADE ASSEGURADO PELO ESTADO PORTUGUÊS

CONTRA O ASSÉDIO E PERSEGUIÇÃO AOS TRABALHADORES

GREVE GERAL NOS CTT E NAS RESTANTES EMPRESAS DO GRUPO CTT NO DIA 19 DE NOVEMBRO DE 2021

MANIFESTAÇÃO NACIONAL EM LISBOA DIA 19 DE NOVEMBRO DE 2021, ÀS 14H30

Abrir aqui o comunicado em PDF: greve e manifestação nos CTT_19 Novembro.

Vamos lutar contra a destruição dos CTT que está a ser levada a cabo por esta administração, contra a deterioração do serviço postal, pelo aumento dos postos de trabalho que é facto fundamental para prestar um serviço de qualidade, pelo aumento dos salários e pela manutenção dos direitos.

Vamos efectuar uma grande manifestação de trabalhadores do grupo CTT em Lisboa para o efeito serão organizados transportes.

Lisboa, 28/10/2021

SNTCT – SITIC – SINQUADROS- SINTTAV – FENTCOP

COMUNICADO SNTCT CORREIOS 7-2021

DECLARADO COMO TAL HÁ 52 ANOS, PELO CONGRESSO DA UNIÃO POSTAL UNIVERSAL,

9 DE OUTUBRO

DIA MUNDIAL DOS CORREIOS

 

Abre aqui o comunicado em formato PDF: 2021-07 CTT CORREIOS

 

Comemora-se uma vez mais o Dia Mundial dos Correios.

Dia declarado pelo Congresso da UPU – União Postal Universal realizado em Tóquio, no Japão, no ano de 1969. O dia escolhido, o 9 de Outubro, é o da criação da UPU (de que Portugal é País Fundador), em Berna, no ano de 1874.

Decidiu-se criar este “Dia” como forma de consciencializar pessoas e instituições sobre o papel dos correios na vida dos povos. Consciencializar os homens e as mulheres sobre a importância do Sector Postal na sua vida diária e o seu papel no desenvolvimento e coesão social, económica e territorial de todos os países e de cada país em particular.

Reconhecia-se assim a importância da mais antiga e mais eficiente “network” de comunicação. Estava-se em 1969, os Serviços Postais pertenciam aos Estados, implementava-se e estudava-se uma maior qualidade na sua prestação e tinham como fim a satisfação das necessidades dos cidadãos no que respeitava à comunicação.

Os Trabalhadores dos Correios Portugueses têm hoje motivos para celebrarem este dia, ou antes pelo contrário?

Durante décadas, até séculos, os trabalhadores dos CTT, dos Correios Portugueses, comemoraram em festa este dia e, melhor, com muito orgulho, esta data. Foi assim desde 1969, com mais ou menos razões para o fazerem, até ao momento em que começou a ser preparada a criminosa privatização dos CTT, que veio a ser concretizada entre 2013 e 2014.

Hoje, apesar da tentativa gorada da gestão privada dos CTT em “dourar a pílula” – para “inglês ver” – na comunicação social, os motivos para comemoração deste dia – quer por parte dos Trabalhadores dos Correios Portugueses quer dos cidadãos que são a sua maior razão de ser – são ínfimos, para não dizermos nulos.

Comemorar o quê?

  • O desinvestimento na prestação do Serviço Postal Universal, a confrangedora falta de pessoal nos sectores operacionais dos CTT, os giros de distribuição atamancados que levam à triste imagem de populações sem distribuição de correio duas semanas e mais, as Estações de Correio com filas de espera intermináveis?
  • O não aumento de salários e a evidente tentativa de desqualificação profissional dos Trabalhadores CTT?
  • A vergonha que a generalidade dos Trabalhadores CTT vão sentido em dizerem que trabalham na Empresa?
  • Os CTT a serem notícia todos os dias pelas piores razões? O perderem clientes por decisão da gestão?
  • A falta de respeito da gestão privada dos CTT pelos cidadãos e pelas suas obrigações enquanto empresa concessionária da prestação do Serviço Postal Universal?
  • As sucessivas multas aplicadas pela ANACOM por não cumprimento dos padrões de qualidade? A mesma ANACOM que, cuja actual gestão pela primeira vez desde a criação do Regulador, tem meritoriamente vindo a cumprir cabalmente as suas funções e a regular a favor de Portugal e dos Portugueses e que, por tal, é diariamente objecto de acusações genericamente infundadas?
  • A frouxidão do Governo e do seu Primeiro-Ministro que, perante o descalabro da prestação do serviço pelos CTT e a chantagem levada à prática pela sua gestão, “chuta para canto”, fazendo de conta que os problemas não existem, enquanto incompreensivelmente, ao invés de anunciar a Renacionalização dos CTT cumprindo a vontade da generalidade dos Portugueses, se apressa a anunciar um contrato de concessão – por sete anos e a ser negociado – enquanto, vá-se lá saber porquê, desautoriza publicamente, de forma nem sempre velada, o MIH e a ANACOM?

É isto que vamos comemorar? Não obrigado.

Quando os CTT e o serviço postal por eles prestado, nomeadamente o Serviço Postal Universal, voltar a ser motivo de orgulho quer para os trabalhadores que o prestam quer para o País, estaremos na linha da frente.

Até lá, até que os CTT voltem a ser postos ao serviço do País e dos portugueses, até que os CTT voltem à esfera pública, limitamo-nos a registar a data e a recordarmos com saudade os dias em que comemorávamos o Dia Mundial dos Correios com orgulho em trabalharmos num dos melhores correios do mundo.

Em suma, trabalhadores e utentes/clientes a festejarem o quê?

O desrespeito para com todos eles?

a destruição da qualidade e da estrutura dos CTT?

O futuro dos CTT que está a ser comprometido, só para que os accionistas encham os bolsos.

Na certeza de que havemos de recuperar o orgulho nos CTT e vermos reposta a qualidade do serviço prestado e termos resposta às legítimas aspirações e direitos dos trabalhadores e utentes/clientes;

VIVA OS TRABALHADORES E OS UTENTES/CLIENTES DOS CTT!

RENACIONALIZAÇÃO DOS CTT, JÁ!

 

www.sntct.pt

www.facebook.com/sntct

www.instagram.com/sntct7

 https://twitter.com/SNTCT

 

SNTCT – a força de continuarmos juntos!

Comunicado SNTCT CORREIOS 6-2021

NETO CUNHA GANHOU EM TRIBUNAL O DIREITO A TRABALHAR

OS CTT INVIABILIZAM O REGRESSO DO TRABALHADOR AO SEU LOCAL DE TRABALHO, PONDO ASSIM EM RISCO A VIDA DE UMA FAMÍLIA

Abrir aqui o comunicado em versão PDF: 2021_6 CORREIOS

Neto Cunha, carteiro nomeado nessas funções desse 1984 e detendo, à data, a qualidade de funcionário público foi despedido em 23.08.2019 com o fundamento na impossibilidade superveniente absoluta e definitiva de prestar trabalho.

Um acidente de trabalho ocorrido em 1988 levaria a que as suas funções de distribuição de correio ficassem condicionadas a tarefas internas de carteiro desde 2001.

36 anos de serviço público, de 39h00 semanais, num horário completo de esforço diário com uma prótese num joelho são “premiados”, com um despedimento sem direito a compensação e/ou subsídio de desemprego, atento o facto de carregar a qualidade de ex-funcionário público subscritor da Caixa Geral de Aposentações.

Entre 30.04.2020 e 21.09.2021 o trabalhador e a família passaram e passam fome, perderam o carro e outros bens e encontra-se na iminência de perder a casa, salva até ao momento por uma pandemia que lhe permitiu a moratória. Os tratamentos médicos dispendiosos assegurados pelo IOS (Instituto das Obras Sociais), assistência médica que perdeu e o SNS não assegura.

SNTCT presente na vida do António Neto Cunha desde sempre, assegurou a sua defesa em Tribunal através da sua advogada.

Foi intentada uma providência cautelar em 11.09.2019 que viria a considerar em 1.ª instância inexistir fundamento para o despedimento.

A Relação do Porto consideraria não verificado o requisito formal da necessidade de uma providência cautelar afirmando, contudo que:

“Donde, afigura-se manifesta a conclusão de que a requerida não tinha fundamento para comunicar ao requerente a cessação do contrato de trabalho, o que vale por dizer que entendemos como altamente provável vir a declarar-se – na acção principal – a ilicitude do despedimento.”

 

Os CTT no período compreendido entre 25.11.2019 e 29.04.2020, optando por não atribuir efeito suspensivo ao recurso admitiram o trabalhador de novo no CDP de Ermesinde.

Os CTT sem sequer aguardar o trânsito em julgado do Acórdão da Relação do Porto, a 29.04.2020, a notificação ocorre a 28.04.2020, impedem o trabalhador de continuar a desempenhar as suas funções e despedem-no com efeitos a 23.08.2019.

António Neto Cunha, CRT, novamente desempregado e sem subsídio de desemprego é obrigado a intentar a respectiva acção principal que conheceu sentença favorável a 03.09.2021.

O 2.º Juízo do Tribunal de Valongo reconhece, sem margem para dúvida, numa sentença irrepreensível, condenar os CTT a reintegrar o António Neto Cunha, no mesmo CDP, na mesma categoria, com respeito pela antiguidade, ou seja, considerando ilícito o despedimento de que foi vítima.

Esta é uma vitória não só deste trabalhador, mas de todos os trabalhadores condicionados e o respeito pela Constituição da República que afirma no seu art. 58.º e 59.º o direito ao trabalho, nomeadamente dos “diminuídos”, igual protecção resulta do Código do Trabalho e do AE negociado por este Sindicato.

Em total desrespeito pelos trabalhadores limitados ouvimos em Tribunal os CTT afirmar através de um seu alto cargo (testemunha) que a situação dos “Netos Cunha” é insustentável para os CTT que têm na mesma situação “768” trabalhadores.

Apesar da Sentença que decide da ilicitude do despedimento, da imediata execução da decisão do Acórdão da Relação na providência cautelar colocando na rua a 29.04.2021 António Neto Cunha, a posição dos CTT é neste momento de absoluto desprezo pela realidade de António Neto Cunha que, está sem rendimentos, passa fome, está na iminência de ficar sem casa e não tem direito ao IOS.

Os CTT, indiferentes à realidade, estão há 15 dias a recusar reintegrar o trabalhador e pagar, sem prejuízo do direito de recurso que lhe assiste, tentando coagi-lo, através da Direcção de Recursos Humanos, a aceitar negociar uma indemnização.

SNTCT não pode admitir que o seu sócio seja objecto de tão abjecta tentativa de calar este trabalhador recusando a sua absoluta carência económica, para poder “matar” uma decisão que demorou mais de 2 anos a obter, permitindo-se avançar de novo, quiçá com novos argumentos, contra os restantes 768 trabalhadores condicionados.

ANTÓNIO NETO CUNHA IR-SE-Á APRESENTAR A 21.09.2021 NO SEU CDP APOIADO PELO SNTCT E POR TODOS QUANTOS SE REVEJAM NESTA SITUAÇÃO, PARA QUE POSSAMOS OBTER JUSTIÇA, RAZOABILIDADE E RESPEITO PELOS DIREITOS DOS TRABALHADORES POR PARTE DOS CTT, QUE, PESE EMBORA A SUA ACTUAL NATUREZA PRIVADA, PRESTA UM SERVIÇO PÚBLICO E DEVE HONRAR O ESTADO PORTUGUÊS QUE LHE ATRIBUIU A CONCESSÃO DESTE SERVIÇO.

Pelo Direito ao trabalho, pelo Direito à dignidade, Contra a prepotência

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

Página Web: www.sntct.pt – Email: sntct@sntct.pt – Facebook: www.facebook.com/sntct

Instagram: www.instagram.com/sntct7  –  Twitter: https://twitter.com/SNTCT

 

COMUNICADO SNTCT CORREIOS 5-2021

OS COXOS E OS MENTIROSOS

ou

QUEM MANDA A TI SAPATEIRO TOCAR RABECÃO

 

Abre aqui o comunicado em PDF: 2021_5 CORREIOS

Os ditados populares por vezes são verdade. Vem isto a propósito de quem anda nos locais de trabalho a usar a verborreia do costume, a confundir e enganar com o propósito de “amealhar” uns tostões em quotas.

Muda para nós que conseguimos a tua pré reforma ou a dispensa de assiduidade”.

O SNTCT foi informado verbalmente na semana passada da intenção dos CTT em “negociar saídas” com alguns trabalhadores dos serviços corporativos. Face a esta informação e para que ficasse claro, questionámos os CTT no sentido de nos informarem correctamente sobre os factos para que pudéssemos esclarecer os trabalhadores. A resposta veio a semana passada e é a seguinte:

Em resposta às questões que elenca abaixo, e cf. falamos por diversas vezes, enviamos os respetivos esclarecimentos:

 As oportunidades de saída em curso destinam-se apenas a colaboradores afetos a direções corporativas;

  1. Não existe nenhum objetivo definido;

  2. Estamos perante acordos de suspensão de CT ou de pré-reforma, dependendo do regime de previdência social pelo qual o colaborador em causa é abrangido;

  3. Podem ser colaboradores CGA ou SS, como enunciado no ponto anterior;

  4. Não existe um calendário estipulado mas prevemos que decorra até final do mês em causa.

 Sem outro assunto de momento.

Marisa Garrido

Directora de Pessoas e Cultura

Nota: Para além disto, fomos informados que serão abordados alguns trabalhadores apenas destes serviços com mais de 63 anos de idade. Os CTT pagam 90% do vencimento base + diuturnidades e continuarão a efectuar descontos sobre 100% e a pagar a quota do IOS. É um processo voluntário.

Face a esta situação o SNTCT aconselha os trabalhadores a analisar as propostas e depois consultar o Sindicato.

Voltamos a frisar que é um processo voluntário e ninguém pode ser obrigado a aceitar. Qualquer outra informação não é verdadeira.

SNTCT – A força de continuarmos juntos!

Página Web: www.sntct.pt

Email: sntct@sntct.pt

Facebook: www.facebook.com/sntct

Instagram: www.instagram.com/sntct7

Twitter: https://twitter.com/SNTCT

RESPOSTA DO GOVERNO SOBRE OS CTT… E A REACÇÃO DO SNTCT À MESMA

PERANTE UMA RESPOSTA DESTAS…

Abrir aqui a cópia do ofício rers+posta a que nos referimos » » » Desmantelamento rede postal nacional – resposta do Governo

A RECÇÃO DO SNTCT, A REACÇÃO QUE SE IMPÕE, FOI A EXPRESSA NO TEXTO DO EMAIL QUE A SEGUIR TRANSCREVEMOS.

Exmo. Senhor Ministro

e Exma. Senhora Chefe de Gabinete.

Tivemos conhecimento deste ofício enviado ao senhor Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, em resposta a uma pergunta feita pelo grupo parlamentar do PCP.

O texto do ofício causou-nos a maior perplexidade, dado o seu conteúdo e a construção do texto.

Imediatamente comparámos esta vossa informação com os textos e afirmações produzidas pelo senhor Presidente da CE dos CTT e, infelizmente podemos afirmar que não há diferenças substanciais.

Assim, assistimos com tristeza e revolta a uma eventual desresponsabilização por parte do Governo em relação ao estado em que se encontra o serviço postal, o que não augura bons indícios sobre a negociação da conceção do serviço postal universal.

Pelos motivos expostos solicitamos a marcação de uma reunião presencial com carácter urgente.

Os nossos cumprimentos

Pela Direcção do SNTCT

Victor Narciso

Secretário Geral

 

 

1 2 3 4 18